Ivan Carlos Agnoletto
413 ARTIGOS
Ivan Carlos Agnoletto é radialista e colunista esportivo do Diário do Iguaçu. Em 40 anos de atuação na imprensa de Chapecó, Ivan já narrou mais mil partidas da Chapecoense.

Vamos voltar para o campo

Nos últimos dias, o foco tem sido os bastidores. O futebol vem ficando para o segundo plano. Pelo menos é isso que se nota na imprensa e nas rede sociais. Quando isto acontece, quem perde é o clube.

Afinal de contas, o time e tudo mais vivem e sobrevivem do futebol, daquilo que acontece nas quatro linhas. A Chape entra em campo nesta noite para enfrentar o Flamengo, pela Sul-Americana. O atual campeão desta competição é a Chape.

Quem disse que não dá para passar pelo Flamengo? Com todo respeito ao gigante carioca e do futebol brasileiro, quando se trata de mata-mata, tudo pode acontecer. Então, galera do Verdão, hoje é dia de ir à Arena e jogar com o time. Vitória hoje poderá dar certa tranquilidade para o jogo da volta.

Acredite e vamos comparecer e torcer!

A despedida do Eutrópio

O treinador não pode ser culpado pelos seus números no comando da Chape. Chegou com o time montado e em meio a uma grande confusão de datas.

Deu para notar em suas palavras que sai triste, aborrecido por não conseguir os resultados desejados por todos. Trata-se de um cara trabalhador, até aonde se sabe honesto, mas que ainda, na prática, não tem condições de alavancar times com certas limitações.

Boa sorte ao Eutrópio e, quem sabe, um dia volte em outras condições para se dar bem no comando da Chape.

E a fala do presidente

Sinceramente, não queria estar na pele do Maninho. Especialmente neste momento em que há muito pouco a fazer. A sequência de erros cometidos provocou uma situação difícil de ser contornada.

E o pior: o presidente não tem ouvido aqueles que realmente poderiam ajudar. A Chape está envolvida em um mistério a ser desvendado. Ninguém duvida da dedicação do Maninho, da vontade de acertar.

Acontece que no futebol há muita malandragem, envolvimento de muitas pessoas e, às vezes, depositamos confiança em quem não merece. Senti o Maninho revoltado e com razão. Talvez até com nossas críticas.

Mas te afirmo, Maninho: muitas vezes não é o que te acaricia que te ajuda, mas sim quem aponta de fora o que está vendo de errado. Força e boa sorte nas decisões!

DEIXE SEU COMENTÁRIO