Rodrigo Goulart
970 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Vitória da Chapecoense: escolhas certeiras de Eutrópio

A vitória da Chapecoense sobre o São Paulo – 2 a 0, na tarde deste domingo (16), na Arena Condá – começou a ser construída no início da noite de sexta-feira (14), na chegada de Pernambuco. Apesar da derrota por 3 a 0 para o Sport, as torcidas organizadas foram ao aeroporto de Chapecó incentivar a equipe. Este foi um ponto fundamental para elevar o moral dos jogadores.

Na manhã de sábado (15), mais um episódio importante para a volta dos resultados positivos. O técnico Vinícius Eutrópio (foto) comandou um treinamento com portões fechados, no estádio, e ali ensaiou e confirmou as mudanças que foram decisivas. O treinador fez aquilo que até os quero-queros da Arena pediam e só o Vagner Mancini não concordava, ou seja, uma escalação mais cautelosa.

O Verdão iniciou a rodada como a defesa mais vazada do Brasileirão. Por sinal, ainda é. Portanto, o primeiro passo para estancar as derrotas e ter maior chance de voltar a vencer era corrigir o sistema defensivo. Eutrópio povoou o meio de campo com cinco atletas. O time correu menos riscos. Na segunda etapa, abriu-se um pouco, mas sem se descuidar da marcação, e chegou aos gols.

Se contra o Sport não foi feliz nas escolhas, desta vez acertou na mosca. A vitória deste domingo tem nome e sobrenome: Vinícius Eutrópio.

Valoriza ainda mais

A Chapecoense tinha muitos problemas para enfrentar o São Paulo. Em relação ao último jogo, quatro titulares estavam suspensos: Victor Ramos, Reinaldo, Arthur Caike e Wellington Paulista. Somam-se a eles os jogadores que já desfalcavam o time por lesão. 1 a 0 seria goleada. Ganhou de 2 a 0. O técnico Vinícius Eutrópio conseguiu montar uma equipe capaz de superar o excesso de desfalques. O número elevado de baixas valorizou ainda mais o placar construído na Arena Condá.

DEIXE SEU COMENTÁRIO