Chapecoense dá férias aos atletas e não deverá voltar a jogar antes do dia 10 de maio

Jogadores, comissões técnicas e funcionários dos times que disputarão a Série B do futebol brasileiro terão férias no mês de abril

- Publicidade -
 

Chapecoense não voltará aos gramados antes de 10 maio. O clube do Oeste catarinense comunicou que dará 20 dias de férias ao grupo de jogadores, à comissão técnica e aos funcionários a partir de 1º de abril, com possibilidade de prorrogação. O futebol está paralisado no Brasil devido à pandemia do novo coronavírus.

A decisão foi divulgada no fim da manhã desta quinta-feira (26), após reunião da diretoria verde-branca com o treinador Umberto Louzer, representando o staff técnico, e os atletas Alan Ruschel, Anselmo Ramon, João Ricardo e Kadú, que falaram em nome do elenco. O encontro ocorreu por meio de videoconferência. As medidas tomadas pela agremiação são as mesmas dos outros 19 times da Série B nacional. Os 20 integrantes da competição traçaram ações coletivas.

Tentou-se uma tratativa que abrangesse os times das quatro divisões nacionais, mas houve impasse com as associações que representam os jogadores. Assim, os participantes da Série B resolver se unir para defender os seus interesses. Ficou acordada a concessão de férias de 20 dias, prorrogáveis por mais 10, a todos os atletas profissionais, membros de comissões técnicas e colaboradores, a partir de 1º de abril. A possível ampliação do período de inatividade será discutida no dia 15 de abril.

Em nota, os dirigentes afirmaram que “não medirão esforços e realizarão os pagamentos dos salários do mês de março integralmente”. Porém, avisam: “em se mantendo este cenário de paralisação após o período de férias coletivas, poderá ser necessário aplicar a redução de 25% na remuneração”, com base no artigo 530 da CLT, que dispõe sobre casos extremos. Isso vale para jogadores, staff e funcionários enquanto durar a paralisação. Os clubes entendem que providências são necessárias para evitar colapso financeiro.

Preparação para a volta

As agremiações da Série B também solicitaram às federações estaduais e a Confederação Brasileira de Futebol tempo mínimo de 20 dias para condicionamento físico, entre o término da suspensão dos campeonatos e a retomada das partidas oficiais. Sendo assim, o torcedor da Chape só voltará a ver a sua equipe jogando a partir de 10 de maio – se as férias forem de 20 dias – ou do dia 20 do mesmo mês – se as férias forem de 30 dias.

É certo que a Série B não começará mais em 1º de maio, data inicialmente agendada para os primeiros jogos. Além disso, os estaduais foram interrompidos por conta da Covid-19. A Federação Catarinense ainda não se posicionou se irá finalizar ou não a edição deste ano da Série A do Estadual. Seriam necessárias mais seis datas. Enquanto as férias não chegam, os jogadores da Chape estão em quarentena, fazendo atividades físicas em casa, sob orientação da comissão técnica.

OUTROS PONTOS DEFINIDOS PELOS TIMES DA SÉRIE B

- A suspensão, pelo período de paralisação, de todos os contratos de direito de imagem, cabendo a cada clube individualmente analisar e observar as características próprias dos respectivos contratos para as consequentes suspensões.

- Colocar as dependências esportivas de todos os clubes à disposição das autoridades sanitárias e de saúde para a instalação de leitos, coleta de sangue, realização de exames e outras atividades que se façam necessárias para o auxílio no combate à pandemia e suas consequências.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Chapecoense cria vaquinha virtual para honrar compromisso com os colaboradores
Atacante Roberto, da Chapecoense, segue internado após diagnóstico de coronavírus
Chapecoense volta para Chapecó e prepara nova rodada de testes para covid-19
Federação Catarinense adia jogos das quartas de final
Chapecoense vence o Avaí no retorno do Campeonato Catarinense
Chapecoense e os consulados de Grêmio e Inter se unem em ação solidária em Chapecó
Vamos torcer juntos pelo Verdão!
É hoje! Jogo entre Chapecoense e Avaí marca o retorno do Catarinão 2020
Chapecoense fará novos exames para covid-19 nos jogadores
Goleiro João Ricardo: temos que manter o sistema defensivo forte