Rodrigo Goulart
1488 ARTIGOS
Jornalista da editoria de esporte, Rodrigo aborda os lances da rodada e o que acontece no esporte do Estado. Visão crítica e apurada de quem entende do assunto.

Tarefa para Ney Franco na Chapecoense: colocar as peças certas nos lugares certos

- Publicidade -
 

O técnico Ney Franco afirma que a Chapecoense trilha o caminho correto. Ufa! Já pensou o treinador dizer que está tudo errado? Além de causar desânimo entre os torcedores, iria depor contra o seu trabalho. O time verde-branco tem condições de evoluir.

Após a derrota para o Flamengo, o treinador disse que faltam “ajustes finos” e que estas melhorias serão feitas. O tal ajuste fino passa, diretamente, por decisões do comandante verde-branco, principalmente a escalação. Colocar as peças certas nos lugares certos.

Renato não aproveitou as chances. Experimente outro, Ney. A fila precisa andar. Rildo já está pronto. Não questiono totalmente a titularidade de Alan Ruschel, mas como armador não dá. Fez boa parceria com Diego Torres contra o Internacional. Por que não a reeditar?

Bryan sentiu o peso de jogar no Maracanã diante de 61 mil pessoas. Foi a estreia do lateral na equipe titular e logo em um dos maiores templos do futebol mundial. Difícil não tremer a perna. Tiepo cometeu falhas nos dois primeiros jogos como dono da meta, depois deslanchou.

Se Renato ganhou mais de uma oportunidade, por justiça Bryan também merece. Já quebrou o gelo. O ideal seria a recuperação de Eduardo em tempo para enfrentar o Fortaleza no domingo.

Sem contar com Eduardo, a minha Chape teria: Tiepo; Bryan, Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Augusto, Diego Torres e Alan Ruschel; Rildo e Everaldo.

Régis fica como carta na manga para o segundo tempo. Reposição no banco faz diferença.

DEIXE SEU COMENTÁRIO