Bruno Pace Dori
392 ARTIGOS
Formado em Comunicação Social pela Unochapecó, Bruno Pace Dori tem mais de 10 anos de experiência na área do jornalismo e assessoria. É editor de Política do Diário do Iguaçu e traz informações que são destaque em Chapecó e Santa Catarina.

Passagem de Carlos Moisés pro Chapecó deixou marcas positivas

- Publicidade -
 

A passagem do governador Carlos Moisés na sexta-feira (21) por Chapecó deixou marcas muito positivas, não apenas pela inauguração da nova ala do Hospital Regional do Oeste (HRO) e do novo quartel do Corpo de Bombeiros Militares, mas, principalmente, pela liberação de R$ 25 milhões para o novo Contorno Viário, que ligará a SC-283 à BR-282. Lembrando que a Aurora e a Alfa estão investindo quase R$ 1 bilhão na ampliação de suas indústrias, o que gera emprego e renda, portanto, a rodovia é uma contrapartida necessária para o escoamento da produção.

Além dos R$ 25 milhões para o novo Contorno, outros atos foram assinados por Carlos Moisés, que asseguram R$ 1 milhão em investimentos para a região. A Casan renovou o convênio com o Consórcio Iberê para as ações de recuperação e conservação de matas ciliares. O ato permite o repasse de R$ 431,6 mil para continuidade do trabalho. Houve ainda liberação de R$ 266 mil em financiamento do Badesc para drenagem na galeria da avenida General Osório. Com emendas do deputado estadual Altair Silva (PP) foram liberados mais R$ 300 mil.

Foram R$ 100 mil para reforma e adequações na praça Marcelino Champagnat, no bairro Santa Maria; R$ 100 mil para o município de Mondaí ,será feito recapeamento asfáltico na rua Capivara, enquanto em Seara, mais R$ 100 mil,que será aplicado na pavimentação das ruas Luiza Zanoello e Jacila Garghetti. Já em sua passagem por Xaxim, Carlos Moisés anunciou investimentos de cerca de R$ 8,4 milhões no município. São recursos para as áreas de infraestrutura, desenvolvimento social, esportes, cultura e ainda para o setor rural.

Na inauguração do quartel do Corpo de Bombeiros, em Chapecó, o governador Carlos Moisés foi vaiado por manifestantes – praças militares – que cobram a reposição salarial dos agentes de segurança pública. O protesto é legítimo e o local para isso também, porém, acredito que é um pouco injusto com um governo que tem somente um ano. A perda salarial vem de anos. Só no ano passado, Moisés pagou R$ 750 milhões de dívidas na área da saúde herdade de gestões passadas e cortou 2 mil cargos comissionados. Ou seja, está colocando antes a casa em ordem.

DEIXE SEU COMENTÁRIO