Como é possível alcançar os objetivos sem se endividar

Especialista explica como é possível alcançar os objetivos sem se endividar

- Publicidade -
 

O percentual de famílias endividadas no Brasil atingiu 58,4% no mês de setembro, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

O dado, divulgado por meio da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, demonstra não só os efeitos da crise econômica, mas também a urgência de dar atenção especial à educação financeira.

LEIA TAMBÉM
>> Conheça as vantagens e desvantagens de trabalhar em casa


>>> Conheça o programa Oeste Inovador

O tema volta ao debate sob a luz de um estudo realizado pelo recente ganhador do Nobel de Economia, que explica, em partes, a razão pela qual os brasileiros estão em apuros economicamente.

Considerado o pai da economia comportamental, Richard Thaler defende que fatores sociais e emocionais estão diretamente ligados ao comportamento humano quando o assunto é dinheiro. Para muitos, o simples ato de decidir se é o melhor momento para trocar de carro ou comprar um apartamento é guiado por sentimentos que ultrapassam a racionalidade simples do ter ou não dinheiro para tal.

“O que ele demonstra é que as pessoas compram, muitas vezes, por impulso, para aliviar uma dor emocional ou para tentar transparecer algo”, explica o professor da Fundação Getúlio Vargas, Andriei Beber.

Especialista em finanças, Beber afirma que é fundamental ter esse entendimento para que seja possível estudar formas de se educar para uma vida financeira saudável.

Assim como Thaler defende a teoria do “empurrãozinho” – que consiste em estimular as pessoas a poupar –, o professor da FGV explica como aplicar isso no cotidiano, com a teoria dos 4Rs - Reconhecer, Registrar, Revisar e Realizar.

“Sabemos das dificuldades enfrentadas pelas pessoas quando o assunto é gerenciar seu próprio dinheiro. Então o que se propõe com os 4Rs é um modelo prático de como conseguir alcançar seus objetivos e ter uma vida financeira equilibrada”, destaca Beber.

O que fazer para não se endividar

1 - Reconhecer a necessidade de assumir as rédeas das finanças pessoais e promover uma profunda reflexão sobre os objetivos financeiros individuais e familiares.

2- Registrar os gastos que estão sendo realizados. Essa etapa permite avaliar de forma palpável a entrada e saída de dinheiro. Muitos aplicativos estão disponíveis hoje gratuitamente para contribuir nesse controle.

3- Revisar como é o seu consumo e os pontos possíveis para economia e otimização. Pesquisar preços antes de comprar, estabelecendo um padrão consciente de consumo, é apenas um exemplo dos benefícios que essa etapa pode oferecer.

4- Realizar seus sonhos, como viagens ou compra de um imóvel, por exemplo. Nessa etapa você já está ciente das contas existentes e tomou as medidas necessárias para garantir a melhor aplicação do dinheiro. Agora é hora de reordenar o seu recurso para aplicar naquilo que você deseja.

De acordo com Beber, “quando a pessoa tem consciência de onde o seu dinheiro está sendo gasto, ela pode redefinir as prioridades e se dedicar a alcançá-las sem ficar endividados”. Para isso, entretanto, é preciso disciplina e comprometimento com as metas estabelecidas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

206 vagas disponíveis no Balcão Municipal de Empregos de Chapecó
Como parcelar as férias? Tire essa e outras dúvidas sobre o tema
63% dos microempreendedores apostam no Natal para aumentar as vendas
Mercoagro começa nesta segunda-feira, em Chapecó, com prêmio Carne Forte
Santa Catarina amplia exportação de carnes no mercado internacional
Brasil exporta 396,9 mil toneladas de carne de frango em agosto
Número de novas empresas no primeiro semestre é o maior desde 2010
Um brinde ao vinho produzido no Oeste
Alunos inovam com aulas de empreendedorismo nas escolas de Concórdia
7 atitudes que ajudam a conquistar uma promoção no trabalho