Campeã e artilheira! Chapecoense Débora Vanin é destaque no futsal da Itália

Atleta passa férias na casa dos pais antes de encarar nova temporada

- Publicidade -
 

Rodrigo Goulart

esportes@diariodoiguacu.com.br

Débora Vanin trocou Chapecó pela pequena cidade italiana de San Donato, nos arredores de Milão, uma das maiores cidades do país, no fim de 2017. Após um período de adaptação, a chapecoense se tornou uma das principais jogadoras do Kick Off C5, time de futsal feminino.

Revelada pela Female/Unochapecó/PMC, ela brilhou na temporada 2018/19 e vai ficar pelo menos mais uma na “Terra da Bota”, onde terá um desafio pessoal: defender a artilharia do Campeonato Italiano. A ala direita, 23 anos, marcou 49 gols na última edição do certame.

Outro objetivo de Débora, chamada de Miúda pelos amigos, será manter a hegemonia da sua equipe na Copa da Itália. A atleta do Oeste catarinense ajudou o Kick Off C5 a conquistar grandes resultados neste ano. Além desse título, o time foi vice-campeão europeu (torneio não oficial) e ficou entre os quatro primeiros colocados no Italiano.

Além de campeã da Copa da Itália, Débora também foi escolhida a melhor jogadora da competição. “Esta talvez foi a minha melhor temporada em toda a minha carreira”, avalia. O bom desempenhou rendeu o convite para continuar no Kick Off C5 em 2019/20, proposta aceita.

A goleadora passa férias na casa dos pais Roberto e Sirlei em Chapecó desde a metade de junho e voltará à Europa na próxima quarta-feira (14). Um período bom de descanso e para rever também os irmãos Gustavo, 27 anos, e Lucas, 8, antes de uma temporada que promete, mais uma vez, ser bastante exigente para Débora.

O calendário do Kick Off C5 consiste na disputa do Campeonato Italiano e, se ficar entre os melhores da primeira fase, da Copa da Itália. A equipe também entrará em quadra para a Copa das Copas, torneio que reunirá os vencedores das copas da Itália, Espanha, Rússia e Ucrânia. Com um detalhe: será em San Donato.

A estrutura é um dos trunfos do time da região da Lombardia. Débora Vanin conta que o elenco dispõe de um centro esportivo, o Kick Off, que tem como sócio o presidente e técnico da equipe e oferece, entre outros espaços, academia e refeitório.

Se depender da vontade de vencer de Débora, o Kick Off C5 subirá a pódios novamente. A chapecoense quer se continuar se destacando no “Velho Continente” para atrair os olhares da comissão técnica da seleção brasileira. A última convocação dela foi para a Copa América de 2017, que teve o Brasil como campeão.


Orgulho de ser chapecoense

Nascida em Chapecó, Débora Vanin é torcedora da Associação Chapecoense de Futebol. Ao saberem de onde ela é, as novas companheiras de equipe não economizaram perguntas sobre o Verdão, clube que ficou mundialmente conhecido após a tragédia aérea de novembro de 2016 na Colômbia, que aconteceu quando a delegação viajava para a final da Copa Sul-Americana.

“Perguntaram se eu conhecia alguém (envolvido no desastre) e como está o time agora. Falo que a cidade respira a Chape”, comenta. “Fiz uma foto no San Siro (maior estádio da Itália e que fica em Milão) com um cachecol da Chapecoense”, acrescenta. Débora lembra que ia com o pai Roberto à Arena Condá ver os jogos do Verdão. O irmão Gustavo foi goleiro da base da Chape e chegou a fazer parte do grupo profissional.

 

Mudança de ambiente

Há mais de um ano e meio na Itália, Débora Vanin já se adaptou ao idioma, ao clima, ao estilo de vida e a forma de jogar no país. “O modelo de jogo é um pouco diferente, mas com a ajuda das companheiras, entre elas três brasileiras, consegui me adaptar. Fui muito bem recebida, lá são muito amigáveis. Estou super bem na cidade. Estou estudando italiano, já consigo me virar”, conta a chapecoense, a propósito, descendente de italianos.

Encarar o inverno rigoroso foi algo desafiador para a atleta de Chapecó no início, mas também teve o lado bom. “Vi a neve pela primeira vez”, destaca Débora. Se o frio é de “rachar as mãos”, como diz a jogadora, o verão da Itália está longe de ser considerado ameno. “Abafado. É muito quente, mais que em Chapecó”, compara Débora.

 

Lembranças do gramado

A chapecoense manda bem também nos gramados. Débora Vanin viveu uma experiência positiva ao tentar a sorte no futebol e não descarta trocar a quadra pelo campo no futuro.

Ela jogou competições com a camisa da Chapecoense – representada pela Female – e do Kindermann, de Caçador, mostrou talento e foi convocada para a seleção brasileira sub-20. Vestindo a amarelinha, a atleta conquistou o título sul-americano em 2014, no Uruguai.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Após festa da torcida na chegada do time, Concórdia volta aos treinos para decidir a Segundona
Felipe Tozzo conquista segundo lugar em etapa do Mercedes-Benz Challenge
Parabéns, Galo do Oeste! Concórdia goleia Barroso e volta à Série A do Catarinense
Concórdia enfrenta o Almirante Barroso para buscar vaga à final da Segundona e à elite estadual
Xaxim está na contagem regressiva para receber a fase Oeste da Olesc
Pista onde ocorreu acidente com morte é vistoriada por comissão de automobilismo em Chapecó
Concórdia começa neste mês a defender a hegemonia na Liga Nacional de Handebol Feminino
Concórdia afirma que golpista pediu R$ 70 mil para o Almirante Barroso entregar jogo
Confederação Brasileira de Automobilismo vistoria pista de Chapecó após acidente fatal
Jogador de futsal do Corinthians é morto em Erechim. Suspeito pelo assassinato é preso