Rodrigo Goulart
1820 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Chegou a hora de intensificar o apoio ($$$) à Chapecoense, torcedor!

- Publicidade -
 

O grupo de jogadores tem potencial técnico, a comissão liderada por Umberto Louzer é muito competente. Enfim, a equipe de trabalho da Chapecoense tem qualidades e ficará mais forte com a estreia iminente de atletas e a saída de outros do departamento médico. Aliás, o Verdão já se fortaleceu nas últimas partidas com a liberação de alguns do DM.

A Chape possui certos destaques individuais, com rodagem interessante no futebol, porém, o grande expoente é a vontade de vencer. Já é de domínio público a dificuldade financeira enfrentada pela diretoria. Não consegue honrar os pagamentos em dia, muito por culpa da péssima gestão dos últimos anos que praticamente inviabilizou o clube – mas isso, agora, não vem ao caso.

Há jogadores com 17 meses de direito de imagem – item correspondente a 40% do salário – atrasados. Mesmo assim, não se viu corpo mole. Pelo contrário, sobrou disposição, entrega, doação, atributos testemunhados não apenas na conquista do título catarinense, mas na belíssima campanha até aqui na Série B do Brasileiro também.

O técnico Umberto Louzer recebeu propostas para sair. Segundo o presidente Paulo Magro, foram duas e para receber o dobro de seus vencimentos atuais. Optou em permanecer. Foi guerreiro também. A Chape é feita por guerreiros. Só vinga na Arena Condá quem tem esse espírito.

Direção e equipe vem se dedicando bastante no dia a dia, e a razão da existência de um clube de futebol é o torcedor. Dessa forma, a nação verde-branca deve reconhecer o empenho dos profissionais e dos dirigentes da Chapecoense. Como? Associando-se. Tal recado vale também para quem deixou de pagar a mensalidade.

A Chapecoense chegou a ter praticamente 15 mil sócios torcedores pagando em dia. Hoje, de acordo com informações publicadas no site da agremiação, na aba "transparência", são 6.925. E tenho dúvidas se todos estão pagando, pois teve um mês, já durante a pandemia, que a receita dos sócio foi de apenas R$ 180 mil.

Alguém pode dizer: “Ah! Mas não dá para ir ao estádio”. Futebol se faz com grana, “páia”, “pele”. Precisa a torcida apoiar para poder viver, novamente, momentos de alegria igual ao de domingo. O Verdão é meu, seu, nosso!

Em tempo: A foto da nota mostra uma tirada de onda por parte da Chape: “SC tem dono”. Quem ganha título pode zoar, com respeito, lógico. Não houve desrespeito.

DEIXE SEU COMENTÁRIO