Justiça ouve testemunhas de defesa no caso de Oncologista

Cinco testemunhas de defesa foram ouvidas em audiência realizada na quarta-feira (12). Nova audiência, para ouvir mais uma testemunha e o médico André Moreno foi marcada para outubro

- Publicidade -
 

Na quarta-feira (12) foi realizada a segunda audiência de instrução para ouvir testemunhas de defesa do procedimento que apura as condutas do médico oncologista e ex-coordenador do Setor de Oncologia do HRO, André Moreno, acusado pelo Ministério Público por concussão e estelionato. Na audiência foram ouvidas cinco testemunhas.

Os advogados de defesa de Moreno, Luciano Gabriel e Daniel Garcia, em entrevista ao Diário do Iguaçu, falaram sobre a audiência. “Estamos satisfeitos com os depoimentos, pois eles comprovaram, ao nosso entender, completamente a tese da defesa. Provando principalmente que o Dr. André não tinha ingerência nenhuma sobre as filas do Sus e que isso competia apenas à Secretaria Municipal de Saúde, é ela que coordena e controla as filas do Sus. André não tem nada a ver com isso e as testemunhas comprovaram”, destacaram.

Entre as testemunhas estavam profissionais médicos, funcionários do hospital e pacientes. Sobre o andamento do processo, eles se disseram satisfeitos. “Até porque no processo penal quem acusa tem que provar o crime, neste caso o Ministério Público. As alegações imputadas ao Dr. André estão documentalmente comprovadas que não foram ele”, enfatizaram.

 

Ministério Público

Sobre a audiência, o promotor Eduardo Sens dos Santos, da 13ª Promotoria de Justiça, também falou ao Diário do Iguaçu. “As testemunhas de defesa tentaram endossar a tese da defesa, de que, mesmo atendendo o paciente pelo SUS, no HRO, o médico poderia cobrar honorários particulares para dar um "melhor atendimento" na clínica. A tese é descabida. Todo médico sabe que é proibido cobrar honorários de paciente do SUS, direta ou indiretamente”, disse, pontuado que a irregularidade teria sido confirmada por médicos auditores, conselheiros da Comissão de Ética e Oncologistas ouvidos. “As prova são muito fartas. Há centenas de registros de atendimento de pacientes pela manhã na clínica e à tarde no SUS”, destacou o promotor.

 

Próximos passos

A próxima audiência sobre o caso está marcada para 24 de outubro, quando será ouvida mais uma testemunha de defesa. Na mesma data também será ouvido o médico André Moreno. Outras três testemunhas de defesa também serão ouvidas em outras cidades.

 

 

Primeira audiência

Em  11 de julho foi realizada a primeira audiência de instrução do caso, quando foram ouvidas as testemunhas de acusação listadas pelo Ministério Público. Durante a audiência, elas foram questionadas pelo MPSC e também pelos advogados de defesa a cerca dos fatos que são apurados no procedimento. Na ocasião foram ouvidas 10 testemunhas de acusação.

 

Relembre

Em março de 2018, o Ministério Público ofereceu denúncia contra o médico oncologista André Moreno pelos crimes de concussão e estelionato, crimes que teriam sido praticados enquanto o médico atuava na coordenação do Setor de Oncologia do Hospital. A denúncia foi aceita pela justiça no mês seguinte e agora seguem os procedimentos de oitivas de testemunhas e apresentação de provas pela defesa e acusação.

 

 

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Grave acidente deixa motociclista com braço e perna amputado em Xaxim
Carro furtado bate em viatura da polícia em Itá
Acidente deixa cinco feridos em Concórdia
Celulares irregulares serão notificados a partir deste domingo
Homem é morto no interior de Guatambu
12 anos da Lei Maria da Penha e a coragem das mulheres que rompem o ciclo da violência
Moradores do Vila Real ainda enfrentam esgoto a céu aberto
Grandes apresentações encerram a Semana Farroupilha em Chapecó
Lei de bem-estar animal é aprovada e já está valendo em Chapecó
Chegaram os dias mais floridos do ano