14 Bis é reaberto após uso de artefato pirotécnico em Chapecó

Liberação se deu após a formalização de Termo de Ajustamento de Conduta com a Prefeitura de Chapecó

- Publicidade -
 

Nesta sexta-feira (11) o 14 Bis voltou a abrir as portas para o público em Chapecó. A casa noturna havia sido interditada pelo Prefeito de Chapecó após o uso de artefatos pirotécnicos no dia 27 de setembro.

>> Últimas notícias <<

Em nota, a casa de show informou que a liberação se deu após a formalização de Termo de Ajustamento de Conduta com a Prefeitura de Chapecó e anuência do 6º Batalhão de Bombeiros Militar. 

“Ressaltamos à comunidade em geral o nosso compromisso em garantir a segurança e bem estar do nosso cliente”, complementa em nota. A nota informou, ainda, que o show da dupla Victor Hugo foi reagendado para o dia 1º de dezembro. 

Relembre

No dia 28 de setembro o a casa de show 14 Bis foi advertida e, em seguida, interditada pelo uso de artefatos durante uma apresentação. Em cumprimento à Lei Municipal nº 6.368, de 22 de fevereiro de 2013, que proíbe o uso de fogos de artifício, sinalizadores, show pirotécnico com fogos de qualquer espécie e similares em boates, bares, teatros, auditórios, clubes e demais locais fechados públicos e/ou privados destinados a eventos, o Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon determinou, no dia 4 de outubro a imediata interdição do 14 Bis Bar. 

De acordo com a prefeitura, o despacho foi encaminhado à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEDUR) para execução, com o suporte necessário da Procuradoria Geral do Município.
 
Ciente, também, do conteúdo do Ofício-NR 494-2019, emitido pelo 6º Batalhão de Bombeiros Militares de Santa Catarina, a prefeitura de Chapecó considerou os seguintes itens para interditar, de forma imediata, o estabelecimento:
 
- Informação vinda do 6º Batalhão de Bombeiros Militares de Chapecó de que se trata de episódio reincidente;
 
-Vídeo e reportagem extraídos de website que demonstram a utilização de artefatos pirotécnicos em ambiente fechado, caracterizando a Casa Noturna em questão;
 
-A possibilidade da realização de um novo show no local sem a garantia do cumprimento da Legislação Municipal.

Contraponto 

Em contato com um dos sócios-proprietário do 14 Bis, Luiz Henrique Giaretton, ele informou que o uso de artefatos pirotécnicos não foi da casa, mas sim da banda que desobedeceu o contrato que impede o uso deste tipo de material no estabelecimento.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Empresários são condenados por tentativa de fraude à licitação em Chapecó
Sete cidades do Oeste vivem epidemia de Dengue
Pacientes com Covid-19 agora irão receber visitas virtuais no Hospital de Xanxerê
Unochapecó faz capacitação para professores da região
Empresa levanta 80% de valor bloqueado por conta da Covid-19 em recuperação judicial
Acidente com caminhão e carreta é registrado em Cordilheira Alta
Mercadorias importadas ilegalmente são apreendidas em Chapecó
Acidente entre dois veículos deixa um ferido em Seara
Xanxerê tem primeira morte por coronavírus
São Miguel do Oeste tem 13 novos casos de coronavírus