Piracema: Apreensões de redes de pesca caem 50% nos últimos anos

Dados são da Polícia Militar Ambiental de Chapecó referentes aos meses em que esteve em vigência a operação Piracema. Em 2019, a operação terminou no dia 31 de janeiro

A edição de 2018/2019 da Piracema encerrou na última quinta-feira (31) e neste período - quando a pesca é proibida para preservar o período de reprodução das espécies aquáticas - a Polícia Militar Ambiental de Chapecó apreendeu 3,1 mil metros de redes de pesca. O número é menor do que nos últimos três anos, chegando a 50% de redução em comparação entre a Operação Piracema de 2016/2017 e de 2018/2019.

 

Apreensões

 

Na edição de 2016/17, a PMA recolheu 6,3 mil metros de redes de pesca, duas tarrafas, dois espinhéis com 140 metros, 15 boias e uma embarcação de madeira apreendida.

Já de 2017/18, os policiais ambientais recolheram 5,5 mil metros de redes de pesca, uma tarrafa, 24 molinetes e 300 metros de espinheis.

De 2018/19, a PMA apreendeu 3,1 mil metros de redes de pesca, quatro molinetes, dois espinhéis com 60 metros.

 

Ações de fiscalização

 

Ainda de acordo com a Polícia Ambiental, durante todo o ano equipes fazem operações náuticas para a fiscalização e orientação de ribeirinhos, pescadores e também de pessoas que procuram estes locais para a lazer. No período da Piracema, que em 2018 começou no dia 31 de outubro e seguiu até 31 de janeiro, essas atividades são intensificadas para garantir que seja respeitado o período de defeso, onde a pesca predatória é proibida

 

9,3 mil metros apreendidos em 2018

 

Mas as ações em rios e regiões ribeirinhas seguiram durante todo o ano. Conforme a PMA, em 64 operações náuticas durante os 12 meses de 2018, foram recolhidos 9,3 mil metros de rede de pesca, além de 46 unidades de outros apetrechos como espinheis, carretilhas e molinetes.

Do total de redes apreendidas, 30% foi durante o período da Piracema. Cinco peixes que ainda estavam vivos e estavam presos as redes de pesca foram devolvidos ao leito do rio. Outros 10 estavam mortos e foram descartados.

 

Denúncias

A PMA pede para a comunidade denunciar casos de pesca ilegal e outras práticas irregulares, para ajudar a preservar as espécies aquáticas. O telefone da Polícia Militar Ambiental para denúncias é o 3313-0487.

       


Foto: Bia Piva/Diário do Iguaçu


Foto: Bia Piva


Foto: PMA


Foto: PMA


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Chapecó já apresenta 372 focos da dengue neste ano
Assinada ordem de serviço para fase final de obra do quartel dos Bombeiros de Chapecó
Cresce 500% o número de MEIS em Chapecó
Guarda Municipal e Agentes de Trânsito: onde atuam e como acionar
Número de focos da dengue cresce 58% em Concórdia
GPS Rural leva mais segurança a comunidades do interior de Chapecó
Unochapecó recebe intercambistas da Itália e Colômbia
Programa GPS Rural será implantado em Saudades
Cadeirante de 53 anos é atropelada no Centro de Chapecó
Motociclista fica ferido após acidente no centro de Chapecó