Quero resgatar o DNA e a essência da Chape, diz Mano, candidato da oposição

Chapa Renovação apresenta propostas antes das eleições

Após tentativas frustradas para a formação de chapa única, haverá disputa eleitoral na Chapecoense nesta segunda-feira. Dois blocos se inscreveram dentro prazo e estão aptos a concorrer. A chapa Renovação, que representa a oposição, apresentou na tarde desta quarta-feira (5) os seus integrantes de forma oficial, em entrevista coletiva para a imprensa, no hotel Mogano Premium.

O candidato a presidente do conselho administrativo pela chapa Renovação é Cezar Antonio Dal Piva, o Mano, dissidente da atual direção, onde atua como diretor das categorias de base. No Verdão desde 2013, quando aceitou convite do então presidente Sandro Pallaoro – uma das vítimas da tragédia aérea de 2016 na Colômbia –, Mano decidiu se aliar à oposição por discordar da forma como a direção, comandada por Plínio David De Nes Filho, o Maninho, gere o clube.

“Aceitei o desafio por que quero resgatar o DNA e a essência desse clube que tantas lições deu ao mundo do futebol sobre como os sonhos se tornam possíveis”, disse Mano em sua carta de apresentação como concorrente à presidência. Ele ressaltou que o objetivo da Renovação era fazer uma composição com a chapa da situação, Juntos Pela Chape. As duas chapas divergiram em relação aos cargos e, por isso, não houve acordo.

Mano compôs a mesa na apresentação da chapa, nesta quarta-feira, ao lado de Érico Tormen, candidato a presidente do conselho deliberativo, e Maurício Zolet, que será o diretor de Administração e Finanças em caso de vitória da Renovação. Os oposicionistas carregam a bandeira da transparência, honestidade, competência e democracia. “Não temos acessos a números do clube”, lamentou Zolet.

Técnico e executivo

A Renovação quer tornar as informações da agremiação mais acessíveis aos membros do Conselho Deliberativo. A chapa promete que até mesmo decisões relacionadas ao futebol, como contratação e demissão de técnicos, passarão por análise dos conselheiros antes do negócio ser efetivado.

A oposição já estuda nomes para as funções de treinador e executivo de futebol. Um dos preferidos para a casamata é Claudinei Oliveira, que livrou a Chape do descenso. Para comandar a montagem do elenco, cogita-se o ex-diretor verde-branco João Carlos Maringá.

Orçamento e questão jurídica

Pelas mudanças nos critérios de distribuição das cotas da TV, a chapa de oposição acredita que a Chapecoense vai ganhar R$ 20 milhões a mais em direitos de transmissão. Neste ano, recebeu R$ 32 milhões. Mesmo assim, a ideia é diminuir os custos do clube em 30%, aproveitando mais os jogadores da base.

As questões jurídicas envolvendo o desastre com o voo da Chape também foi pauta na coletiva. A Renovação diz que vai formar uma comissão de advogados voluntários para cuidarem deste assunto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Começa o rodízio na Chapecoense. Reservas encaram o Metropolitano
Luciano Gusso valoriza entrega da Chape e projeta evolução da equipe
Avaí larga na liderança do Catarinense. Chape e Figueira dividem o 2º lugar
Wellington Paulista salva a Chapecoense! Vitória na estreia: 1 a 0
Nenén pendura chuteiras, vai trabalhar na base da Chape e terá jogo de despedida
Missão da Chape no Catarinense: buscar neste ano o que perdeu em 2018
Dois empates abrem o Catarinense. Primeira rodada termina nesta quinta
Rodízio de time, estreia, objetivo, contratações. Confira o que diz o técnico da Chape
Chapecoense promove posse festiva de diretoria
Saiba como estão os adversários da Chape no Campeonato Catarinense