Reunião debate melhorias no aeroporto e a rota do milho

Representantes das associações comerciais da região Oeste participaram de encontro em Chapecó

- Publicidade -
 

Representantes das 14 Associações Comerciais e Industriais (ACIs) que integram a Vice-Presidência Regional Oeste da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) participaram de plenária em Chapecó.

O encontro foi coordenado pelo vice-presidente Regional Oeste, Maurício Zolet, e contou com a participação do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e do coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Parmeggianni.

O prefeito Buligon apresentou dados e falou sobre as melhorias no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso. Segundo ele, um projeto apresentado em março prevê o aumento do terminal de passageiros em 120%, com capacidade para oito aeronaves.

>>> Últimas notícias

“Para isso, existem recursos de R$ 10 milhões do governo federal. O convênio está sendo formatado com o Governo do Estado”, frisou. Com a ampliação, Buligon enfatizou a necessidade de criar um ambiente jurídico para a concessão do aeroporto para a iniciativa privada. 

Neste ano também houve a homologação da Cabeceira 29 e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) elevou a categoria do aeroporto de cinco para categoria seis de segurança.

“Subimos na categoria e na credibilidade. Isso é importante porque o aeroporto é uma peça fundamental da região para atrair novos investimentos. A união de forças, como o apoio da Facisc nas demandas que se referem ao aeroporto, é essencial para avançarmos com as melhorias que necessitamos”, salientou Buligon.

Rota do Milho

A “Conexão Transfronteiriça – A Nova Rota do Milho”, um importante canal de oportunidades para o transporte de grãos, integrando Paraguai, Argentina e Santa Catarina, foi apresentada pelo coordenador regional oeste do Sebrae. 

A Rota do Milho oportunizará a liberação de transporte através de balsas sobre o Rio Paraná, na localidade de Mayor Julio Otaño (Paraguai), Eldorado (Argentina), com entrada em Santa Catarina via Porto Seco de Bernardo de Irigoyen em Misiones (Argentina) e Dionísio Cerqueira (Santa Catarina). Outra passagem entre São Pedro (Misiones/AR) e Paraíso (Santa Catarina) também possui ações em andamento para  atender as demandas. 

Parmeggiani realçou que o corredor viabilizará o crescimento do agronegócio e que o processo desencadeado tem fases para seu aperfeiçoamento e fluidez. A primeira etapa conquistada foi a autorização da concessão da entrada do produto paraguaio pela Argentina, cujo fato já está consolidado.

Para Zolet, o aeroporto e o fornecimento de milho para a cadeia de produção de suínos e aves para as agroindústrias da região são dois assuntos fundamentais.

Além desses temas, os representantes das ACIs discutiram outras demandas do Oeste para levar à reunião de planejamento da Facisc, no dia 30 de novembro, em Florianópolis.

Zolet assumiu a coordenação da Vice-Presidência Regional Oeste em setembro e essa foi primeira reunião da nova gestão. Entre as demandas que merecem destaque, ele cita a questão de infraestrutura.

“É uma pauta tradicional do Oeste. Precisamos de melhorias nas rodovias, no aeroporto e a construção de ferrovias. Durante nosso mandato, vamos ter a infraestrutura como a principal bandeira”, finalizou.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Fort Atacadista vai inaugurar loja em Chapecó na próxima semana
Lac Lélo abre capital societário para acelerar crescimento
Exportações de carne suína chegam a 278,3 mil toneladas no 1º semestre
Cesto de produtos básicos custa R$ 1,3 mil neste mês em Chapecó
Colaboradores da BRF aprovam suspensão de contratos em Chapecó
Micro e pequenas empresas contribuem para amenizar os impactos da crise
Bilhetes da Loteria Federal apresentam pontos turísticos de Chapecó
Chapecó entre as 30 melhores cidades do Brasil em desenvolvimento socioeconômico
Anúncios sobre reestruturação feitos pela BRF causam preocupação na cidade e no campo
Produtores de noz-pecã participam de encontro técnico