Rodrigo Goulart
1753 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Presidente da Chape não se opõe a jogo único, na casa do Avaí, se não houver datas suficientes

- Publicidade -
 

Em entrevista para o Debate Diário, da Rádio CBN, de Florianópolis, nesta segunda-feira (25), o presidente da Chapecoense, Paulo Magro (foto), disse que não irá se opor se a Federação Catarinense de Futebol decidir fazer o mata-mata da Série A do Estadual em jogo único. Nesse caso, o Verdão enfrentaria o Avaí na capital, pelo fato de o Leão da Ilha ter melhor campanha.

Porém, a concordância da Chape só viria se, realmente, não houvesse datas. Importante deixar claro que a FCF não fala, publicamente, em subtração de jogos para se adequar ao calendário afetado pela pandemia. A hipótese foi levantada em pergunta do jornalista Roberto Alves ao mandatário verde-branco durante o programa.

A julgar pela realidade nacional do novo coronavírus, a Federação Catarinense de Futebol terá o tempo necessário (seis datas) para concluir a Série A do Estadual sem mudar o regulamento. Afinal, não se tem uma ideia de quando a CBF poderá retomar a Copa do Brasil e iniciar os Brasileiros.

O cenário da covid-19 é muito diferente de uma região para outra. Então, talvez seja possível realizar os mata-matas do Catarinão com partidas de ida e volta em todas as fases – quartas de final, semifinal e final.

Agora, se houvesse uma luz no fim do túnel no que se refere a calendário nacional, a preferência deveria ser para o início dos campeonatos brasileiros. Estadual, falando especificamente do Catarinense, é deficitário. Já defendi o encerramento do Catarinão do jeito que está, ou seja, anulação.

Mas, repito, a incógnita em relação aos torneios da CBF possibilitará a retomada do certame barriga-verde. Porém, deve-se analisar a situação de Concórdia e Tubarão. A melhor decisão seria excluir o rebaixamento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO