Chape perde a primeira no Brasileirão no comando de Emerson Cris

Time do Oeste sofreu o gol da derrota nos descontos

A Chapecoense conheceu a sua primeira derrota na Série A do futebol brasileiro sob o comando do auxiliar Emerson Cris. Invicto há três partidas no campeonato, o clube do Oeste catarinense perdeu de virada para o Botafogo, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira (11), no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro.

>>Confira o post do Blog Resenha Esportiva sobre a partida<<

>>Ouça o técnico interino Emerson Cris sobre a derrota<

>>Sub-17 da Chapecoense vence na Copa do Brasil<<

O Verdão se manteve fiel à forma de jogar que resultou em três jogos sem perder – duas vitórias e um empate. A equipe do técnico interino Emerson Cris – deve permanecer à beira da casamata até o fim da temporada – se preocupou, primeiramente, em neutralizar o adversário. Conseguiu. O Botafogo não criou nenhuma grande chance. Por outro lado, a Chape também deu pouco trabalho para o goleiro Gatito Fernández.

Os dois times chegaram a finalizar com perigo, mas a maioria das vezes em lances irregulares. A arbitragem invalidou duas conclusões dos donos da casa por falta e impedimento. Em relação aos visitantes, Wellington Paulista cabeceou a gol no início da partida, mas o arqueiro alvinegro agarrou com firmeza. Depois, ele foi mais exigido em chute de Túlio de Melo, porém, o ataque verde-branco estava impedido.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo do primeiro: as defesas superando os ataques. O confronto esquentou a partir dos 14 minutos, quando a Chapecoense abriu o placar em lance de papéis “invertidos”. O centroavante Túlio de Melo cruzou para o baixinho lateral direito Apodi balançar a rede de cabeça. O Botafogo foi para cima e empatou aos 21 com Brenner, também em cabeceio.

Apesar do espaço para os dois times jogarem, o marcador insistia em não mudar. Os anfitriões chegaram a fazer um gol com Igor Rabello, mas a arbitragem apontou irregularidade. Porém, já aos 49, Vinícius Tanque virou em novo lance aéreo. Vitória botafoguense.

O revés por 2 a 1 segura o Verdão provisoriamente em 12º lugar, com 32 pontos, faltando 11 rodadas para o fim do Brasileirão. O Botafogo foi a 43 e continua na sexta colocação, dentro da zona de classificação à Libertadores.

A Chape volta a campo já neste domingo (15). Pela frente o Flamengo – sétimo colocado com 39 pontos –, às 17h, na Arena Condá, em Chapecó, valendo a 28ª rodada.

 

BOTAFOGO 2x1 CHAPECOENSE

Botafogo: Gatito Fernández; Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luís; Matheus Fernandes (Marcos Vinícius), Bruno Silva, Rodrigo Lindoso e João Paulo; Guilherme (Rodrigo Pimpão) e Brenner (Vinícius Tanque). Técnico: Jair Ventura.

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro (Elicarlos), Lucas Mineiro, Canteros e Alan Ruschel (Penilla); Wellington Paulista e Túlio de Melo. Técnico: Emerson Cris (interino).

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por José Eduardo Calza e Maurício Coelho Silva Penna – trio do Rio Grande do Sul.

Gol: Apodi (C), aos 14, Rodrigo Pimpão (B), aos 21, e Vinícius Tanque (B), aos 49 minutos do 2º tempo.

Cartões amarelos: Matheus Fernandes (B); Apodi, Moisés Ribeiro e Douglas Grolli (C).

Público: 7.613 (total). Renda: R$ 106.390,00.

Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ). Data: 11 de outubro de 2017.

 

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

2 min – Chapecoense: Após cruzamento para o centro da área, Wellington Paulista, livre, desvia de cabeça, mas Gatito Fernández pega com segurança.

Segundo tempo

GOL! 14 min – Chapecoense: Túlio de Melo ganha a disputa na área, a bola escapa, mas ele ainda consegue cruzar para o segundo pau, onde Apodi aparece livre para cabecear.

GOL! 21 min – Botafogo: João Paulo cobra falta para a área, Joel Carli toca de cabeça para Brenner, que ganha da marcação por cima e cabeceia no canto esquerdo de Jandrei.

28 min – Chapecoense: Penilla recebe lançamento na direita, corta Victor Luís e cruza rasteiro para Túlio de Melo, que se antecipa à zaga, mas desvia por cima.

GOL! 49 min – Botafogo: Rodrigo Pimpão levanta a bola na área, em direção ao segundo pau. Brenner aparece nas costas da marcação para balançar a rede de cabeça.

1 COMENTÁRIO(S)

  1. Decepção. Essa palavra resume todo o meu pensamento sobre a fraqueza do time Chape. A atual Chapecoense não tem concerto mesmo. O time parece que gosta de matar seus torcedores de raiva e indignação. Não é a primeira vez que a Chape entrega o jogo para o maledeto do "inimigo", sempre depois dos quarenta e nove ,49, minutos do segundo tempo , no finalzinho da partida, esses incompetentes da zaga alviverde cagam no ***@!. Mi scusi. Santa Bertolina, de Pietroccina, essa zaga da Chapecoense poderia jogar no flamengo para o próximo domingo , daí então a Chape bombardeava a zaga do Fra e faria muitos gols. Aff. Buenete gaudérios e provincianos de Japecote, rezem muito, se quiserem ver esse fiapo de time da Chape na Série A do ano que vem.Cruz credo, o timinho ruim. Por mais que se incentive o time, enche a bola , elogia e tal e coza, mas, o time não quer jogar direito.Fraco, fraco. Série B a à vista para o Verdão, nobre representante de uma terra muito provinciana.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Chape bate Fluminense vence a segunda seguida e abre boa vantagem do Z4
Ainda sem poder estrear, Kleina impõe mentalidade vencedora
Tô de olho no senhor! Chapecoense vai monitorar a seleção da Inglaterra
Chape elimina Figueirense e decide título do Catarinense Sub-20 com Avaí
Chape faz promoção de ingressos e pede para torcedor levar bandeiras do último jogo
Quero ter início, meio e fim na Chapecoense, diz Kleina
Cris valoriza presença de Kleina nos bastidores para a vitória da Chape
Índio flecha o Galo! Chape surpreende o Atlético-MG no Independência
Sub-17 da Chape alcança novamente as quartas de final da Copa do Brasil
Nei responde Maninho: "Talvez tenha esquecido as palavras que usou"