Chapecó tem quatro casos de Influenza confirmados

Dados do último boletim Epidemiológico da Dive mostram que SC já contabiliza 32 casos. Vacina está disponível na rede municipal de saúde

A cidade de Chapecó tem quatro casos confirmados de Influenza. Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde, três casos foram confirmados para Influenza A (H1N1) e um caso confirmado de Influenza B.


Além das confirmações, nove casos suspeitos tiveram resultado negativo e outros seis pacientes aguardam o resultado de exames.


No ano de 2018, Chapecó teve 15 casos confirmados de Influenza A, um caso de Influenza B, pacientes identificados com vírus sazonais chegaram a 22, além de 30 casos negativos.


A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Karina Giachin explica que os quatro casos confirmados foram de pacientes hospitalizados, sendo um paciente uma criança, outro um adulto e outros dois idosos.


“Chama a atenção que eles fazem parte do público alvo da vacinação, o que reforça a importância de a população contemplada pela campanha procurar a imunização”, diz.


Sobre a doença, Karina explica que os subtipos mais graves são a Influenza A (H1N1 e H3N2) e a Influenza B, que são os tipos que a vacina oferecida pelo SUS protege. “A Influenza A, principalmente a H1N1, é responsável por 75% das infecções, onde acabamos registrando os casos mais graves”, pontua.

 

Casos começaram mais cedo

 

A coordenadora conta que a campanha de Vacinação anualmente é feita no início do outono, antes do inverno, justamente para imunizar os grupos mais vulneráveis e ter tempo para a vacina proteger o paciente.


“Sempre esperamos um aumento no número de casos no inverno, mas neste ano os primeiros casos foram confirmados ainda no outono e esta é uma situação preocupante. Por isso a vacinação é importante”, enfatiza. O número de casos da doença tende a ser maior no período de maio a setembro.


Karina conta que nos casos onde há suspeita de alguma síndrome gripal, o médico imediatamente inicia o tratamento com o medicamento adequado. Mas muitos acabam sendo subtipos mais brandos da doença.


Os sinais e sintomas, em geral, são:

Febre alta

Calafrios

Tosse, que pode ser seca ou com expectoração

Dor de cabeça

Dor de garganta

Cansaço

Dor muscular

Coriza

 

Campanha de vacinação


Neste ano, a campanha de vacinação contra a Influenza segue até o dia 31 de maio. Em Chapecó, as vacinas estão disponíveis em todos os 26 Centros de Saúde de Família (CSF). Conforme a Prefeitura de Chapecó, a cobertura vacinal já alcança 65%. Ao todo, a meta é vacinar durante a campanha 59.232 pessoas.


O público alvo da campanha são pessoas com 60 anos ou mais, crianças entre 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes,  puérperas, trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

 

Vacinação é a melhor forma de prevenção


A vacina contra a Influenza é uma das medidas mais efetivas na prevenção. As doses aplicadas durante as campanhas nacionais são trivalentes, com antígenos purificados de duas cepas do tipo A e uma B.

 

Reações


Conforme a Prefeitura, as vacinas da influenza sazonais são bem toleradas e seguras, compostas  por vírus inativados, não contêm vírus vivos e não causam a doença. O mais comum são as reações locais, como dor no local da injeção, eritema e enduração que ocorrem em até 20% dos casos, resolvidos em 48 horas. Reações sistêmicas como febre, mal-estar e mialgia, podem começar de 6 a 12h após a vacinação e persistir por um a dois dias, identificadas em menos de 10% dos vacinados.

 

 

Situação em Santa Catarina

 

Dados do último boletim epidemiológico da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), divulgado dia 10 de maio mostram que de 30 de dezembro de 2018 a 10 de maio de 2019 Santa Catarina contabiliza 32 casos confirmados da síndrome respiratória aguda grave (SRAG).


A cidade que contabiliza mais casos é Blumenau, com seis. Depois vem Florianópolis e Chapecó com 4 casos; Itajaí, Joinville tem três casos cada; em seguida aparece Jaraguá do Sul e Tubarão com dois casos; Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José tem um caso cada.


Ao todo o estado contabilizou 345 casos notificados da doença, com a confirmação de 32 deles (9,3%), sendo 26 casos confirmados para Influenza A (H1N1) e 6 (18,8%) pelo vírus A (H3N2). Outros 201 (58,3%) casos de SRAG tiveram resultado negativo para influenza A e B (SRAG não especificada), 70 (20,3%) casos de SRAG foram ocasionados por outro vírus respiratório e 42 (12,2%) casos se encontram em investigação, aguardando confirmação laboratorial.

 

Mortes em SC

 

Ainda conforme a DIVE, três casos de morte por Influenza foram confirmados. Os óbitos confirmados por SRAG Influenza foram de pacientes residentes em Blumenau, Jaraguá do Sul e Tubarão com 1 caso cada.


Com relação a idade das vítimas, a Dive informou que um dos pacientes que faleceu em decorrência da Influenza tinha idade entre 40 e 49 anos, outro com idade entre 50 e 59 anos e o terceiro paciente acima de 60 anos.

 

Monitoramento nos últimos anos

 

O número de casos da doença tem diminuído nos últimos anos, no entanto, o número de mortes registrou um aumento no comparativo entre 2017 e 2018.


Dados da Dive, que compreendem os registros de casos confirmados e mortes entre 2012 e 2019, mostram que o ano com maior número de casos confirmados foi 2016, com 758 casos, sendo 722 diagnósticos para H1N1.


O maior número de mortes também foi neste ano, que registrou 117 casos. Dos óbitos neste ano, a maioria (114 casos) foram de pacientes diagnosticados com H1N1 e três por Influenza B.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Metade das adoções em Chapecó foram de grupos de irmãos
Cerca de 5 mil crianças precisam ser vacinadas contra a gripe em Chapecó
Temperaturas baixas neste fim de semana em SC
Família doa 400 livros para escola de Concórdia
Família encontra jovem que estava desaparecida
Novo equipamento para tratamento de câncer já está funcionando no HRO
Homens são os que mais morrem de acidentes no trânsito
Estrada é interditada após desabamento de passador de gado em Iporã do Oeste
[ENCONTRADA] Família procura adolescente desaparecida em Chapecó
Caminhonete sai da pista na BR-282 em Xanxerê