Gum entra no BID, mas não há previsão de estreia com a camisa da Chapecoense

Após virar ídolo da torcida do Fluminense, zagueiro recém-contratado fala em se aposentar na Arena Condá

A Chapecoense apresentou mais um reforço para a sequência da temporada. Depois do meia Marcos Vinícius e do atacante Thiago Santos, foi a vez do zagueiro Gum dar entrevista coletiva, nesta quinta-feira (14), na sala de imprensa da Arena Condá, como atleta do Verdão. O experiente jogador, 33 anos, chegou prometendo dedicação total ao clube e não descartou se aposentar no Oeste catarinense.

"Vim não para ficar pouco tempo, vim para me entregar por inteiro com luta, foco, dedicação, junto dos meus companheiros, para ficar muito tempo aqui. Se possível, até aposentar”, afirmou o defensor, de 1,89 metro. A julgar pelo currículo de Gum, não é de se duvidar. Ele defendeu apenas quatro clubes como profissional. Em questão, Marília (2004/05 e 2008), Inter (2006/07), Ponte Preta (2008/09) e Fluminense (2009 a 2018).

Gum se tornou ídolo nas Laranjeiras. Foram 414 jogos com camisa do Tricolor carioca. É o oitavo profissional que mais vestiu a camisa do Flu. Foi peça-chave na campanha que levou o time do Rio de Janeiro aos títulos da Série A do futebol brasileiro em 2010 e 2012. Também em 2012, o paulista da capital ergueu o troféu de campeão do Estadual do Rio. Virou um líder na agremiação e ganhou a braçadeira de capitão. É um ídolo do torcedor pó de arroz.

O ciclo de Gum no Fluminense encerrou 2018. A diretoria confirmou no dia 28 de dezembro que não iria renovar com o zagueiro. Houve conversas entre o staff do defensor e os dirigentes, mas sem entendimento. Após as negociações, o clube agradeceu ao jogador nas redes sociais: “Foram nove anos de dedicação, lutas e conquistas. Um símbolo do Time de Guerreiros e nosso grande capitão Tricolor. #ObrigadoGum".

Esperou

O forte vínculo com o Fluminense fez com que o atleta esperasse para acertar com outra equipe. “Dia 2 de janeiro houve a proposta da Chapecoense. Naquele momento, não achei justo, meu coração estava ligado ao Fluminense. Foram quase 10 anos, me entreguei ao clube e precisava de um tempo para me desligar ao clube emocionalmente. Chego com o coração na Chapecoense”, explicou Gum.

No BID, mas…

O nome de Wellington Pereira Rodrigues já está no BID, mas ele disse que necessita de um período para entrar em forma. “Sei que preciso melhorar minha condição física porque quando entrar, tenho que estar bem fisicamente. Estou trabalhando, questão de tempo para pegar força e ritmo. Sei que mais algum tempo estarei em campo para ajudar meus companheiros”, comentou. Gum assinou com a Chape até dezembro deste ano.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Chapecoense vence o Cruzeiro em Belo Horizonte
Chapecoense finaliza preparação e terá mudanças para encarar o Cruzeiro
Chapecoense encara uma pedreira atrás da outra até a parada do Brasileirão. Veja!
Mau tempo atrapalha preparação e viagem da Chapecoense para enfrentar o Cruzeiro
Chape deve ter estreia de Arthur Gomes entre os 11 e volta de dois titulares contra o Cruzeiro
Grupo forte mostra a cara nas derrotas, diz zagueiro da Chapecoense Rafael Pereira
4 pontos em 5 jogos: Chapecoense tem pior largada no Brasileirão desde 2015
Recém-contratado, Renato Kayser faz gol em jogo-treino da Chapecoense contra o Concórdia
Chape inicia preparação com expectativa de ter reforço de Campanharo contra o Cruzeiro
Não fui bem no jogo, afirma técnico da Chape. Ney Franco diz entender vaias do torcedor