Deputada Caroline De Toni quer investigar falta de transparência nos gastos da União

Parlamentar protocolou pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar dados de 2000 até 2018 sobre publicidade do governo

A deputada federal Caroline De Toni (PSL), representante de Chapecó na Câmara dos Deputados, iniciou o mandato protocolando um pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O objetivo é investigar os gastos do governo federal com publicidade durante os anos de 2000 ate 2018.

Caroline colheu 195 assinaturas homologadas e confirmadas pela Câmara, número suficiente para dar entrada no pedido de abertura da CPI. O regimento interno do Parlamento diz que no mínimo 172 assinaturas são necessárias para instaurar o pedido.

Na manhã de segunda-feira (4), primeiro dia de trabalho legislativo no Distrito Federal, a Caroline protocolou o requerimento que tem por objetivo investigar os gastos do governo federal com publicidade estatal entre os anos de 2000 e 2018. A intenção é esclarecer e dar transparência aos gastos com relação a contratação, valores contratados e quanto foi pago aos principais beneficiados.

Últimas notícias

Defesa

Na tribuna da Câmara dos Deputados, Caroline fez questão de enfatizar que a comissão precisa dar resposta ao cidadão sobre o destino do dinheiro público. Cita que até 2018 os dados eram informados no Tribunal de Contas da União (TCU), situação que foi alterada e precisa ser explicada a todos.

“A população brasileira tem direito de saber quais valores têm sido gastos, bem como as razões de manter em sigilo tais informações, uma vez que sempre houve transparência com relação a tais dados”, justifica a deputada.

Assinaturas

Das 195 assinaturas confirmadas pela assessoria da Câmara, 14 são de deputados de Santa Catarina. Além da própria autora do pedido, Angela Amin (PP), Carlos Chiodini (MDB), Carmen Zanotto (PPS), Celso Maldaner (MDB), Coronel Armando (PSL), Daniel Freitas (PSL), Fabio Schiochet (PSL), Geovânia de Sá (PSDB), Gilson Marques (Novo), Hélio Costa (PRB), Ricardo Guidi (PSD), Rodrigo Coelho (PSB) e Rogério Peninha Mendonça (MDB) apoiaram a iniciativa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Lula tem pena reduzida pelo STJ
Gilmar Mendes remete decisão de empossar João Rodrigues ao TSE
Alesc discute reforma administrativa
MDB de Santa Catarina define convenção estadual
Ex-prefeito de Dionísio Cerqueira tem bens bloqueados
Governo federal garante R$10 milhões para início das obras da Macroadutora do Rio Chapecozinho
Vereadores querem que Fidelis renuncie à presidência
MP investiga se deputada usou diárias para promover livro
Antonini diz que nada muda na Câmara por enquanto
Fidelis pode perder presidência se não reassumir o cargo