Rodrigo Goulart
1405 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Mais um panorama sobre possíveis idas e vindas no grupo da Chapecoense

O mundo do futebol é dinâmico. O cenário de hoje pode ser totalmente diferente em relação ao de amanhã. Certo é que, no momento, o retorno de Camilo à Chapecoense está praticamente descartado – situação atual, repito. Desde que ele voltou da Arábia Saudita sem receber um tostão, na metade de 2016, o Verdão tenta contar novamente com o jogador. O nome do meia entra na pauta toda a vez que a Chape busca reforço para o setor, mas nunca houve a viabilidade. Portanto, nenhuma surpresa se não regressar à Arena Condá.

Seria uma aquisição interessante para a Chapecoense, mas ao ponto de pagar R$ 240 mil de salário? Eis a pedida que o estafe de Camilo teria feito para acertar com o Verdão. Falou-se ainda em contrato de dois anos. A questão financeira fez a direção recuar. Uma coisa é querer, outra é poder. Ah! Mas vale dizer que o vínculo com o Inter acaba no meio do ano. Chance de renovação é remota. Outro clube pagará R$ 240 mil? Terá que se readequar. Não duvido, em breve, o empresário do meia procurar a Chape para nova conversa.

Não vindo Camilo, e esta é a tendência por enquanto, não será o fim do mundo. É bom jogador, mas não pelo valor comentado nos bastidores. A Chapecoense entrou de cabeça no mercado. Mais reforços virão para a Série A. Isso é certo. Trazer um meia faz parte da lista de intenções, mas deixou de ser prioridade. O foco do departamento de futebol é a contratação de um lateral direito e um centroavante. O defensor preferido é Fabiano. Difícil, mas o presidente Maninho De Nes acredita na possibilidade, insiste com o Palmeiras. Primeiro volante também está no radar.

Com a chegada de novos jogadores e a saída de outros do departamento médico, a tendência é a Chapecoense encaminhar empréstimos de atletas a outros times. Quem entrou na mira do Criciúma para a Série B, após as contratações de Maringá (diretor de futebol) e Gilson Kleina (técnico), é o zagueiro Luiz Otávio. Ele interessou ao Coritiba, mas saiu da mira depois do retorno de Walisson Maia do Vitória. Elias, lateral Marcos Vinícius, Lourency, entre outros, também deve ser cedidos.

Ainda com idade de júnior, o goleiro Igor Campos teve o seu empréstimo solicitado pelo Concórdia para a disputa da Segundona catarinense. Os encaminhamentos para o Verdão ceder o jogador de 20 anos já começaram.

DEIXE SEU COMENTÁRIO