Rodrigo Goulart
1614 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Rebaixada, Chape ao menos termina Série A com dignidade

- Publicidade -
 

Fecha a conta e passa a régua. A temporada de 2019 do futebol brasileiro chegou ao fim neste fim de semana. A Chapecoense se despediu da Série A com empate frente ao Vasco (1 a 1), neste domingo (8), no Maracanã lotado. No que pese o descenso, terminou a competição com dignidade. Sobre o Verdão, uma temporada turbulenta dentro e fora de campo. A direção acertou no varejo e errou no atacado.

No mundo da bola, principalmente em um campeonato de movimentação financeira elevada, o erro custa muito caro. O rebaixamento trará, ou melhor, já traz consequências negativas à Chape. A queda combinada com uma administração marcada por más decisões implica em dívidas que obrigam a diretoria a se virar nos 30. Um ano de aprendizado, mas a conta não precisava ser tão alta para aprender, né caros dirigentes? Vamos em frente, sempre acreditando que tudo irá melhorar.

Primeiro tempo

Em partida que nada vale é assim: jogador tenta o drible, um passe mais difícil e o lançamento longo sem o receio de errar. Vimos até toque de letra na saída de jogo, com a marcação em cima. Não à toa, houve erros perto das respectivas grandes áreas, mas que não foram aproveitados. Faltou qualidade por parte das duas equipes. No fim da segunda etapa, o duelo ficou truncado, bastante faltoso. Para a frustração do torcedor, que lotou o Maracanã, o Vasco passou em branco diante da rebaixada Chapecoense.

Segunda etapa

O duelo se tornou mais movimentado no segundo tempo. Chances foram criadas pelos dois times, inclusive com lances bonitos. Sem pressão pelo resultado, a bola dificilmente queima no pé, ou seja, fica mais fácil de jogar. Em um embate tranquilo, sobrou espaço, inclusive, para uma lambança do Maurício Ramos, que cometeu pênalti ao colocar a mão na bola. Mas a Chape não desistiu e chegou ao empate com o jovem Vini Locatelli, deixando a tarde de domingo menos feliz para os 67.395 cruzmaltinos ao estádio.

DEIXE SEU COMENTÁRIO