Novo modelo de placa é lançado pelo Denatran no Rio de Janeiro

Prazo para todos os estados adotarem o novo modelo encerra em dezembro de 2018. Placa Mercosul possui quatro letras e três números, além da bandeira do país, bandeira do estado e o brasão da cidade

- Publicidade -
 

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) lançou, nesta terça-feira (11), as novas placas que estão em fase de implantação no Brasil, padrão Mercosul. O primeiro estado a adotar as novas placas é o Rio de Janeiro. A nova peça segue as determinações das resoluções 729 e 733 do Denatran.

Outra necessidade para a implantação do novo modelo da placa é a proximidade do fim da combinação alfanumérica. Se a placa mantivesse a atual combinação (três letras e quatro números), nos próximos dois anos, não existiram mais novas sequências para contemplar toda a frota do país.

 

Como é a nova placa?

 

Além do QR Code, que informa os dados de fabricação da placa, outro item de segurança aplicado à nova peça é a marca d´água que, de acordo com o Denatran evita a falsificação e praticamente impossibilita a clonagem. Os novos itens inseridos na placa auxiliarão o trabalho das polícias nas fiscalizações e fraudes.

O modelo da placa Mercosul é bem diferente, onde cada item possui uma característica e representação.  A primeira mudança que se pode notar é a visual. Ao contrário da placa hoje existente na cor cinza, as novas peças terão fundo branco com uma faixa azul na parte superior. O novo modelo possui quatro letras e três números.

Do lado esquerdo, na parte superior, está impresso o logotipo do Mercosul e logo abaixo, o QR Code. A placa ainda possui o distintivo BR e, no lado direito, a bandeira do país, seguida pela bandeira do estado e pelo brasão da cidade.

O novo modelo terá código único e conterá todos os dados de confecção da placa, como a identificação do fornecedor e o número de série, data e ano da fabricação da peça. Inclui ainda o modelo do carro. O valor de fabricação da placa é o mesmo da antiga.

 

 

Cores diferentes

 

A categoria dos veículos será indicada pela cor da combinação alfanumérica: particular (preta), comercial/aprendizagem (vermelha), oficial (azul), especial (verde), diplomático (amarela) e colecionador (prateada). O tamanho continua o mesmo com 40 cm de largura e 13 de altura. A tarjeta da antiga placa passa a ser representada pelo brasão do município e não mais pelo nome da cidade escrito.

 

 

Quem deve trocar

 

Todos os estados brasileiros devem implantar o novo modelo de placas até o dia 1º de dezembro de 2018. O país é o terceiro do Mercosul a adotar a placa, o primeiro foi o Uruguai (2015) e Argentina (2016).

A troca vai começar pelos veículos zero quilômetro a serem registrados (1ª licença), por aqueles em processo de transferência de jurisdição, de município ou propriedade ou ainda para aqueles que desejarem a mudança voluntariamente, placa danificada e troca de categoria do veículo.

Segundo o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a medida tem o principal objetivo de contribuir com a segurança pública.

“Esperamos que essa nova tecnologia da placa possa encerrar, definitivamente, as fraudes e clonagens de veículos. Será um grande avanço para as polícias, que terão meios mais eficientes para o rastreamento. E conseguimos, aqui no Rio de Janeiro, implementar isso tudo e oferecer a nova placa pelo mesmo preço da atual”, destacou.

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

R$ 18 milhões liberados para começar obras da BR-282 de Chapecó a São Miguel
OAB terá eleições na próxima quarta-feira (28)
Biblioteca Neiva Maria Andreatta Costella completa 78 anos em Chapecó
Projeto promove inclusão social de pessoas com deficiência em Chapecó
Jovem de 24 anos morre em acidente em Pinhalzinho
Homem que matou mecânico em Chapecó é condenado a 12 anos de prisão
Polícia procura donos de bicicletas furtadas em Chapecó
Terça–feira será de tempo seco e sol em Santa Catarina
Verde Vida é parceiro do projeto Pátio Verde de Chapecó
Cavalo morre após acidente em Ponte Serrada