Rodrigo Goulart
1351 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Grande conquista! Chapecó tem campeões mundiais na bocha

A bocha de Chapecó é referência pelo Brasil a fora. Na década de 1990, Pedruca e Brasinha, que jogavam juntos pela maior cidade do Oeste, foram campeões mundiais de dupla vestindo a camisa da seleção brasileira. Uma das conquistas que simboliza a força da modalidade no município. Duas décadas depois, o time chapecoense volta ao topo do pódio em um evento que reuniu os principais bochófilos do mundo.

De segunda-feira, dia 4, até o último domingo (10), foi disputado em San Miguel de Tucumán, no noroeste da Argentina, o Campeonato Mundial no individual (masculino e feminino) e em duplas mistas. Nesta segunda categoria, o atleta Valdecir Garcia entrou em cancha ao lado de Silvia, de São José do Cedro, mas que vinha jogando por Blumenau, e faturou o título, superando potências da bocha como a Argentina (vice-campeão), Itália (terceiro) e Chile (quarto). Um verdadeiro feito. Na foto, a dupla com o troféu.

No individual feminino, Ingrid, de Itajaí, ficou em quinto lugar, enquanto Gugu, do Cruzeiro (MG), terminou na nona colocação o torneio masculino. Na soma geral dos pontos, o Brasil conseguiu uma destacada segunda posição, atrás apenas dos italianos. Em terceiro, o Peru e, em quarto, o Chile.

Ah! No comando da seleção brasileira o treinador da equipe masculina de Chapecó: Aurileno Bernardes, o Caçulinha (segundo da esquerda para a direita na fila da frente). Pela história construída na bocha, ele merece ter no currículo um triunfo mundial. Parabéns!

DEIXE SEU COMENTÁRIO