Alckmin é o primeiro a receber as pautas do Oeste

Presidenciável participou de reunião com entidades do Setor Produtivo na tarde desta terça-feira, quando recebeu as pautas que a região defende

Audrey Piccini

politica@diariodoiguacu.com.br

Pré-candidato à presidência da República do PSDB, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin desembarcou em Chapecó na tarde desta terça-feira (12). A agenda foi focada essencialmente no setor produtivo e o presidenciável recebeu a pauta de reivindicações do Conselho Empresarial de Chapecó (CEC) das mãos do presidente da entidade, Nico Tozzo.

A agenda contemplava, ainda, uma reunião na Aurora Alimentos, mas que precisou ser cancelada porque o clima instável impediu que o avião que trazia o presidenciável pousasse em Chapecó. Mas a demonstração de insistência em conseguir chegar em Chapecó rendeu o reconhecimento do empresariado que aguardava para ouvir o pré-candidato.

Últimas notícias

O evento com Alckmin teve dois momento: uma coletiva de imprensa e depois a conversa com os empresários. Aos jornalistas, o ex-governador falou sobre projeto político e disse admirar o modelo de Santa Catarina. “Quero destacar o meu carinho, minha paixão por Santa Catarina, adoro esse Estado. Acho um estado fantástico. Essas cooperativas de Santa Catarina, são modelo para o mundo”, afirmou.

Corrida eleitoral

A pré-candidatura de Alckmin não tem empolgado, como alguns imaginavam, nas pesquisas de intenção de voto. Nada que prejudique, garantiu. Mas considerou que o PSDB já conta com cinco partidos apoiando o projeto e assegurou que com a propaganda no rádio e na televisão a situação mudará. Em grande parte porque os indecisos batem nível muito alto nos levantamento.

“Nós já temos pré-coligação de cinco partidos e é lógico que isso vai crescer. É lógico que quem tem pré-candidato tem pressa em fazer aliança, enquanto quem não vai ter candidato não tem (pressa) e isso vai ser definido em final de julho e começo de agosto”, garantiu.

Setor produtivo

Alckmin foi o primeiro pré-candidato, não apenas presidenciável, a receber as pautas do CEC, finalizadas e apresentadas recentemente. Assinou compromisso em tirá-las do papel e assegurou que seu projeto de governo está alinhado com a retomada do crescimento e da economia.

“Meu compromisso é total com o setor produtivo. O que tenho dito e reiterado que não tem solução sem crescimento, se o Brasil não voltar a crescer teremos falta de dinheiro para fazer infraestrutura. Prefeituras, estados e união terão problema fiscal gravíssimo. O Brasil vai para o 6º ano de déficit primário, estou rodando o país inteiro e é um mar de obra parada. O Brasil que investia 5% do PIB, hoje não investe 1,5%, temos um problema grave de uma economia está andando de lado”, afirmou.


Projeto

Para reprogramar a volta do crescimento, Geraldo Alckmin aposta no fortalecimento do setor produtivo e defende que a Reforma Tributária precisa ser tirada do papel nos primeiros meses do governo.

“Nossa proposta é fazer o Brasil voltar a crescer forte e sustentável e para isso é preciso de uma agenda de competitividade, simplificação tributária é o primeiro item. Simplificar cinco impostos em um: IPI, ICMS, ISS, PIS e Cofins. Aprovar rapidamente as PECs em janeiro, porque quem for eleito terá 55 milhões de votos, então reforma Tributária, Política, do Estado, Macro e Micro econômica, reduzir o Spread (taxa de juros cobrada pelos bancos). Nós precisamos de investimento no Brasil. Trazer dinheiro de fora, segurança jurídica, confiança”, completou.

Bolsonaro

O político tem questionado, via Twitter, se o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSC) tem proposta para a segurança pública, que seria a principal bandeira de pré-campanha do militar e deputado federal. Na coletiva, alfinetou.

“Nós não vamos melhorar o hospital a bala, não vamos melhorar a qualidade da educação a bala, a duplicação da BR-282 a bala, extremismo não é o caminho, é o descaminho. Democracia pressupõe o diálogo, construção de maioria e firmeza na postura, que é o que fizemos em São Paulo”, disse. 

Reunião com o empresariado

Em evento com o setor produtivo, Alckmin recebeu as pautas da entidade e assinou compromisso em tirá-las do papel. O presidente Nico Tozzo apresentou uma resumo dos principais pedidos dizendo que algumas obras são esperadas a mais de 40 anos.

A primeira delas é a duplicação da BR-282, principal corredor para escoamento da produção por meio dos portos do Estado. Depois veio o problema da rodovia SC-480, acesso de Chapecó à BR-282, que não tem dono porque ainda não foi finalizada efetivamente e já apresenta problemas de iluminação; a necessidade de garantir dinheiro para a construção de um novo terminal e de outras estruturas no Aeroporto de Chapecó; construção das ferrovias do Frango e Norte/Sul; e garantir a cedência da área da Epagri para construção de um parque e abertura de ruas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Décio Lima: As eleições municipais são o marco para recuperar a nossa imagem
Fórum da Mulher Vereadora elege nova diretoria
Vereadores rejeitam projeto de horário livre para o comércio em São Miguel do Oeste
Vereadores fazem requerimentos de informação em São Miguel do Oeste
Legislativo aprova obrigatoriedade de cardápios em Braille em estabelecimentos de Chapecó
Acamosc tem novo presidente do Fórum dos Secretários e Diretores
Auto Viação Chapecó tem proposta financeira aprovada em licitação
Grande Oeste unido para destravar gargalos de infraestrutura
Reunião de trabalho debate proibição de canudos plásticos em Chapecó
Governo federal confirma R$ 10,6 milhões para aeroporto de Chapecó