Empresa fez um projeto básico, algo que a SAC não aceita mais, diz Hassler

Secretário de Estado da Infraestrutura falou sobre o processo de licitação do aeroporto de Chapecó durante reunião da Bancada do Oeste na Assembleia Legislativa

A Bancada do Oeste recebeu o secretário de Estado da Infraestrutura, Carlos Hassler, na manhã desta quarta-feira (13), na Assembleia Legislativa. A urgência de obras nos aeroportos de Chapecó, Correia Pinto e São Miguel do Oeste foram a pauta da conversa.

Para Hassler, o encontro foi muito produtivo. “Recebemos várias sugestões dos parlamentares que vamos estudar. Também foi um momento importante para afirmar aos deputados que eles podem também nos ajudar com a criação de leis e destinação de recursos para obras.”

Uma das ideias veio da deputada Luciane Carminatti (PT) e do deputado Jair Miotto (PSC) para tentar acabar com o atraso das obras de estrutura e ampliação do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, em Chapecó, cuja situação foi lembrada pela deputada Marlene Fengler (PSD). Eles propuseram mobilizar a equipe da prefeitura do município para conversar com técnicos da secretaria e resolver os entraves existentes.

Últimas notícias

“O problema é que a empresa que venceu a licitação fez um projeto básico, algo que a Secretaria de Avião Civil não aceita mais. Cinco correções no projeto foram solicitadas pelo órgão e em todas as vezes foram rejeitadas por não atenderem as especificações”, disse Hassler.

Além disso, segundo Hassler, a empresa passou a questionar as mudanças, já que não foi contratada para promover as alterações. O deputado Miotto lembrou que já há a garantia por parte da prefeitura para que um aditivo seja feito ao contrato.

Depois que o aditivo for assinado, o Estado poderá entrar com a contrapartida de R$ 2 milhões garantidos pelo governador Carlos Moisés (PSL) à bancada no último dia 21 de fevereiro. “Na próxima sexta-feira temos uma reunião da bancada em Chapecó e vamos tratar disso”, afirmou Carminatti.

Prefeitura de Chapecó afirma que adequações no projeto não terão custo

Segundo a Prefeitura de Chapecó, a SAC alterou no final de 2018 a tramitação dos projetos de licitação quando incorporou técnicos da Infraero para atuar na secretaria. O projeto, que antes era básico, agora precisa ser executivo e a empresa licitada para produzir o material já está trabalhando nas adequações.

A administração garante que a mudança de projeto básico para executivo não terá custo, mas que foi necessário fazer um aditivo na licitação para alterar a nomenclatura. A expectativa é de que as mudanças no projeto e a análise na SAC ocorram dentro de 60 dias para que na sequência o lançamento do processo de licitação seja autorizado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Senado analisa projeto libera FGTS para pagamento de ensino superior e cirurgias
É muito pouco conseguir pagar os salários em dia, diz Júlio Garcia
Trevisan protocola projeto de lei que extingue taxa para horário estendido do comércio
Prefeitos do Oeste pedem estradas e energia trifásica ao governador Moisés
Temer e Moreira Franco teriam movimentado R$ 1,8 bilhões
Lula e filho são indiciados por tráfico de influência e lavagem de dinheiro
Luciano Buligon recebe prêmio de Prefeito Inovador de Santa Catarina
Ex-presidente Michel Temer é preso pela Lava Jato
Novo trabalha para ter candidatos nas eleições de 2020 em Chapecó
Governo quer reduzir para cinco dias prazo para abertura de empresas em SC