Ivan Carlos Agnoletto
610 ARTIGOS
Ivan Carlos Agnoletto é radialista e colunista esportivo do Diário do Iguaçu. Em 40 anos de atuação na imprensa de Chapecó, Ivan já narrou mais mil partidas da Chapecoense.

Volta em alta rotação

- Publicidade -
 

Vi vários jogos pelas séries A e B no fim de semana. Os atletas voltaram com fome de bola. Jogos brigados, disputados lance a lance. Vimos vários e belos gols. Podemos afirmar que a volta, apesar de não ter público nos estádios, foi em alto estilo. A lamentar apenas um grande número de infectados pelo novo coronavírus. Até mesmo um jogo foi adiado, São Paulo x Goiás. Mas, assim como tudo na vida, passa. Daqui a pouco esta pandemia passará. Quanto aos resultados de sua passagem? Só o tempo responderá.

Dois jogos em casa

Em Campeonato Brasileiro é preciso pontuar sempre, não interessa se no início, meio ou fim da tabela. Jogando em casa, aumenta a obrigação de vitória. Teoricamente e pela lógica do futebol, jogos fora de casa são sempre mais difíceis. Por isso, a importância em fazer valer o mando de campo. Se fizer sua parte nos próximos dois jogos em casa, a Chapecoense dará um salto na tabela de classificação. De novo, o técnico do Verdão terá dificuldades para montar um time. Lesões, covid-19, falta do melhor condicionamento físico e até mesmo a falta de jogadores em algumas posições. Vai ter que continuar tirando leite de pedra.

Lances

- Umberto Louzer ganhou uma bela opção para a ala esquerda.

-Pelo pouco tempo em que esteve em campo, Rafael Santos passou boa impressão.

- Na ala direita, o Ezequiel vem subindo de produção jogo a jogo.

- A zaga vem se entendendo cada vez mais.

- Falta acertar do meio para frente.

- Daqui a pouco, Tiago Ribeiro poderá ser o pensador e articulador no meio como quarto homem.

- É preciso ter paciência. Os meninos também vêm correspondendo.

- A lamentar as lesões. Guedes vinha jogando muito como primeiro volante. Ronei não comprometeu.

1 COMENTÁRIO(S)

  1. Boa tarde, Senhor Ivan Carlos. Meu nome é Juan Carlos Vallejo, moro en Medellín, Colombia e sou professor, alem de representante de la "corporação de fraternidade La Unión - Chapecó", que foi criada em 2016, logo após a queda do avião Chapecoenese em minha cidade (La Unión). Quero falar com você sobre um projeto de livro que estamos realizando para o ano de 2021, com o qual pretendemos estreitar os laços entre as pessoas dos dois municípios.Em ano 2017 eu estive no Chapecó e fale com varias pessoas lá, entre eles com journalista Rafael Henzel (q.e.p.d), gerentes de club Chapecoense, prefeito Sr. Buligom, entre outros. Deixo o meu numero de celular e e- mai, para qualquer contato. Obrigado

DEIXE SEU COMENTÁRIO