Audrey Piccini
903 ARTIGOS
Audrey Piccini Jornalista formado pela Unochapecó com pós-graduação em Relações Públicas pela Universidade de Passo Fundo (UPF), experiências internacionais na África do Sul e Irlanda e visão particular para analisar o cenário político Chapecoense e Catarinense.

Divisão no PSL de Santa Catarina

O presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, que também é secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável, passa pela primeira crise a frente da sigla. Deputados federais do estado protocolaram carta endereçada o diretório nacional do partido pedindo a cabeça do presidente. A justificativa é de que ele não ouve as bases e por ser secretado no governo Moisés não terá tempo para ser presidente de fato.

O nome sugerido para presidir a sigla é o da deputada federal eleita pelo Oeste, Caroline De Toni (PSL), que era vice-presidente do partido no estado. O documento é assinado por três deputados federais eleitos: Caroline De Toni, Daniel de Freitas e Luiz Schroeder Reis e questiona a forma como Esmeraldino compôs uma Comissão Provisória para a Executiva estadual. “No apagar das luzes de 2018, sem critérios, sem diálogo e de forma personalista. Os nomes foram escolhidos pelo presidente estadual da sigla, de forma unilateral”, diz trecho do documento.

Últimas notícias

Apoio

Por outro lado, nesta quinta-feira (10), a bancada de deputados estaduais eleitos emitiu nova parabenizando a atuação dos diretórios estadual e nacional do PSL, reforçando a atuação de Lucas Esmeraldino no cargo. A nota é assinada por Alba, Ana Caroline Campaganolo, Coronel Mocelin, Felipe Estevão, Jessé Lopes e Sargento Lima.

DEIXE SEU COMENTÁRIO