Chapecó aparece como 5ª cidade do país na geração de empregos, segundo Caged

Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho são referentes aos quatro primeiros meses de 2020, quando a cidade teve saldo de 1,5 mil vagas

- Publicidade -
 

A cidade de Chapecó voltou a se destacar nacionalmente no ranking de criação de empregos. Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e divulgados pelo Ministério da Economia, mostram que nos primeiros quatro meses de 2020, a capital do Oeste registrou um saldo acumulado do ano de 1,5 mil vagas de empregos.


Com o resultado, a cidade aparece no 5º lugar geral na geração de empregos, fazendo parte de um grupo de 18 municípios brasileiros com saldo positivo, deixando para trás grandes capitais e cidades do mesmo porte.


Os setores que mantiveram o maior número de empregados nestes quatro meses, foram a construção civil, serviços de saúde e principalmente o da indústria de transformação, que de 5.544 admissões, teve 3.951 demissões e obteve um saldo de 2.345 vagas de empregos mantidas.


Para o Prefeito Luciano Buligon, o detalhamento dos dados mostra que Chapecó segue se destacando pela sua principal vocação econômica. “Hoje, 78% de tudo que se produz no Município vem da indústria, vem do agronegócio. E ela foi a responsável por manter nestes primeiros meses do ano a empregabilidade e os novos investimentos. Isso fez com que a gente se tornasse a cidade que mais produz proteína suína do Brasil, reforçando que toda a cadeia da indústria e do agronegócio seguem gerando bons resultados para a nossa economia”, reforça Buligon.

 

Efeitos da pandemia sentidos a partir de abril


Mas os efeitos da pandemia de coronavírus também podem ser visualizados nos dados. No comparativo com outros municípios em Santa Cataria, Chapecó apresentou um ótimo desempenho entre janeiro e março com saldo positivo entre admissões e demissões. A diferença está no mês abril onde foi possível observar os primeiros impactos da pandemia, quando a cidade apresentou uma variação no saldo de -1,93%.


Apesar disso, o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Arthur Badalotti Smaniotto, explica que abril ter apresentado dados de geração de emprego abaixo da média e até mesmo com saldo negativo, ao analisarmos o cenário de forma mais ampla é possível observar que encerramos um ano e iniciamos outro com um acumulado positivo no número de postos de trabalho.


“Terminamos 2019 com mais de 81 mil empregos formais e começamos 2020 com números positivos, gerando mais de 1.500 novas vagas de emprego. Com isso, somos a única cidade, entre as treze maiores do Estado, com saldo positivo na geração de vagas de trabalho neste primeiro quadrimestre do ano”, explica o Secretário.


Outro fator que precisa ser considerado neste cenário e que foi fundamental para impulsionar a geração de empregos nestes primeiros meses, foi o crescimento de 20% no número de abertura de empresas em Chapecó, comparado ao mesmo período de do ano passado. O saldo em 2019 neste mesmo período foi de 792, já em 2020 foi de 1.023.


Para o prefeito Buligon, mais uma vez o agronegócio será o grande responsável por manter e recuperar a econômica e postos de trabalho em Chapecó. “Por ser considerada um serviço essencial, ou seja, em nenhum momento as atividades pararam, a cadeia do agronegócio será a responsável pela nossa recuperação, já que este setor segue em aquecimento, mantendo e em muitos casos aumentando a empregabilidade”, salienta o Prefeito.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Economia empresarial: conheça as 6 principais crises das empresas
Pequenos negócios apresentam sinais de lenta reação diante da pandemia, diz pesquisa do Sebrae
Bons preços compensaram perdas da safra de verão em SC
BRDE abre inscrições para apoio a projetos por meio de incentivos fiscais
72% das exportações catarinenses foram do agronegócio
Índice de confiança do consumidor chapecoense aumenta 9,60% de junho para julho
Planos de telefonia móvel reduzem custos das empresas em até 80%
Bares e restaurantes: 5 dicas para organizar o estabelecimento na pandemia
Fapesc prorroga inscrições para programa de pré-incubação de ideias
Concórdia quer ser um dos principais destinos turísticos do interior catarinense