Andréa Leonora
312 ARTIGOS
Jornalista com mais de 30 anos de experiência, passou pelos jornais A Notícia, Diário Catarinense, Gazeta Mercantil e Indústria&Com;ércio. Tem matérias publicadas também em O Globo e Folha de São Paulo. Atuou na Assessoria de Imprensa da Petrobras, no Rio de Janeiro, e, em Santa Catarina, na área de Comunicação da Celesc, da Eletrosul e da Assembleia Legislativa. É editora da Coluna Pelo Estado desde 2010 e coordenadora de Integração Editorial da ADI-BR

Operação Apaga Incêndio

Parece nome de operação da área da Segurança Pública, mas, na verdade, trata-se de uma operação interna do MDB para construir o consenso para a presidência do partido, sem deixar de contemplar todas as lideranças envolvidas. A costura política é o foco dos emedebistas no trato interno, na medida em que se aproxima a convenção que elegerá o novo Diretório estadual e sua Executiva.

Nessa terça-feira (14), a bancada estadual recebeu o presidente de honra do partido, ex-senador e ex-governador Casildo Maldaner. Ele ouviu os apelos dos deputados para que, com sua experiência e bom trânsito, auxilie na conciliação de interesses em favor da união. Na prática, querem que Casildo tente aproximar todos os até agora pré-candidatos - seu irmão e deputado federal Celso Maldaner, o também deputado federal Carlos Chiodini e o senador Dário Berger.

A conversa fluiu bem durante a reunião-almoço. Casildo chegou a anunciar que pretende ter a cooperação do ex-governador Eduardo Moreira nessa operação. Moreira, aliás, antecipou sua volta de Londres para esta sexta-feira (17). Estará por aqui no final de semana que promete muitas rodadas de conversações. Até porque, a inscrição de chapas para a convenção, marcada para 1º de junho, se encerra em pouco mais de uma semana, no dia 23.

Na foto, Casildo conta um de seus causos ao vice-presidente da Assembleia, deputado Mauro de Nadal, e ao líder da bancada, deputado Vampiro. | Foto: Evory Pedro Schmitt


Visita institucional

O presidente da Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGás), Willian Anderson Lehmkuhl (à direita na foto), primeiro funcionário de carreira da companhia a assumir o cargo, fez uma visita, ontem, à sede da Central de Comunicação/Associação de Diários do Interior. Ele foi recebido pelo vice-presidente da ADI-SC, Adriano Kalil, que explicou um pouco da estrutura da entidade, da trajetória de 30 anos da Central de Comunicação e do momento de transição de meio físico para o meio digital dos jornais. Lehmkuhl reconheceu a importância de se ter uma entidade que ajude a organizar o segmento, especialmente agora, em que é intensa a transformação nas formas de comunicação. “O que chancela uma notícia é ela ser publicada na mídia tradicional”, valorizou Lehmkuhl. | Andréa Leonora/CNR-SC

Ainda o MDB Na reunião de ontem, o líder da bancada estadual do MDB, deputado Luiz Fernando Vampiro, também sugeriu que nas conversas sobre a Executiva sejam contemplados o colega Fernando Krelling, que chegou a ter seu nome lançado à presidência do MDB, e ao menos mais um deputado estadual. Outra sugestão é que, no mínimo, um prefeito emedebista de cada microrregião tenha participação entre os 71 integrantes do diretório, que já tem 19 membros natos, entre detentores de mandato s na Assembleia e no Congresso, além de ex-presidentes do partido. O interesse de todos é retomar firmemente o relacionamento com as bases do partido, que cresceu e se tornou o que é hoje justamente na força dos pequenos e médios municípios catarinenses.

Eletrosul Deputada Luciane Carminatti (PT), que criou a Frente Parlamentar em Defesa da Eletrosul, elogiou a união dos parlamentares catarinenses, estaduais e federais, agora com o reforço do próprio governador Carlos Moisés, na luta pela manutenção da sede estatal em Santa Catarina. O objetivo da Eletrobrás é que a Eletrosul, superavitária, seja incorporada pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), do Rio Grande do Sul, que vive graves dificuldades.

Processo obscuro Depois da audiência pública sobre o tema, realizada na segunda-feira (13), Luciane foi ao procurador-chefe do Ministério Público Federal (MPF), Marcelo da Mota, que contou já estar atento ao assunto. Inclusive, acaba hoje o prazo para que a Eletrosul encaminhe uma série de respostas solicitadas por Mota e que até ontem não haviam sido enviadas. Para a parlamentar, a falta de transparência é absoluta. Atinge não só os trabalhadores, mas também o Conselho de Administração, os sócios minoritários e, agora, até o MPF.

DEIXE SEU COMENTÁRIO