Taxista é encontrado morto no interior de Jupiá

Um taxista de 47 anos estava desaparecido desde quarta-feira (8). Corpo foi encontrado na manhã desta quinta-feira (9), na SC-480.

- Publicidade -
 

A Polícia Civil segue investigando o caso do taxista que estava desaparecido desde quarta-feira (8) e foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (9). O corpo de um homem foi encontrado próximo a SC-480, na Linha Taquari no interior de Jupiá.

Segundo informações do delegado da Polícia Civil de São Lourenço do Oeste, que é responsável pelo caso, Eduardo Matos, ao Diário do Iguaçu, o corpo era de fato de Adilson Coletto, taxista de 47 anos. Ele havia sido contratado para uma corrida até a cidade de Santa Terezinha do Progresso quando desapareceu.


Foto: Arquivo pessoal

O desaparecimento

Segundo informações do Portal Campoere.com, a vítima teria sido contratada por um homem para fazer a corrida. Na cidade, eles foram até um despachante e informaram que iriam a uma casa, mas não chegaram ao local.

Durante à tarde, por volta das 17h30, segundo o portal Campoere, o taxista teria informado um amigo da cidade que estaria voltando a Campo Erê. Com a demora o irmão de Adilson passou a ligar, mas o celular dava fora de área, quando a policia foi comunicada.

>>> Acompanhe as últimas notícias de Chapecó e região

Ainda conforme o Portal Campoere.com, o carro do taxista, um Renault Symbol cor prata com placas NXP 2966 de Campo Erê, passou nas câmeras de monitoramento do posto fiscal da Cidasc em São Lourenço do Oeste às 19h40. O veículo segundo o delegado, ainda não foi localizado.

Investigação

Adilson foi morto com um golpe de faca na altura do pescoço e foi encontrado por volta das 8h desta quinta-feira (9) por moradores que passavam pelo local. “A gente trabalha com duas hipóteses: homicídio, mas, principalmente com latrocínio. Mataram ele com objetivo de roubar algo”, contou o delegado.

A Polícia Civil pede que a população da região de São Lourenço do Oeste, que saiba de qualquer informação a respeito, repasse para a Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil. “A gente garante o sigilo de quem nos prestar informações”, finalizou o delegado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Homem é condenado a 29 anos de prisão em Chapecó
Homem é preso após furtar carrinho de mão em Chapecó
Ao estacionar carro em garagem, mulher é assaltada em Chapecó
Torcedores do Corinthians são detidos com maconha em Chapecó
40 policiais militares participam da operação 4 Mil em Chapecó
Escola é assaltada em Chapecó
Advogado é morto a tiros em Guaraciaba
Mulher é agredida por irmã em Xanxerê
Mãe e filha são vítimas de violência doméstica em Chapecó
Três são presos em operação de polícias de Pinhalzinho