Reunião debate melhorias no aeroporto e a rota do milho

Representantes das associações comerciais da região Oeste participaram de encontro em Chapecó

- Publicidade -
 

Representantes das 14 Associações Comerciais e Industriais (ACIs) que integram a Vice-Presidência Regional Oeste da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) participaram de plenária em Chapecó.

O encontro foi coordenado pelo vice-presidente Regional Oeste, Maurício Zolet, e contou com a participação do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e do coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Parmeggianni.

O prefeito Buligon apresentou dados e falou sobre as melhorias no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso. Segundo ele, um projeto apresentado em março prevê o aumento do terminal de passageiros em 120%, com capacidade para oito aeronaves.

>>> Últimas notícias

“Para isso, existem recursos de R$ 10 milhões do governo federal. O convênio está sendo formatado com o Governo do Estado”, frisou. Com a ampliação, Buligon enfatizou a necessidade de criar um ambiente jurídico para a concessão do aeroporto para a iniciativa privada. 

Neste ano também houve a homologação da Cabeceira 29 e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) elevou a categoria do aeroporto de cinco para categoria seis de segurança.

“Subimos na categoria e na credibilidade. Isso é importante porque o aeroporto é uma peça fundamental da região para atrair novos investimentos. A união de forças, como o apoio da Facisc nas demandas que se referem ao aeroporto, é essencial para avançarmos com as melhorias que necessitamos”, salientou Buligon.

Rota do Milho

A “Conexão Transfronteiriça – A Nova Rota do Milho”, um importante canal de oportunidades para o transporte de grãos, integrando Paraguai, Argentina e Santa Catarina, foi apresentada pelo coordenador regional oeste do Sebrae. 

A Rota do Milho oportunizará a liberação de transporte através de balsas sobre o Rio Paraná, na localidade de Mayor Julio Otaño (Paraguai), Eldorado (Argentina), com entrada em Santa Catarina via Porto Seco de Bernardo de Irigoyen em Misiones (Argentina) e Dionísio Cerqueira (Santa Catarina). Outra passagem entre São Pedro (Misiones/AR) e Paraíso (Santa Catarina) também possui ações em andamento para  atender as demandas. 

Parmeggiani realçou que o corredor viabilizará o crescimento do agronegócio e que o processo desencadeado tem fases para seu aperfeiçoamento e fluidez. A primeira etapa conquistada foi a autorização da concessão da entrada do produto paraguaio pela Argentina, cujo fato já está consolidado.

Para Zolet, o aeroporto e o fornecimento de milho para a cadeia de produção de suínos e aves para as agroindústrias da região são dois assuntos fundamentais.

Além desses temas, os representantes das ACIs discutiram outras demandas do Oeste para levar à reunião de planejamento da Facisc, no dia 30 de novembro, em Florianópolis.

Zolet assumiu a coordenação da Vice-Presidência Regional Oeste em setembro e essa foi primeira reunião da nova gestão. Entre as demandas que merecem destaque, ele cita a questão de infraestrutura.

“É uma pauta tradicional do Oeste. Precisamos de melhorias nas rodovias, no aeroporto e a construção de ferrovias. Durante nosso mandato, vamos ter a infraestrutura como a principal bandeira”, finalizou.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

193 vagas no Balcão Municipal de Empregos de Chapecó
Shopping abre 120 vagas temporárias em Chapecó
Inflação no ano é de 2,5%, o menor resultado acumulado desde 1998
Exportações de carne suína faturam 14,97% mais do que no último ano
Poupança tem melhor resultado para novembro em quatro anos
Cinco características mais procuradas pelas empresas
13º salário injetará R$ 150 milhões na economia de Chapecó
Filipinas anuncia reabertura do mercado de carnes para o Brasil
Programa de Assistência Rural na produção de leite é tema de debate em Chapecó
Agrosimulador para ficar de olho na plantação