10 regras do Código de Trânsito que todos sabem, mas nem todos cumprem

Basta prestar atenção no trânsito para você encontrar uma delas. São regras básicas, mas ainda descuidadas por condutores de veículos de todos os tamanhos e finalidades.

Bia Piva

bia@diariodoiguacu.com.br

Chapecó

 

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é composto por 254 artigos com normas e orientações que devem ser adotadas por motoristas no trânsito. Todas elas tem um motivo para estarem lá: garantir a segurança dos usuários da via.

Algumas regras são complexas e enquadram crimes graves, como dirigir embriagado, ultrapassagens forçadas etc. Já outras regras são muito básicas, conhecidas por todos e mesmo assim, muitos descumprem. Seja pela confiança ao volante, comodidade, ou mau hábito no trânsito.

O Diário do Iguaçu e o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Chapecó, Ricardo Alves da Silva, listaram algumas das infrações frequentemente cometidas pelos motoristas em algum momento no trânsito.

 

1.       Estacionar/Parar em faixa dupla

É só circular pelas ruas de Chapecó para encontrar. É tão corriqueiro, que o comportamento já caiu no senso comum de muitos motoristas que já tem a desculpa pronta: ‘ah, é só um minutinho’, é uma das mais comuns para justificar a parada em faixa dupla.

Mas essa prática é considerada infração de trânsito, prevista no artigo 181 do Código Brasileiro de Trânsito, é considerada infração grave com aplicação de multa e com a possibilidade de remoção do veículo. Além de atrapalhar o fluxo dos carros, pode colocar os pedestres em risco.

 

2.        Fazer manobras em zigue-zague, ou ‘costurando’

Outra cena bastante comum no trânsito são motoristas e motociclistas ‘costurando’ no trânsito, fazendo manobras entre os carros, trocando de pista várias vezes. Isso também é infração de trânsito, já que o CTB só permite ultrapassagens pela esquerda e quando realizadas com segurança.

 

 

3.        Dirigir levando cachorro no colo ou ao lado esquerdo do motorista

Qual cachorrinho não gosta de passear de carro? Colocar o focinho para fora e curtir uma voltinha com o dono. Essa cena também é bastante comum no trânsito, mas também tem legislação que prevê normas para isso.

Conforme Alves da Silva, o ideal é levar eles no banco traseiro dos carros. Existe cadeirinha ou caixa de transporte para isso. Quando o animal for tranquilo, até pode estar no banco do carona, desde que não tenham contato com o motorista, mas eles precisam estar com guias ou coleiras específicas que permitam que ele fique preso aos sistemas do cinto de segurança, para garantir a integridade deles em caso de acidente.

“A grande questão, além da infração, é que eles ficam com a cabeça de fora e o vento pode ressecar as narinas e os olhos e causar algum problema ao bichinho”, alerta o comandante. Outra coisa que é proibida pelo Código de Trânsito é levar eles na parte externa do veículo.

Artigo 252 do Código de Trânsito

II – Transportando pessoas, animais ou volumes à esquerda, ou entre braços e pernas

Infração: média

Penalidade: multa

 


4.       Dirigir tomando chimarrão/café/suco...

Essa infração segue o mesmo raciocínio do parágrafo 2º do artigo 252 do CTB. ‘Dirigir transportando pessoas, animais ou volumes à esquerda, ou entre braços e pernas’.

Outra infração presente nessa prática é ‘Dirigir sem atenção ou só com uma das mãos’ . “É muito comum vermos motoristas tomando chimarrão enquanto dirigem, aos domingos, especialmente, isso acontece com bastante frequência. É típico da cultura da região, mas não pode”, alerta o comandante.

Nessa situação, o motorista não tem o controle total do veículo. Se precisar trocar uma marcha ou fazer uma manobra mais brusca, o tempo de resposta pode ficar comprometido. Além do perigo de derramar líquido quente ou gelado sobre o motorista, que pode causar uma reação involuntária e provocar acidentes. “A atenção deve ser total na direção e com os demais usuários da via”, diz. A infração é considerada média e passível de multa.

 

5.        Dirigir com apenas uma das mãos

 Infração que também é relacionado ao artigo 252, no parágrafo 5 do CTB. ‘Dirigir o veículo: com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo’, é considerada infração média, sujeito a multa.

O artigo 252 ainda faz um acréscimo, que a infração torna-se gravíssima, no caso do condutor estar SEGURANDO ou MANUSEANDO o telefone celular.

 

6.        Dirigir usando chinelos ou saltos muito altos

Outro hábito bastante comum entre alguns motoristas é dirigir usando chinelos de dedos. O comandante do 2ºBPM de Chapecó explica que esse tipo de calçado não é adequado pois não dá segurança ao motorista para manusear os pedais do carro, ou ainda podem escapar dos pés atrapalhando a direção. 

O mesmo vale para quem gosta de usar saltos muito altos. O parágrafo 4 do Artigo 252 prevê como infração média: ‘dirigir veículo: usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais’.

O ideal é usar calçados que fiquem presos aos pés (com alça atrás dos calcanhares) ou que não comprometam a sensibilidade dos pedais. “Não tem na literatura, uma resolução do tipo de salto permitido ou proibido. Mas não aconselha-se usar saltos muito altos, porque você perde sensibilidade nos pés. Vale também para sapatos masculinos, com solas lisas, que escorregam. É preciso bom senso”, orienta Alves da Silva.

 

7.        Transitar de moto com a viseira erguida

 

Em dias de muito calor ou quando chove é comum vermos motociclistas usando capacete com a viseira levantada. Além de ser perigosa, a prática é passível de multa.

“Com a velocidade, o vento pode ressecar os olhos dos motociclistas, ou até mesmo algum bicho ou resíduo pode prejudicar a visão do condutor e causar acidentes. É uma situação muito comum de ser vista, especialmente em dias de muito calor ou ainda quando chove, porque fica embaçada”, alerta o comandante.

Pilotar moto usando capacete, mas com a viseira erguida, é infração enquadrada no artigo 169 do CTB ‘Dirigir sem atenção’. Nos casos em que o capacete não possui viseira, a infração é equivalente a pilotar moto sem usar capacete, previsto no artigo 244.

Outra infração vista com frequência é o motociclista pilotar falando ao telefone, mesmo que o celular esteja preso dentro do capacete e não seja necessário usar as mãos. “A infração é dirigir falando ou manuseando o celular, conforme o artigo 252”, reforça Alves da Silva.

 

8.       Películas mais escuras que o permitido

De acordo com a resolução 254 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), artigo 3 determina: “A transmissão luminosa não poderá ser inferior a 75% para os vidros incolores dos para-brisas e 70% para os para-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à dirigibilidade do veículo’. Ou seja, a transparência mínima exigida é de 75% no para-brisa, 70% nos vidros laterais e de 28% nos demais vidros.

Alves da Silva destaca que a determinação é para garantir a boa visibilidade do condutor e também facilitar a visualização das polícias em caso de abordagens a veículos. A infração a essa resolução é considerada grave e com multa de R$ 195,23.

 

9.        Transportar pessoas em compartimento de carga

“Essa prática traz um risco enorme aos passageiros. Em uma freada brusca, o passageiro pode se bater no veículo ou ser projetado para fora, sem qualquer proteção’, alerta o comandante, exemplificado que em caso de uma batida a 50km/h, em choque com uma árvore por exemplo, o passageiro que está solto pode sofrer um impacto equivalente a cair de um prédio de três andares. Se a velocidade é maior, o impacto também será.

Transportar pessoas em compartimento de carga é infração de trânsito prevista no inciso 2 do artigo 230, inciso 2. ‘Transportando passageiros em compartimento de carga, salvo por motivo de força maior, com permissão da autoridade competente e na forma estabelecida pelo CONTRAN’. A infração é gravíssima e a multa é de R$ 293,00

 

10.   Transportar com excesso de passageiro é outra infração.

Outro fato relativamente comum é o excesso de passageiros em um veículo, que também é infração de trânsito. O perigo é o mesmo do transporte em compartimento de carga.

O passageiro que excede a capacidade de transporte do carro fica solto, e em caso de acidente pode ser projetado para fora do carro, sofrendo ferimentos graves, ou até a morte. A infração é prevista na Lei Nº 9.503/1997, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

 

8 COMENTÁRIO(S)

  1. Inflacões sim dos guardas de trânsito que não agem ao ver motoristas cometendo as mesmas e não fazem nada ,uma vez q a própria reportagem diz q é só sair para as ruas q isto é corriqueiro,ou so os agentes de trânsito q não veèm???

  2. Moro em Teresina Piauí ,e acho um absurdo esses órgãos aqui agente não pode nem respirar que já estão multando e o pior que anda se na cidade e os buracos estão em todo lugar ! O dinheiro arrecadado parece que só é destinada a comprar mais aparelhos geradora de multa ! até carro sendo guinchado os radares estão multando! Roubo escancarado !

  3. Em São Paulo é normal a gente ver nos finais de semana o pessoal dirigindo com crianças no colo fico muito ouro com isso por isso precisamos de um Bolsonaro na presidência

  4. Faltou citar o transporte de crianças fora da cadeirinha ou quando maiores, sem uso do cinto de segurança. Com muita frequência vejo crianças é pé dentro do carro, entre os bancos dianteiros. Uma freada mais forte já pode fazer com que essa criança seja projetada contra o para brisas. É comum ver nas ruas de Chapecó pais que não dão valor a vida de seus filhos.

  5. O CTB para mim é o maior símbolo da Ditadura, o qual obriga o motorista a fazer coisas impossíveis, por exemplo: gastaram milhões de reais para o legislativo chegarem ao novo código de trânsito, estipularam as velocidades para cada via, depois colocaram uma resolução municipalizando o mesmo, daí chega um fascista e obriga todos os motoristas a se arrastarem a 30, 40, 50 km/h em rodovias e vias de trânsito rápido, e ainda obriga o motorista com um certo novo, usar as duas mãos ao volante, isto é chamar o cidadão de retardado, mas para mostrar autoridade fizeram isto, quer dizer, quando municipalizar amanhã jogou tudo o que fizeram no lixo, talvez confiando que ainda existisse algum político honesto, o CTB tem mais erros do que acertos, e esses bandidos inclusive muitos agentes estão se aproveitando deles para se beneficiar, tem que se fazer urgente um novo código, com menos artigos resoluções, deliberações, e principalmente, tirar do município o poder absoluto de multar e julgar, porque desta forma que está, estamos vivendo o Fascismo, Militarismo, Nazismo, pois eles acusam e eles mesmos te julgam, quer dizer, te condenam sem se quer ter lido o recurso, novo código ja, com participação dos cidadãos, nem toda a infração deve gerar pontos, isso só serve para abastecer os donos que fazem curso de CFC, ETC...

  6. O código de trânsito Brasileiro, deveria ser matéria escolar, pois se eu tenho crianças conhecendo regras de trânsito, eu terei adultos educandos no futuro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

STF considera constitucional punir motorista que foge do local do acidente
Campanha Abra caminho para a vida é lançada em SC
O que acontece com o motorista que é preso embriagado?
10 regras do Código de Trânsito que todos sabem, mas nem todos cumprem
Parar na pista para esperar o filho é infração de trânsito
Condutas que atrapalham a fluidez do trânsito
Ciclistas no trânsito: cuidados e deveres que devem ser seguidos
Chapecó registrou 81,6 mil infrações de trânsito neste ano
Atitudes individuais mudam o trânsito
Você sabia que não é permitido parar sobre as calçadas?