Bruno Pace Dori
85 ARTIGOS
Formado em Comunicação Social pela Unochapecó, Bruno Pace Dori tem mais de 10 anos de experiência na área do jornalismo e assessoria. É editor de Política do Diário do Iguaçu e traz informações que são destaque em Chapecó e Santa Catarina.

Sergio Moro diz que visita superou suas expectativas

O ministro Sergio Moro esteve sexta-feira (7) em Chapecó, onde realizou uma visita técnica ao Complexo Penitenciário, considerado modelo no Brasil. Ele estava acompanhado pelo governador Carlos Moisés, pela vice-governadora Daniela Reinehr, prefeito Luciano Buligon, deputados e outras lideranças.

Moro demorou mais de duas horas para conhecer toda a estrutura: Penitenciária Agrícola, Penitenciária Industrial e os Presídios Masculino e Feminino. A experiência de ressocialização de presos catarinense será recomendada para todo o País. O ministro ficou impressionado com a estrutura do Complexo.

À imprensa, Moro deixou claro: “superou minhas expectativas”. Ele parabenizou os empresários que aceitaram a possibilidade de investir no sistema prisional. Conforme o ministro, isso demonstra que a união entre o poder público e o setor privado pode dar bons resultados, como o observado em Chapecó.

São 862 presos trabalhando com 23 empresas. Conforme Moro, o Departamento Penitenciário Nacional, que é ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, vai divulgar e disseminar a prática. Parte do salário vai para um fundo de investimento do próprio sistema penal. Foram R$ 24 milhões somente em 2018.

Convênio

O governador e o secretário de Estado da Justiça, Leandro Lima, lançaram chamamento público para atrair empresas interessadas em ofertar oportunidades aos presos da unidade. Ainda, Moisés e Buligon assinaram convênio para a aquisição de até 10% do consumo, por parte do município, da horta do Complexo.

Os alimentos serão usados para abastecer a rede de assistência social e os programas de segurança alimentar e nutricional. Constam da lista, alface, repolho, cenoura, beterraba, batata doce, couve-flor, cebola, feijão preto e aipim, para atender até 23 mil refeições diárias em creches, escolas e restaurantes populares.

DEIXE SEU COMENTÁRIO