Agronegócio responde por 70% das exportações catarinenses em 2019

De janeiro a junho deste ano, as vendas internacionais de carnes, produtos de origem vegetal e florestal geraram um faturamento de US$ 3,14 bilhões no Estado

- Publicidade -
 

Agronegócio de Santa Catarina encerra o primeiro semestre com ampliação da presença internacional e alta nas exportações. O setor respondeu por 70% de todo faturamento com as exportações catarinenses nesse período, gerando receitas que passam de US$ 3,14 bilhões. 

>> Últimas notícias <<

O agronegócio segue aumentando os embarques e já registra um crescimento de 21% em relação ao mesmo período do último ano. Os números são divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

De janeiro a junho deste ano, as vendas internacionais de carnes, produtos de origem vegetal e florestal geraram um faturamento de US$ 3,14 bilhões para Santa Catarina. O crescimento nos embarques do agronegócio supera até mesmo a média catarinense. Enquanto as exportações catarinenses aumentaram 10,7% em comparação com o primeiro semestre de 2018, o agro ampliou em 21% suas receitas.

"O agronegócio catarinense vive um bom momento, demonstrando sua força na economia do estado. Os resultados das exportações no primeiro semestre mostram um setor preparado para competir nos mercados mais exigentes e capaz de fornecer alimentos de qualidade para todo o mundo. Temos grandes oportunidades pela frente e nosso agronegócio está preparado para conquistar cada vez mais espaço no mercado internacional", destaca o secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural,a, Ricardo de Gouvêa.

O carro-chefe das exportações catarinenses continua sendo os produtos de origem animal, principalmente as carnes. Em seis meses, o estado embarcou 1,04 milhão de toneladas de carnes, ovos e produtos apícolas, gerando receitas de US$ 1,84 bilhão. O valor corresponde a 58,7% do total das exportações do agronegócio e por 40,8% da pauta de exportações catarinenses.

O grande diferencial do setor agropecuário catarinense está no cuidado com a defesa e saúde animal. O estado se tornou referência internacional em sanidade agropecuária, sendo reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação e área livre de peste suína clássica. São esses os atributos que dão acesso aos mercados mais competitivos do mundo.

Produtos florestais

Nos primeiros seis meses de 2019, os embarques de madeira, móveis, papel e celulose tiveram um faturamento de US$ 708,9 milhões, 3,5% a mais do que no mesmo período de 2018. O setor responde por 15,7% das exportações catarinenses e por 22,5% do faturamento com as exportações do agro.

Produtos de origem vegetal

Este foi o único setor que apresentou queda nas receitas em relação ao primeiro semestre do ano passado. Os embarques de grãos, frutas e tabaco responderam por 13,2% das exportações catarinenses em 2019, faturando mais de US$ 595,1 milhões.

As exportações de produtos de origem vegetal foram menores devido à diminuição nas vendas internacionais de itens importantes como a soja, maçã e tabaco.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Prêmio da mega sena acumula e pode pagar R$ 21,5 milhões
Caixa aberta no sábado para retirada do FGTS
ACIC faz mudanças no cerimonial do Empresário do Ano de Chapecó
Receita Federal envia cartas a cerca de 330 mil contribuintes
Santa Catarina amplia as exportações de carne suína para a China
Palestra debaterá superendividamento e financeirização do consumo em Chapecó
Limite para compras em free shops e também no Paraguai vai aumentar
BRF abre inscrições para programa de trainee 2020
88% dos MEIs criados há dois anos continuam ativos
Startup de Chapecó é selecionada para participar de reality show