Preparador físico Robson Gomes sobre estrutura da Chape: condição espetacular

Profissional fala sobre a pré-temporada do clube do Oeste

A pré-temporada da Chapecoense começou apenas na última quinta-feira (3), mas falta somente uma semana para a estreia do representante do Oeste na Série A do futebol catarinense de 2019. O primeiro desafio do Verdão será no próximo dia 17, diante do Marcílio Dias, às 21h, na Arena Condá.

Para compensar o tempo curto de preparação, a comissão técnica comanda treinos em dois turnos e atividades com bola desde domingo. A Chape fez o último jogo em 2018 no dia 2 de dezembro e, por isso, não pôde iniciar os trabalhos antes do dia 3 de janeiro. A equipe verde-branca foi a última de Santa Catarina a se despedir da temporada passada.

O preparador físico Robson Gomes, que já trabalhou em times como Cruzeiro, Coritiba, Goiás, Cerro Porteño e na seleção da Arábia Saudita, atendeu a imprensa nesta semana. Entre as pautas abordadas, o ritmo dos treinamentos, a estrutura oferecida pela agremiação e o risco de lesões que é sempre constante no futebol. Confira o que disse o profissional de 54 anos.

ESTRUTURA

"Felizmente, o clube nos possibilita uma condição espetacular. Temos todos os aliados para esse início de temporada. Quando soube que viria, conhecia superficialmente a Chapecoense e não esperava a condição ofertada pela diretoria. Ficamos supersatisfeitos com tudo que encontramos e também com o interesse da diretoria na melhoria. É claro que os atletas sofrem um pouco no começo, mas já foi mais dolorido no passado. Hoje, você trabalha com uma integração de todos os setores. Todos os trabalhos não são dissociados, já sofrem uma carga com bola desde o início. Provavelmente vão iniciar a competição os que estiverem com maior dosagem".

FÉRIAS

"Era prudente que os jogadores aproveitassem as férias, porque esse período foi merecido pelo esforço que os atletas fizeram nos jogos finais. Mas, muitos jogadores nos procuraram para fazer um trabalho de sustentáculo para que chegassem, como chegou a maioria, em um nível muito bom para o início de temporada. Isso nos dá uma expectativa muito grande em relação ao ano. Sempre tem um atleta que foge um pouco da curva, mas aí entra o nosso trabalho, de equacionar a situação".

LESÕES

"O futebol é um esporte de lesão, são movimentos involuntários e, além deles, tem o adversário. Isso pode estar sujeito à lesão. Cada treinamento tem a sua importância e isso faz cada pilar de acréscimo para que, no início da competição, cheguemos com os atletas praticamente no ponto. Temos todos os controles de dosagem de carga, de trabalho, para que o atleta renda o mínimo possível para cada atividade sequencial".

AMISTOSOS

"O amistoso acaba te roubando três períodos: o dia anterior, o do amistoso e o seguinte. Então, acho interessante colocar jogo-treino progressivo, mas tem que ter tempo e, infelizmente, não temos esse ano. O melhor para nós é aproveitarmos os treinamentos que temos".

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Desinchando! Chapecoense reduz o grupo de jogadores para o segundo semestre
Tragédia da Chape: Senado irá convocar autoridades da Bolívia e da Colômbia para audiência
Confira as datas e os horários dos próximos jogos da Chape: nenhum no domingo à tarde
Comissão do Senado debate situação das famílias das vítimas do acidente com a Chapecoense
Chapecoense empata com Metropolitano, mas mantém liderança no Catarinense Sub-20
Executivo da Chape, Drummond pede atenção ao penúltimo passe na volta aos treinos
Ney Franco aposta no trabalho da parada para a Chapecoense reagir no Brasileirão
Insatisfeito com a campanha no Brasileirão, presidente da Chape fala em limpar o ambiente
Chape empata com o Flu e vai para a pausa da Copa América no Z4 do Brasileirão
Suspensão preventiva revogada! João Ricardo pode voltar a jogar pela Chapecoense