Cezar da Luz
179 ARTIGOS
Cezar da Luz é gaúcho de São Gabriel, aquerenciado há 40 anos em Chapecó. Na imprensa é colunista do Diário do Iguaçu/Folha de Chapecó e há 16 anos apresenta o programa Chama Nativa na Rádio Super Condá Am 610. Também é pesquisador e palestrante da história e cultura gaúcha.

Tadeu dos Santos: Destaque tradicionalista

- Publicidade -
 

De tempos em tempos temos destacado de forma especial alguns tradicionalistas que em nosso entendimento merecem que a sua trajetória tradicionalista seja reconhecida e até mesmo sirvam de incentivo aos mais jovens.

Desta feita, o destaque é Ervino Tadeu Ferrari dos Santos, mais conhecido como Tadeu dos Santos. Ele nasceu em Bom Sucesso, distrito de Soledade (RS), em 29 de agosto de 1954. Aos 12 anos de idade iniciou suas atividades como tropeiro e fazia de quatro a cinco viagens por mês levando tropas para as cidades de Encantado, Bento Gonçalves e Santa Cruz – todas no RS.

Nestas andanças estava sempre acompanhado pelo seu pai e iam a cavalo por cerca de 21 dias de viagem tropeando uma média de 130 animais – geralmente acompanhavam a tropeada sete adultos e uma criança (na época, seu Tadeu), o qual lhe rende muitas lembranças nos dias de hoje.

Nesta época integrou as invernadas do CTG Marciano Brum, de Soledade. Aos 19 anos, em Cruz Alta, fez parte do CTG Querência da Serra no elenco artístico. Assim, servia o quartel e dançava no referido CTG disputando rodeios por todo Estado.

Em 1973, teve a oportunidade de dançar na cidade de Cruz Alta ao canto de Paixão Côrtes. 

Após ter saído do quartel, foi para a cidade de Carazinho, integrou a invernada adulta do CTG Rincão Serrano, ganhando vários títulos pelo referido CTG.

Em 1976, iniciou uma nova etapa na cultura gaúcha: a de instrutor de danças no CTG Pedro Vargas, em Carazinho. Foi campeão do Rodeio de Bagé, campeão do Rodeio de Espumoso, campeão do Rodeio de Lagoa Vermelha e em vários rodeios, mas foi em janeiro de 1978, no Rodeio Internacional da Vacaria, que sua invernada mirim chegou ao ápice, levantando o troféu de campeã.

Além de instrutor, era membro da patronagem tendo por sua responsabilidade o Programa Roda de Chimarrão – que ia ao ar todos os domingos ao meio-dia (um programa ao vivo). 

Após longa data, assumiu o departamento de danças do CTG Alfredo D’Amore, também de Carazinho, obtendo várias conquistas na região.

Em 1989, a convite da patronagem do então Grupo de Artes Nativas Herança Gaúcha, que hoje é conhecido por CTG Herança Gaúcha, mudou-se com sua família para a cidade de Chapecó, onde veio para ser instrutor de dança.

Em dezembro de 1990, devido ao grande empenho, a invernada mirim do Grupo de Artes Nativas Herança Gaúcha foi convidada a representar o Brasil no Festival Internacional de Danças Folclóricas na Argentina. Fato que marcou a cidade de Chapecó na ocasião.

Em 1991, em novo desafio, mudou-se para a cidade de Palmitos onde assumiu o elenco artístico do CTG Porteira do Oeste e, juntamente com sua família, foi responsável pela criação dos elencos artísticos do CTG Rincão Folhas Verdes, da cidade de Caibi; CTG Amigos da Querência, da cidade de São Carlos; CTG Gildo de Freitas, da cidade de Riqueza; CTG Sentinela do Uruguai; da cidade de Mondaí, onde foram vários rodeios disputados e vários títulos conquistados.

No Congresso Estadual da Cultura Gaúcha, na cidade de Santa Cecília, foi responsável pela implantação da carteirinha de identidade tradicionalista – que perdura até hoje.

Voltando para Chapecó no ano de 2000, conheceu Elmira Pessoa (Nica) – constituindo assim uma nova família, onde trabalhou como empresário de bandas e conjuntos gaúchos por um período de cinco anos.

Em 2011, devido ao seu histórico tradicionalista, foi convidado a integrar a invernada veterana do CTG Vaqueanos do Oeste, disputando os rodeios da Vacaria, Espumoso e Maravilha.

No ano de 2013, aceitou um grande desafio: ser patrão do CTG Índio Conda e foi assim, com muito trabalho e seriedade, que se levanta a estrutura física deste CTG, cria-se o departamento artístico e renasce uma nova história. Neste período integrou também a ACCTG com cargos e funções de grande expressão. Hoje, Tadeu, ao lado da mulher Nica, é o patrão de honra do CTG Índio Condá e trabalha de radialista como apresentador de programa gaúcho.

Este é Tadeu dos Santos. Por sua trajetória, um grande destaque tradicionalista.



DEIXE SEU COMENTÁRIO