Rodrigo Goulart
1325 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Resposta positiva dos reservas da Chapecoense

O time reserva da Chapecoense evolui a cada jogo. Verdade seja dita.

A formação alternativa do técnico Claudinei Oliveira fez uma partida preocupante diante do Metropolitano, em Blumenau. Empatou por 0 a 0, mas por pouco não perdeu o duelo para um time que dificilmente escapará do rebaixamento no Catarinão. O torcedor verde-branco, que já estava desconfiado com o grupo deste início de ano, ficou ainda mais cabreiro.

Os reservas estrearam mal, mas depois só venceram. Com o reforço de alguns titulares, derrotou o Joinville por 2 a 1 no Norte do Estado. Pelo mesmo placar, triunfo sobre o Hercílio Luz na Arena Condá. Resultados conquistados pela Chape sem grandes sustos, com atuações seguras defensivamente. Neste sábado, mais uma vitória, desta vez contra o Brusque, 3 a 2, no Vale do Itajaí.

Do ponto de vista técnico, a atuação no Augusto Bauer foi a melhor da Chapecoense nos oito confrontos que disputou nesta temporada, incluindo os duelos do time principal. Desempenho notadamente aprovado pela maioria dos torcedores.

No lucro

Há mais bônus que ônus para a Chapecoense na utilização dos reservas. Somente o tempo nos daria tal afirmação. Até agora, são três vitórias, um empate e nenhuma derrota. Alguns jogadores começam a dar respostas positivas. Lourency fez um partidaço em Brusque. Produziu mais que em todos os duelos juntos. A zaga se apresenta muito segura. Marcos Vinícius vem aproveitando as chances, Tharlis também, assim como Everaldo. Yann Rolim precisa mostrar mais, mas o suficiente para o técnico Claudinei Oliveira entender que ele está à frente de Diego Torres.

Disputa

Já é possível fazer um comparativo entre os jogadores titulares e os reservas e, com critério, considerar quem apresenta futebol mais convincente. A partir daí, claro, fazer mudanças por meritocracia. Reforçando o que escrevera no tópico anterior, Yann Rolim começa a fazer por merecer um lugar na composição principal na vaga de Diego Torres. Na verdade, esta é uma disputa, com todo o respeito, nivelada por baixo. Não é à toa que a Chapecoense tenta fechar com Gustavo Campanharo e trabalhou a vinda de mais um meia, que não virá por estar lesionado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO