Ivan Carlos Agnoletto
565 ARTIGOS
Ivan Carlos Agnoletto é radialista e colunista esportivo do Diário do Iguaçu. Em 40 anos de atuação na imprensa de Chapecó, Ivan já narrou mais mil partidas da Chapecoense.

Empatou merecendo mais

A Chapecoense do jogo de ontem não teve nada a ver com aquela que havia jogado na última quinta-feira. Foi um time com atitude, com pegada, bem postada em campo e com alterações que, de novo, deram certo. Com exceção de dois atacantes, Leandro Pereira e Wellington Paulista, os demais todos estiveram bem. Talvez os dois pudessem render mais sem ter tanta obrigação de marcar. Mas, também, os dois contribuíram para que a Chapecoense fizesse, como um todo, um bom jogo. Um primeiro tempo equilibrado, onde somente o Santos finalizou. Uma etapa complementar do jeito que se esperava, com uma Chapecoense valente, marcando sem abdicar de atacar. A Chapecoense empatou com um dos grandes que vem jogando futebol de pequeno. Mas, pelo futebol que jogou, o Verdão merecia até ter vencido.

As alterações do início ao fim do jogo

Fez tudo certo o Kleina no jogo de ontem. Até mesmo quando alternou Bruno Silva pelos lados do campo. Escalou certo e acertou tudo até o momento em que tirou o Bruno do jogo. A menos que tenha sentido por correr tanto, era o Bruno Silva quem vinha apavorando a zaga e os alas do Santos. Como disse o próprio treinador: “É um menino que vai crescer muito, vai dar muitas alegrias à torcida da Chape”. Por isso, Kleina, é chegado o momento de colocá-lo e mantê-lo para que ele prove de vez toda a qualidade que tem. E as mudanças não foram somente de peças, de jogadores. A Chapecoense alternou posicionamento em campo e teve muito mais atitude em relação ao jogo anterior.

Os resultados é que preocupam!

A Chapecoense projetava pelo menos quatro pontos nestes dois jogos. De seis, acabou ganhando somente dois. E pior: de dois concorrentes diretos na tabela de classificação. A atuação deste domingo, o futebol apresentado, veio atenuar um pouco aquela preocupação que já era grande. Mas, tem muita coisa pela frente. A Chape precisa pensar jogo a jogo, manter suas características de forte marcação e desistir nunca. Que vai ser difícil, todos sabemos. Mas, tem aí no mínimo cinco equipes em piores condições.

Lances

- Se jogar com o Botafogo o futebol que jogou ontem, não perde no Rio.
- É jogo para colocar de novo em campo os três cariocas. Motivação não faltará.

DEIXE SEU COMENTÁRIO