Custo dos produtos básicos aumenta em Chapecó

Tomate comum aumentou 80,84%

O custo total dos 57 produtos que compõem o cesto de produtos básicos registrou aumento em março, comparativamente com fevereiro, na ordem de 3,24%. Isso é o que mostra levantamento feito pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó, por meio do Sicom Pesquisas. 

>> Últimas notícias <<

Os dados englobam alimentos in natura, semi-industrializados, industrializados e serviços tarifados, como água, energia elétrica e gás. A pesquisa aponta que o custo monetário do cesto de produtos básicos em março é de R$ 1.407,10. Em fevereiro o custo era de R$ 1.363,18.  

Na comparação com março de 2018, quando o custo monetário do cesto foi de R$ 1.316,34, observa-se em 12 meses o aumento de 6,90% no valor do cesto. Conforme os dados da pesquisa, o maior aumento agora verificado ocorreu no tomate comum, em 80,84%, seguido pela banana, em 47,39%. Já o produto que registrou a queda mais significativa foi a cebola, em 15,84%, seguida pelo repolho, em 4,52%.

A pesquisa, realizada nos dias 1 e 6 de março, verificou que os produtos in natura apresentaram aumento de 15,84%. Também foi identificado aumento no preço dos produtos semi-industrializados, de 2,12%. Já os produtos industrializados tiveram queda de 0,08%. O grupo de serviços tarifados, como energia elétrica, água e gás de cozinha, quando comparado com fevereiro, registrou queda de preços, na ordem de 1,42%.

Neste mês, uma família chapecoense necessita de 1,41 salários mínimos (líquidos) para comprar o cesto de produtos básicos. A valorização do tomate, de acordo com análise do site HF Brasil ocorreu devido “ao adiantamento do ciclo das plantas, o que antecipou a safra, havendo menos oferta entre o meio e o final da temporada”. Quanto à redução no preço da cebola, essa mesma fonte explica a diminuição nas vendas porque parte da produção na região Sul apresenta problemas de qualidade e há crescente oferta no Nordeste, mas nos próximos meses o produto pode sofrer aumento.

Cesta básica também aumenta

A pesquisa também consta de síntese dos preços registrados em Chapecó para os 13 produtos que compõem a cesta básica. São eles: açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate. Conforme analisado pelo curso de Ciências Econômicas e o Sicom Pesquisas, de um custo de R$ 310,14 em fevereiro, a cesta básica passou para R$ 351,67, com aumento de 13,39%. Em março do ano passado o valor da cesta foi de R$ 318,28.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Balcão de Empregos está com 185 vagas disponíveis em Chapecó
SC tem aumento de 58% nas exportações do complexo soja
Como não perder seu dinheiro com o cartão de crédito
Procura por franquias de até R$ 10 mil aumenta em 2019, mostra estudo
SC e Argentina se reúnem para discutir integração produtiva
Comprar terreno - 6 dicas para não cair em um buraco
Instabilidade do WhatsApp, Instagram e Facebook: 3 fatos importantes
O que é e quem deve declarar o Imposto de Renda?
Custo dos produtos básicos aumenta em Chapecó
ACIC + Gestão apresenta tendências mundiais de gestão e inovação