Alesc deve votar mais dois projetos sobre benefícios fiscais

Setores que não foram atendidos na primeira revisão dos benefícios estão entre as propostas que serão analisadas ainda em 2019

- Publicidade -
 

A Assembleia Legislativa do Estado (Alesc) deu início a uma nova fase na votação de projetos que tratam dos benefícios fiscais. Na última quarta-feira (27), os deputados aprovaram a conversão em lei da Medida Provisória (MP) 226/2019, que trata principalmente da isenção de ICMS para os defensivos agrícolas. Pelo menos mais dois projetos sobre o assunto devem ser votados até o fim do ano. A matéria aprovada na quarta segue para sanção do governador Carlos Moisés (PSL).

Segundo o presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Alesc, deputado Marcos Vieira (PSDB), a conversão da MP beneficiou os defensivos agrícolas com alíquota zero de ICMS, pelo menos até 30 de abril de 2020, data limite para a vigência do convênio do Confaz que permite aos estados dar isenção do imposto a esses produtos. No entanto, outros setores também foram beneficiados, como as carnes suínas e de aves, arroz, farinhas de trigo, milho, arroz e mandioca, trigo e erva mate.

::: Participe do nosso grupo de WhatsApp :::

Vieira destacou a inclusão da erva mate no texto da conversão em lei da MP. Segundo ele, o setor vinha enfrentando dificuldades com a concorrência dos produtos fabricados no Paraná e no Rio Grande do Sul, que pagavam alíquota de 7%, enquanto a erva catarinense recolhia 12%. “Conseguimos reverter isso na MP e agora todo o setor da erva mate catarinense passa a pagar 7% de ICMS, com efeito retroativo desde 1º de agosto”, disse o deputado. “O faturamento das empresas estava caindo e muitos trabalhadores do setor estavam sendo demitidos.”

Outros dois projetos de lei sobre benefícios fiscais seguem em tramitação na Alesc: os PLs 435/2019 e 458/2019, ambos de autoria do Poder Executivo. O primeiro, conhecido como PL do Rescaldo, restitui incentivos de setores que não haviam sido atendidos na primeira etapa de revisão dos benefícios, concluída no primeiro semestre.

::: Acompanhe as últimas notícias de Chapecó e região :::

O outro projeto trata de segmentos que já tiveram seus benefícios restituídos, como a cerâmica vermelha, os pré-moldados e as telas soldadas. “Se tiver que fazer adequações nesses projetos, vamos fazer. Vamos reunir os setores, convidar o secretário Paulo Eli para discutir e acertar toda essa situação, e votar esses projetos até o fim do ano”, garantiu Vieira.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Receita Federal libera os 50 respiradores retidos para Santa Catarina
Governador vistoria obras da SC-467 entre Jaborá e Ouro
Carlos Moisés entrega dez respiradores ao HRO nesta sexta-feira (29)
Vereador sugere barreiras sanitárias em Chapecó
Deputados pedem a cassação do mandato de Jessé Lopes
Ministro determina que Weintraub esclareça declarações feitas em reunião ministerial
Ex-prefeito de Chapecó tem bens bloqueados
Região da Amosc planeja ações conjuntas de combate à pandemia
Respiradores comprados da Veigamed podem não servir para uso em UTI
João Rodrigues é absolvido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina