Produtor rural de Xanxerê inova na produção de leite na região

Expectativa é que a produção seja de 30 litros de leite ao dia por vaca

- Publicidade -
 

Na Linha Medianeira, há 13 km de Xanxerê, está a propriedade de Ari Foletto Junior e sua família, onde predomina a lavoura e o gado de leite.

Atualmente, eles possuem 45 vacas holandesas – 24 em lactação, cinco secas e 16 novilhas prenhas, com uma produção de aproximadamente 24 litros de leite por dia, mas com o novo plano de negócios, o produtor estima atingir uma produção de 30 litros.

>> Leia mais reportagens de economia <<

O gosto pelo negócio motivou o administrador de empresas e produtor rural Ari, de 31 anos, a buscar estratégias para investir na produção de leite – setor que seu pai pretendia deixar de lado para focar somente na produção de grãos.

Após participar do Programa Negócio Certo Rural, desenvolvido pelo Sebrae/SC e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Santa Catarina (Senar) com a parceria do Sicredi, desenvolveu o plano de negócios, visando implementar o Compost Barn – estrutura formada por uma grande área coberta de descanso para vacas leiteiras, revestida com cama de serragem e esterco compostado.

Segundo o produtor, que fornece leite para a Nestlé, a participação no Negócio Certo Rural foi motivada justamente para verificar a viabilidade e o retorno do investimento que totalizou aproximadamente R$ 420 mil em recursos próprios e financiados.

“O treinamento foi excelente e oportunizou investimentos e inovação na propriedade.”, ressalta. Ari conta que buscou conhecimento sobre esse sistema (criado por produtores de leite norte-americanos em meados da década de 80) e com o plano de negócios, constatou que era viável.

“Além de ganharmos em produção de leite, ganharemos em produção de grãos também”, declara.

A propriedade tem valor sentimental muito grande. “Passou de geração para geração. Foi do meu bisavô materno e passou para meu avô que faleceu há dois anos. Fiquei um tempo fora e voltei há quatro anos para ajudar meu pai. Tomei a frente dos negócios na parte do leite e hoje comemoramos a implantação do Compost Barn.

Com o planejamento, meu pai ficou responsável pela lavoura e eu com a parte de gado de leite. Dessa forma, ninguém fica sobrecarregado e trabalharemos de forma organizada”, conclui Foletto Junior.

O produtor pretende permanecer na propriedade e investir, sua meta é que depois de dois anos de implantação do novo negócio, a produção de cada animal  fique entre 35 a 40 litros.

Para o coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, a adoção de novas tecnologias na  propriedade de Foletto Junior leva em consideração  fatores que maximizam a produção e minimizam os custos.

“A constante avaliação dos indicadores resultam em ganhos em produtividade e qualidade e definem a tecnologia a ser usada. O empresário rural demonstra claramente, neste caso, que na escolha da tecnologia a gestão dos resultados é fundamental, permitindo que no conjunto cada vez mais o oeste se diferencie e conquiste espaço na produção de leite.”, declara.

Nova estrutura

O barracão onde as vacas ficam tem 40 m de comprimento por 24 m de largura e comporta 53 animais com 12 metros de cama para cada um. A estrutura foi planejada para ser ampliada e trazer a sala de ordenha anexa ao espaço.

O ambiente também conta com sistema de controle de temperatura, confinamento e aspersão de água para promover o bem-estar. “Com isso, é possível proporcionar aos animais um local confortável, limpo e que resulta em produtividade e sanidade do rebanho, além de maior qualidade do leite.”, enfatiza Foletto Junior.

O consultor credenciado ao Sebrae/SC e ao Senar/SC, responsável por ministrar o Negócio, Lorival Zanluchi, realça que ao implantar uma inovação tecnológica na cadeia produtiva do leite, é fundamental uma análise criteriosa para que o investimento tenha resultados positivos.

 “O programa Negócio Certo Rural é formado por curso e consultorias que auxiliam na compreensão do planejamento e administração dos pequenos negócios, visando selecionar ideias e analisar a viabilidade do investimento”, explica.

Segundo o analista técnico do Sebrae/SC, Eduardo Sganzerla, a iniciativa contribui para a melhoria da gestão das atividades praticadas nas propriedades, auxiliando no aumento da renda.

Também incentiva os jovens a investirem nos negócios da família ou em oportunidades de trabalho capazes de fixá-los nas suas propriedades.

O programa Negócio Certo Rural é composto por 46 horas divididas em cinco encontros de 8 horas, mais seis horas de consultoria.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Rede Café Cultura aposta em Chapecó para abrir novas franquias
Ministério da Agricultura e ABPA reagem a decisão da União Europeia
Em Chapecó, mais de 30 mil ainda não declararam o IR
BRF pode voltar a exportar carne de frango para União Europeia
Brasil Sul Franchising será marcada por palestras e negócios
Preço do cesto básico cai R$ 13 em abril
Caixa anuncia redução de juros para crédito imobiliário
Dez hábitos para sobrar dinheiro no fim do mês
Exportação de carne catarinense é ampliada na China e em Hong Kong
Preços dos medicamentos terão aumento de até 2,84%