Bruno Pace Dori
163 ARTIGOS
Formado em Comunicação Social pela Unochapecó, Bruno Pace Dori tem mais de 10 anos de experiência na área do jornalismo e assessoria. É editor de Política do Diário do Iguaçu e traz informações que são destaque em Chapecó e Santa Catarina.

Indefinição sobre o rodízio na Câmara de Chapecó

- Publicidade -
 

Ninguém sabe o que vai acontecer na presidência da Câmara de Chapecó. Tradicionalmente, cada vereador fica um ano no comando. Como Arestide Fidelis (PSB) renunciou após quatro meses e Ildo Antonini (DEM) assumiu antes do tempo, não se tem confirmação se ele vai ficar até maio do próximo ano e depois abrir espaço para o atual vice, Diego Alves (PP), ou seguirá como presidente até o fim de 2020. É provável que um acordo seja feito até lá, mas hoje a tendência é que Antonini fique até o final do mandato como presidente do Legislativo.

O mandato de presidente e vice da Mesa Diretora nos Poderes Legislativos é de dois anos. Em Chapecó, desde 2009 há um acordo para que cada presidente fique um ano, abrindo espaço para seu vice. Desde então, o Legislativo foi comandado por Márcio Sander (2009 e 2013), Valdemir Stobe (2010 e 2015), Itamar Agnoletto (2011 e 2018), Américo do Nascimento Júnior (2012), Ildo Antonini (2014 e desde maio de 2019), João Marques Rosa (2016), Valmor Scolari (2017) e Arestide Fidelis (janeiro a abril de 2019). A atual legislatura vai até 31 de dezembro de 2020.

DEIXE SEU COMENTÁRIO