Rodrigo Goulart
1779 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Presidente da Chapecoense revela recusa para vender mando de campo contra gigantes

- Publicidade -
 

Além da atuação do time da Chapecoense, foi muito triste ver, na derrota em casa para o Atlético-MG, os imensos vazios nas arquibancadas da Arena Condá. O público de 2,6 mil torcedores, registrado naquele domingo à noite (14), é o menor até o momento na Série A do futebol brasileiro deste ano. Verdade que o tempo prejudicou a torcida, mesmo assim a assistência foi decepcionante.

O torcedor da Chapecoense precisa voltar ao estádio, na esperança de ver a equipe reagir. A diretoria vai dar uma oportunidade a Emerson Cris, atendendo um pedido de muitos torcedores. Quantas torcidas neste Brasil gostariam de estar no lugar da do Verdão, ou seja, figurar na Série A do Brasileiro? Apesar da má campanha, o fã da Chape é um privilegiado. Portanto, aproveite.

Na coletiva desta semana, o presidente da Chapecoense, Maninho De Nes, revelou que o clube recebeu propostas para levar o mando de campo a outras cidades. Inicialmente, não disse o nome dos times, mas, após a entrevista, o dirigente revelou: Corinthians, Flamengo e Palmeiras. A Chape recusou em respeito ao seu torcedor, mesmo com a garantia de um grande incremento na receita.

1 COMENTÁRIO(S)

  1. Olá Rodrigo. A Chapecoense, assim como os demais clubes, precifica seus ingressos atendendo ao conceito que é chamado na economia de "maximização dos lucros". De maneira formal, os dirigentes sempre reforçam o interesse de tornar o torcedor sócio, mas se esquecem de algo: a Chapecoense, já faz muito tempo, quebrou as barreiras de fãs concentrados apenas em Chapecó. Para os torcedores de outras cidades, em meio a crise que vivemos, não parece ser uma opção ir a mais que um jogo da Chape por mês, em virtude de gastos como gasolina e alimentação. Logo, ser sócio não é uma possibilidade. No entanto, para um único jogo, o valor do ingresso costuma ser muito alto, sobretudo em um cenário em que a família vai para apreciar o duelo. Essas ponderações são necessárias para se entender um pouco mais o lado do torcedor, principalmente aquele que não reside em Chapecó. Abraço.

DEIXE SEU COMENTÁRIO