Donos de food trucks protestam em Chapecó

O principal objetivo da ação foi reforçar o desejo de continuar nos pontos onde já atuam

Um grupo de donos de Food Trucks promoveram na manhã de ontem, uma carreata na avenida Getúlio Vargas, em Chapecó. O objetivo do protesto segundo uma das organizadoras do evento e dona do Food Truck Dona Florinda Churros Gourmet, Jaqueline Maia, é chamar a atenção das pessoas que não sabem sobre a situação dos food trucks na cidade e reforçar a vontade de permanecer nos locais onde atuam.

“Nós queremos uma vaga reservada a partir das 18 horas, tipo essas dos Idosos, por que antes desse horário não podemos em função dos parquímetros. Aí já chegamos e estacionamos, sem precisar procurar um local”, explica. Jaqueline relata que o ponto que ela ocupa é em frente a Havan, na Avenida Getúlio Vargas, mas não há nada que demarque isso ou uma calçada, é na rua.

“A gente quer uma regularização, um documento que valide que diga quem a gente é. A gente não está se opondo a fazer pagamento de impostos, de taxa de coleta de lixo, mas queremos um valor justo. Não podemos pagar o mesmo que uma pessoa que tem uma estrutura maior, que seja um valor condizente”, reforça.

O protesto foi motivado pela reunião realizada no último dia 11, no plenário da Câmara de Vereadores de Chapecó pelo vereador Valmor Scolari. Esta foi a terceira sobre o assunto. No encontro foram levantadas questões que vão integrar o projeto de lei que deverá regulamentar a atividade de Food Truck em Chapecó e deve entrar no legislativo nos próximos dias.

Ainda de acordo com informações da Câmara de Vereadores, toda a regulamentação dessa atividade deverá atender ao Plano de Mobilidade e ao Plano Diretor.

Para dar agilidade na regulamentação da atividade, o executivo deverá encaminhar ao legislativo o projeto de lei.

Depois disso, as comissões apreciarão o projeto e será discutido e votado em plenário.Além da Prefeitura de Chapecó, participaram desta reunião representantes do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Sebrae, Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Sindicato do Comércio Varejista de Chapecó e Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares.

Segundo Jaqueline, o grupo de Food Trucks decidiu por pegar a Lei dos Ambulantes, fazer as emendas que eles considerem necessárias dentro desta lei, e entregar na Câmara de Vereadores.

“Tirar a gente da Getúlio Vargas não é regularização”, reforça.

Números

A legislação em vigor para esse tipo de empreendimento é a lei municipal de 2006 que regulamenta o comércio ambulante.

Segundo dados da Prefeitura de Chapecó, hoje a cidade tem 101 ambulantes cadastrados, e estima que em torno de 45% destes se enquadrariam como food trucks. E são cerca de 90 pedidos para novos pontos, destes em torno de 65 são considerados food trucks.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Condutor capota Kombi e fica ferido em Jaborá
Chuva causa dois acidentes de trânsito seguidos em Nova Itaberaba
Carro capota e deixa mulher ferida em Xaxim
Caminhão desgovernado invade igreja e motorista morre em São Lourenço do Oeste
Chapecó registra mais de 50 mm de chuva neste sábado
Grupo de apoio ajuda mulheres com câncer em Chapecó
17 casais vão oficializar a união neste fim de semana
Ambulância sai de pista e bate em pedras na BR-282, em Descanso
Mulher fica gravemente ferida após capotar o carro em Xaxim
Mulher e adolescente são atropeladas em Xaxim