Bancada do Oeste vai focar atuação na licitação do aeroporto de Chapecó

Uma audiência pública envolvendo Alesc, Prefeitura de Chapecó, Fiesc e Governo do Estado deve ser realizada nos próximos meses com o objetivo de unir esforços para destravar a licitação

- Publicidade -
 

O Grande Oeste tem representação de peso na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (12) 12 deputados participaram da primeira reunião, mas segundo a assessoria da Alesc a bancada é composta por 16 parlamentares. A reunião ocorreu no gabinete do vice-presidente, deputado Mauro De Nadal (MDB).

A licitação para ampliação do aeroporto de Chapecó – uma novela iniciada pelo governo Raimundo Colombo (PSD), seguida para Eduardo Pinho Moreira (MDB) e nas mãos de Carlos Moisés da Silva (PSL) – será o foco central dos trabalhos em 2019. Os parlamentares querem destravar o processo que já conta com R$ 10,2 milhões, via governo federal, para as obras.

A deputada Marlene Fengler (PSD), idealizadora da bancada, foi eleita, por unanimidade, coordenadora do grupo. “Vamos organizar uma reunião com representantes da Secretaria de Estado da Infraestrutura, com o prefeito de Chapecó e com a Fiesc, para levantarmos a real situação do aeroporto e, a partir disso, definirmos algumas ações e estratégias para que, em uma ação conjunta, possamos resolver as pendências que já se arrastam há vários anos”, disse.

Últimas notícias

Rodovias e HRO

Outro tema que promete ganhar atenção especial do grupo nos futuros encontros é a busca por melhorias nas rodovias, estaduais e federais, que cortam a região, pleito apresentado por grande parte dos presentes. Já os deputados Luciane Carminatti (PT) e Altair Silva (PP) sugeriram, respectivamente, tratar do aumento dos recursos destinados ao Hospital Regional do Oeste e das alíquotas de impostos que incidem nos produtos agrícolas. 

A bancada

Sem constituição prevista no Regimento Interno da Casa, o órgão não terá as mesmas prerrogativas das bancadas partidárias, tais como registrar representantes para cargos na Mesa, indicar membros para compor as comissões (salvo candidaturas avulsas), encaminhar votações ou ter direito a horário na tribuna durante as sessões plenárias.

“O objetivo maior de criarmos esta bancada é justamente para que possamos trabalhar de forma unida, ou seja, todos em prol dos mesmos objetivos, porque as demandas são iguais, então conseguindo juntar nossas forças na defesa daquilo que a sociedade espera como prioridade melhora a nossa cobrança junto ao governo e dá mais credibilidade para o pleito”, declarou Nadal na ocasião.

Atendendo a sugestão do deputado Marcos Vieira (PSDB), ficou definido que a bancada terá um coordenador a cada ano, a quem caberá receber os pleitos apresentados pelos deputados, organizar as reuniões e dar encaminhamento às ações a serem tomadas. Também ficou acertada a realização de encontros periódicos, sempre na primeira quarta-feira de cada mês, às 11 horas, no gabinete de Nadal.

Também participaram dos debates os deputados Jair Miotto (PSC), Neodi Saretta (PT), Fabiano da Luz (PT), Coronel Mocellin (PSL), Mauricio Eskudlark (PR), Romildo Titon (MDB) e Nilso Berlanda (PR).

1 COMENTÁRIO(S)

  1. Além da nova estação de passageiros, é urgente e necessário uma ampliação da pista para 3.000 metros e tornar o aeroporto categoria internacional para atender o movimento de carga e passageiros. O voo por instrumento também deve ser atualizado com o equipamento de alta precisão ILS. Saudações,

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Trocas de secretários previstas para o início do ano em Chapecó
Votação da reforma da Previdência estadual fica para 2020
Desembargador Ricardo Roesler é eleito presidente do Tribunal de Justiça de SC
Câmara de Chapecó aprova orçamento para 2020
Câmara de Chapecó presta homenagem à Aurora Alimentos
Nelson Akimoto assume comando da ACIC a partir de 2020
Vice-prefeito de São Miguel do Oeste terá que ressarcir cofres públicos
Ex-prefeito e ex-secretário de Saltinho são condenados por improbidade
Municípios esperam mais de R$ 240 milhões em emendas impositivas
Governo de SC cita longevidade e déficits crescentes para justificar Reforma da Previdência