Alesc deve votar mais dois projetos sobre benefícios fiscais

Setores que não foram atendidos na primeira revisão dos benefícios estão entre as propostas que serão analisadas ainda em 2019

- Publicidade -
 

A Assembleia Legislativa do Estado (Alesc) deu início a uma nova fase na votação de projetos que tratam dos benefícios fiscais. Na última quarta-feira (27), os deputados aprovaram a conversão em lei da Medida Provisória (MP) 226/2019, que trata principalmente da isenção de ICMS para os defensivos agrícolas. Pelo menos mais dois projetos sobre o assunto devem ser votados até o fim do ano. A matéria aprovada na quarta segue para sanção do governador Carlos Moisés (PSL).

Segundo o presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Alesc, deputado Marcos Vieira (PSDB), a conversão da MP beneficiou os defensivos agrícolas com alíquota zero de ICMS, pelo menos até 30 de abril de 2020, data limite para a vigência do convênio do Confaz que permite aos estados dar isenção do imposto a esses produtos. No entanto, outros setores também foram beneficiados, como as carnes suínas e de aves, arroz, farinhas de trigo, milho, arroz e mandioca, trigo e erva mate.

::: Participe do nosso grupo de WhatsApp :::

Vieira destacou a inclusão da erva mate no texto da conversão em lei da MP. Segundo ele, o setor vinha enfrentando dificuldades com a concorrência dos produtos fabricados no Paraná e no Rio Grande do Sul, que pagavam alíquota de 7%, enquanto a erva catarinense recolhia 12%. “Conseguimos reverter isso na MP e agora todo o setor da erva mate catarinense passa a pagar 7% de ICMS, com efeito retroativo desde 1º de agosto”, disse o deputado. “O faturamento das empresas estava caindo e muitos trabalhadores do setor estavam sendo demitidos.”

Outros dois projetos de lei sobre benefícios fiscais seguem em tramitação na Alesc: os PLs 435/2019 e 458/2019, ambos de autoria do Poder Executivo. O primeiro, conhecido como PL do Rescaldo, restitui incentivos de setores que não haviam sido atendidos na primeira etapa de revisão dos benefícios, concluída no primeiro semestre.

::: Acompanhe as últimas notícias de Chapecó e região :::

O outro projeto trata de segmentos que já tiveram seus benefícios restituídos, como a cerâmica vermelha, os pré-moldados e as telas soldadas. “Se tiver que fazer adequações nesses projetos, vamos fazer. Vamos reunir os setores, convidar o secretário Paulo Eli para discutir e acertar toda essa situação, e votar esses projetos até o fim do ano”, garantiu Vieira.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Pedido de criação da CPI do Nepotismo ganha força em Chapecó
Ex-prefeito e ex-secretário de Mondaí são condenados por cobrança de “dízimo” de comissionados
Deputados se reúnem no Dnit para tratar sobre rodovias federais do Oeste
PP de Chapecó elege nova comissão executiva
Promotores conversam com estudantes sobre corrupção
Acamosc elege nova diretoria para a gestão 2020
Prefeito Glauber Burtet assume presidência da Amosc
PP de Chapecó realiza convenção municipal neste sábado (7)
Governo do Estado libera R$ 8 milhões para obras na região do Alto Uruguai
Luciano Buligon faz balanço das ações deste ano e projeções para 2020