Cezar da Luz
184 ARTIGOS
Cezar da Luz é gaúcho de São Gabriel, aquerenciado há 40 anos em Chapecó. Na imprensa é colunista do Diário do Iguaçu/Folha de Chapecó e há 16 anos apresenta o programa Chama Nativa na Rádio Super Condá Am 610. Também é pesquisador e palestrante da história e cultura gaúcha.

Há 170 anos morria Anita Garibaldi – A Heroína de Dois Mundos

- Publicidade -
 

O dia 4 de agosto marca os 170 anos da morte da catarinense Ana Maria de Jesus Ribeiro, a Anita Garibaldi. Diga-se de passagem, imortal na memória daqueles que valorizam sua história, seus exemplos e ideais. Anita, que lutara pela República Catarinense ou Juliana proclamada há 180 anos, em 29 de julho 1839, Revolução Farroupilha, Uruguai, mesmo muito doente, não queria abandonar as batalhas em solo italiano. Lado a lado ao marido Giuseppe Garibaldi peleava pela unificação da Itália. Próximo a Ravenna, aos 28 anos, não resistiu e morreu em 4 de agosto de 1849.

Uma mulher à frente do seu tempo, uma guerreira que talvez seja mais valorizada na Itália do que em seu próprio pais. Seu corpo, após seis sepultamentos, em 1932, foi sepultado na Colina Gianícolo, em Roma. Foi erguido um belíssimo monumento em homenagem, valorizando os feitos gloriosos da grande Heroína de Dois Mundos.


Polêmica do nascimento

Ana Maria de Jesus Ribeiro, segundo alguns, teria nascido em Lages e há alguns anos a peleia foi grande com a cidade de Laguna pelo registro de nascimento da heroína. Pelo que me consta, a própria Anita quando foi oficializar seu casamento com o italiano em Montevideo, no Uruguai, declarou-se natural de Laguna. Sobretudo, todos os brasileiros devem se orgulhar desta guerreira do nosso país. A maioria historiadores aponta que Anita nasceu no município de Laguna, em 30 de agosto 1821.


Heroína da Pátria

A lei nº 12.615, de 30 de abril de 2012, inscreve o nome de Anita Garibaldi – Ana Maria de Jesus Ribeiro – no Livro dos Heróis da Pátria – depositado no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília. Também constam como heróis, junto a Anita, os gaúchos Sepé Tiaraju, Plácido de Castro e o mineiro Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, entre outros. O livro de aço registra perpetuamente os nomes dos brasileiros e de grupos de brasileiros que tenham dado a vida pela pátria “defendendo ou construindo com dedicação e heroísmo”.


Anita Garibaldi em poesia e música

Certa feita, em um Galpão Crioulo apresentado em Chapecó, assisti Marlene Pastro interpretar brilhantemente estes versos:

Na beira da praia na longínqua Itália

Anita contempla as ondas do mar

A mão poderosa de louro pirata

Levou-a pra longe da terra natal


(Anita morena da pele macia

Amante de noite soldado de dia

Um filho no braço no outro um fuzil

Um filho no braço no outro um fuzil)


Guerreira farrapa guerreira uruguaia

Guerreira italiana rolando na cama

Guerreira farrapa guerreira uruguaia

Nos braços de um homem com cheiro de mar


Anita menina da verde Laguna

Mulher farroupilha legaste tua fibra

Fizeste tuas filhas a todas mulheres

A todas mulheres do Sul do Brasil

Um filho no braço no outro um fuzil

DEIXE SEU COMENTÁRIO