Novo modelo de placa é lançado pelo Denatran no Rio de Janeiro

Prazo para todos os estados adotarem o novo modelo encerra em dezembro de 2018. Placa Mercosul possui quatro letras e três números, além da bandeira do país, bandeira do estado e o brasão da cidade

- Publicidade -
 

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) lançou, nesta terça-feira (11), as novas placas que estão em fase de implantação no Brasil, padrão Mercosul. O primeiro estado a adotar as novas placas é o Rio de Janeiro. A nova peça segue as determinações das resoluções 729 e 733 do Denatran.

Outra necessidade para a implantação do novo modelo da placa é a proximidade do fim da combinação alfanumérica. Se a placa mantivesse a atual combinação (três letras e quatro números), nos próximos dois anos, não existiram mais novas sequências para contemplar toda a frota do país.

 

Como é a nova placa?

 

Além do QR Code, que informa os dados de fabricação da placa, outro item de segurança aplicado à nova peça é a marca d´água que, de acordo com o Denatran evita a falsificação e praticamente impossibilita a clonagem. Os novos itens inseridos na placa auxiliarão o trabalho das polícias nas fiscalizações e fraudes.

O modelo da placa Mercosul é bem diferente, onde cada item possui uma característica e representação.  A primeira mudança que se pode notar é a visual. Ao contrário da placa hoje existente na cor cinza, as novas peças terão fundo branco com uma faixa azul na parte superior. O novo modelo possui quatro letras e três números.

Do lado esquerdo, na parte superior, está impresso o logotipo do Mercosul e logo abaixo, o QR Code. A placa ainda possui o distintivo BR e, no lado direito, a bandeira do país, seguida pela bandeira do estado e pelo brasão da cidade.

O novo modelo terá código único e conterá todos os dados de confecção da placa, como a identificação do fornecedor e o número de série, data e ano da fabricação da peça. Inclui ainda o modelo do carro. O valor de fabricação da placa é o mesmo da antiga.

 

 

Cores diferentes

 

A categoria dos veículos será indicada pela cor da combinação alfanumérica: particular (preta), comercial/aprendizagem (vermelha), oficial (azul), especial (verde), diplomático (amarela) e colecionador (prateada). O tamanho continua o mesmo com 40 cm de largura e 13 de altura. A tarjeta da antiga placa passa a ser representada pelo brasão do município e não mais pelo nome da cidade escrito.

 

 

Quem deve trocar

 

Todos os estados brasileiros devem implantar o novo modelo de placas até o dia 1º de dezembro de 2018. O país é o terceiro do Mercosul a adotar a placa, o primeiro foi o Uruguai (2015) e Argentina (2016).

A troca vai começar pelos veículos zero quilômetro a serem registrados (1ª licença), por aqueles em processo de transferência de jurisdição, de município ou propriedade ou ainda para aqueles que desejarem a mudança voluntariamente, placa danificada e troca de categoria do veículo.

Segundo o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a medida tem o principal objetivo de contribuir com a segurança pública.

“Esperamos que essa nova tecnologia da placa possa encerrar, definitivamente, as fraudes e clonagens de veículos. Será um grande avanço para as polícias, que terão meios mais eficientes para o rastreamento. E conseguimos, aqui no Rio de Janeiro, implementar isso tudo e oferecer a nova placa pelo mesmo preço da atual”, destacou.

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Grave acidente deixa motociclista com braço e perna amputado em Xaxim
Carro furtado bate em viatura da polícia em Itá
Acidente deixa cinco feridos em Concórdia
Celulares irregulares serão notificados a partir deste domingo
Homem é morto no interior de Guatambu
12 anos da Lei Maria da Penha e a coragem das mulheres que rompem o ciclo da violência
Moradores do Vila Real ainda enfrentam esgoto a céu aberto
Grandes apresentações encerram a Semana Farroupilha em Chapecó
Lei de bem-estar animal é aprovada e já está valendo em Chapecó
Chegaram os dias mais floridos do ano