Empresa fez um projeto básico, algo que a SAC não aceita mais, diz Hassler

Secretário de Estado da Infraestrutura falou sobre o processo de licitação do aeroporto de Chapecó durante reunião da Bancada do Oeste na Assembleia Legislativa

A Bancada do Oeste recebeu o secretário de Estado da Infraestrutura, Carlos Hassler, na manhã desta quarta-feira (13), na Assembleia Legislativa. A urgência de obras nos aeroportos de Chapecó, Correia Pinto e São Miguel do Oeste foram a pauta da conversa.

Para Hassler, o encontro foi muito produtivo. “Recebemos várias sugestões dos parlamentares que vamos estudar. Também foi um momento importante para afirmar aos deputados que eles podem também nos ajudar com a criação de leis e destinação de recursos para obras.”

Uma das ideias veio da deputada Luciane Carminatti (PT) e do deputado Jair Miotto (PSC) para tentar acabar com o atraso das obras de estrutura e ampliação do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, em Chapecó, cuja situação foi lembrada pela deputada Marlene Fengler (PSD). Eles propuseram mobilizar a equipe da prefeitura do município para conversar com técnicos da secretaria e resolver os entraves existentes.

Últimas notícias

“O problema é que a empresa que venceu a licitação fez um projeto básico, algo que a Secretaria de Avião Civil não aceita mais. Cinco correções no projeto foram solicitadas pelo órgão e em todas as vezes foram rejeitadas por não atenderem as especificações”, disse Hassler.

Além disso, segundo Hassler, a empresa passou a questionar as mudanças, já que não foi contratada para promover as alterações. O deputado Miotto lembrou que já há a garantia por parte da prefeitura para que um aditivo seja feito ao contrato.

Depois que o aditivo for assinado, o Estado poderá entrar com a contrapartida de R$ 2 milhões garantidos pelo governador Carlos Moisés (PSL) à bancada no último dia 21 de fevereiro. “Na próxima sexta-feira temos uma reunião da bancada em Chapecó e vamos tratar disso”, afirmou Carminatti.

Prefeitura de Chapecó afirma que adequações no projeto não terão custo

Segundo a Prefeitura de Chapecó, a SAC alterou no final de 2018 a tramitação dos projetos de licitação quando incorporou técnicos da Infraero para atuar na secretaria. O projeto, que antes era básico, agora precisa ser executivo e a empresa licitada para produzir o material já está trabalhando nas adequações.

A administração garante que a mudança de projeto básico para executivo não terá custo, mas que foi necessário fazer um aditivo na licitação para alterar a nomenclatura. A expectativa é de que as mudanças no projeto e a análise na SAC ocorram dentro de 60 dias para que na sequência o lançamento do processo de licitação seja autorizado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Justiça eleitoral cancela 2,4 milhões de títulos
Prefeitura de São Lourenço confirma obra de asfaltamento
Justiça Eleitoral realiza plantão de cadastramento biométrico neste sábado (25)
Marcilei protocola projeto para redução do Duodécimo
Câmara dos Deputados conclui votação de Medida Provisória
Os órgãos extintos e as Secretarias criadas pela Reforma Administrativa
Texto aprovado pela Alesc agrada o governo do Estado
Diretórios regionais e municipais também são obrigados a investir em candidaturas femininas
Três são condenados por fraude a licitações de Planalto Alegre
Mais um passo para a concessão do aeroporto de Chapecó