Piracema: Apreensões de redes de pesca caem 50% nos últimos anos

Dados são da Polícia Militar Ambiental de Chapecó referentes aos meses em que esteve em vigência a operação Piracema. Em 2019, a operação terminou no dia 31 de janeiro

- Publicidade -
 

A edição de 2018/2019 da Piracema encerrou na última quinta-feira (31) e neste período - quando a pesca é proibida para preservar o período de reprodução das espécies aquáticas - a Polícia Militar Ambiental de Chapecó apreendeu 3,1 mil metros de redes de pesca. O número é menor do que nos últimos três anos, chegando a 50% de redução em comparação entre a Operação Piracema de 2016/2017 e de 2018/2019.

 

Apreensões

 

Na edição de 2016/17, a PMA recolheu 6,3 mil metros de redes de pesca, duas tarrafas, dois espinhéis com 140 metros, 15 boias e uma embarcação de madeira apreendida.

Já de 2017/18, os policiais ambientais recolheram 5,5 mil metros de redes de pesca, uma tarrafa, 24 molinetes e 300 metros de espinheis.

De 2018/19, a PMA apreendeu 3,1 mil metros de redes de pesca, quatro molinetes, dois espinhéis com 60 metros.

 

Ações de fiscalização

 

Ainda de acordo com a Polícia Ambiental, durante todo o ano equipes fazem operações náuticas para a fiscalização e orientação de ribeirinhos, pescadores e também de pessoas que procuram estes locais para a lazer. No período da Piracema, que em 2018 começou no dia 31 de outubro e seguiu até 31 de janeiro, essas atividades são intensificadas para garantir que seja respeitado o período de defeso, onde a pesca predatória é proibida

 

9,3 mil metros apreendidos em 2018

 

Mas as ações em rios e regiões ribeirinhas seguiram durante todo o ano. Conforme a PMA, em 64 operações náuticas durante os 12 meses de 2018, foram recolhidos 9,3 mil metros de rede de pesca, além de 46 unidades de outros apetrechos como espinheis, carretilhas e molinetes.

Do total de redes apreendidas, 30% foi durante o período da Piracema. Cinco peixes que ainda estavam vivos e estavam presos as redes de pesca foram devolvidos ao leito do rio. Outros 10 estavam mortos e foram descartados.

 

Denúncias

A PMA pede para a comunidade denunciar casos de pesca ilegal e outras práticas irregulares, para ajudar a preservar as espécies aquáticas. O telefone da Polícia Militar Ambiental para denúncias é o 3313-0487.

       


Foto: Bia Piva/Diário do Iguaçu


Foto: Bia Piva


Foto: PMA


Foto: PMA


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Fogo destrói casa em Faxinal dos Guedes
Caminhoneiro morre após grave acidente em Seara
Prefeitura instala chicanes como alternativa às lombadas em Chapecó
Palestra sobre como empoderar pessoas com deficiência ocorre em Chapecó
Três motoqueiros caem após óleo ser derramado em rodovia de Chapecó
6º Bate Casco ocorre neste domingo em Chapecó
Ciclista é transferido de helicóptero para Chapecó após sofrer acidente
Mãe promove macarronada para pagar tratamento do filho em Chapecó
Posto de saúde do Alto da Serra é entregue à comunidade
Mulher cai de prédio em construção no Centro de Chapecó