Justiça ouve testemunhas de defesa no caso de Oncologista

Cinco testemunhas de defesa foram ouvidas em audiência realizada na quarta-feira (12). Nova audiência, para ouvir mais uma testemunha e o médico André Moreno foi marcada para outubro

- Publicidade -
 

Na quarta-feira (12) foi realizada a segunda audiência de instrução para ouvir testemunhas de defesa do procedimento que apura as condutas do médico oncologista e ex-coordenador do Setor de Oncologia do HRO, André Moreno, acusado pelo Ministério Público por concussão e estelionato. Na audiência foram ouvidas cinco testemunhas.

Os advogados de defesa de Moreno, Luciano Gabriel e Daniel Garcia, em entrevista ao Diário do Iguaçu, falaram sobre a audiência. “Estamos satisfeitos com os depoimentos, pois eles comprovaram, ao nosso entender, completamente a tese da defesa. Provando principalmente que o Dr. André não tinha ingerência nenhuma sobre as filas do Sus e que isso competia apenas à Secretaria Municipal de Saúde, é ela que coordena e controla as filas do Sus. André não tem nada a ver com isso e as testemunhas comprovaram”, destacaram.

Entre as testemunhas estavam profissionais médicos, funcionários do hospital e pacientes. Sobre o andamento do processo, eles se disseram satisfeitos. “Até porque no processo penal quem acusa tem que provar o crime, neste caso o Ministério Público. As alegações imputadas ao Dr. André estão documentalmente comprovadas que não foram ele”, enfatizaram.

 

Ministério Público

Sobre a audiência, o promotor Eduardo Sens dos Santos, da 13ª Promotoria de Justiça, também falou ao Diário do Iguaçu. “As testemunhas de defesa tentaram endossar a tese da defesa, de que, mesmo atendendo o paciente pelo SUS, no HRO, o médico poderia cobrar honorários particulares para dar um "melhor atendimento" na clínica. A tese é descabida. Todo médico sabe que é proibido cobrar honorários de paciente do SUS, direta ou indiretamente”, disse, pontuado que a irregularidade teria sido confirmada por médicos auditores, conselheiros da Comissão de Ética e Oncologistas ouvidos. “As prova são muito fartas. Há centenas de registros de atendimento de pacientes pela manhã na clínica e à tarde no SUS”, destacou o promotor.

 

Próximos passos

A próxima audiência sobre o caso está marcada para 24 de outubro, quando será ouvida mais uma testemunha de defesa. Na mesma data também será ouvido o médico André Moreno. Outras três testemunhas de defesa também serão ouvidas em outras cidades.

 

 

Primeira audiência

Em  11 de julho foi realizada a primeira audiência de instrução do caso, quando foram ouvidas as testemunhas de acusação listadas pelo Ministério Público. Durante a audiência, elas foram questionadas pelo MPSC e também pelos advogados de defesa a cerca dos fatos que são apurados no procedimento. Na ocasião foram ouvidas 10 testemunhas de acusação.

 

Relembre

Em março de 2018, o Ministério Público ofereceu denúncia contra o médico oncologista André Moreno pelos crimes de concussão e estelionato, crimes que teriam sido praticados enquanto o médico atuava na coordenação do Setor de Oncologia do Hospital. A denúncia foi aceita pela justiça no mês seguinte e agora seguem os procedimentos de oitivas de testemunhas e apresentação de provas pela defesa e acusação.

 

 

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

R$ 18 milhões liberados para começar obras da BR-282 de Chapecó a São Miguel
OAB terá eleições na próxima quarta-feira (28)
Biblioteca Neiva Maria Andreatta Costella completa 78 anos em Chapecó
Projeto promove inclusão social de pessoas com deficiência em Chapecó
Jovem de 24 anos morre em acidente em Pinhalzinho
Homem que matou mecânico em Chapecó é condenado a 12 anos de prisão
Polícia procura donos de bicicletas furtadas em Chapecó
Terça–feira será de tempo seco e sol em Santa Catarina
Verde Vida é parceiro do projeto Pátio Verde de Chapecó
Cavalo morre após acidente em Ponte Serrada