Chapecoense não é mais a mesma na Arena Condá

Time do Oeste catarinense tem o segundo pior aproveitamento como mandante e a média de público mais baixa do Brasileirão

- Publicidade -
 

Jogar contra a Chapecoense na Arena Condá é difícil? Era. A mística criada há décadas, quando a casa verde-branca ainda se chamava Estádio Regional Índio Condá, está se perdendo nesta temporada.

Diziam, e os torcedores mais antigos devem se lembrar, que “os times tremiam só de chegar ao Trevo”. Os tempos mudaram, a maioria dos adversários vem a Chapecó de avião, mas o fator local da agremiação do Oeste catarinense continuou respeitado.

Ainda é comum ouvir de rivais declarações sobre a dificuldade de enfrentar a Chape em seu reduto, mas a verdade é que festejar na Arena Condá virou cena corriqueira por parte dos visitantes neste ano. A equipe do técnico Ney Franco tem uma das piores campanhas como mandante na Série A do futebol brasileiro.

A Chapecoense disputou seis jogos pelo Brasileirão na Arena Condá. Destes, venceu apenas um, na estreia: 2 a 0 sobre o Internacional. Na sequência, dois empates por 1 a 1 com Athletico-PR e Fluminense e três derrotas – 3 a 1 para o Fortaleza e 2 a 1 para Palmeiras e Atlético-MG.

No Z4

O Verdão somou apenas cinco dos 18 pontos disputados em casa. O aproveitamento é de 27,78%, percentual superior apenas ao do Avaí na Ressacada – 25%. O fraco desempenho como anfitrião contribui para a Chape constar na zona de rebaixamento.

O time verde-branco figura em 18º lugar, com oito pontos. Além da pontuação na Arena Condá, há também a da surpreendente vitória sobre o Cruzeiro por 2 a 1, em Belo Horizonte (MG). A próxima missão é tentar reagir diante do São Paulo, segunda-feira que vem, na capital paulista, pela 11ª rodada.

Eliminação

A frustração do torcedor da Chapecoense em casa começou cedo nesta temporada. Em fevereiro, ainda sob o comando de Claudinei Oliveira, o Verdão empatou por 1 a 1 com o Unión La Calera, do Chile, e acabou eliminado na Copa Sul-Americana logo na primeira fase.

 

Má campanha se reflete na média de público

O mau desempenho da equipe dentro de campo se reflete na arquibancada. Em 2014, ano de estreia da Chapecoense na elite nacional, a Arena Condá chegou a ter a maior taxa de ocupação entre todos os estádios da competição. A situação mudou.

A média de público mais baixa do Brasileirão 2019 pertence à Chape, posto que o clube jamais ocupara em seis edições no certame. Segundo dados do site Footstats, o Verdão tem uma média de 6.223 torcedores por partida. O 19º colocado neste ranking é o Avaí, com média de 7.236 pessoas em seu estádio.

A Chapecoense estava à frente do Leão da Ilha no quesito público, mas viu a média despencar após a fraca assistência do último domingo (14) – revés para o Atlético-MG. Mesmo como ingressos a preços promocionais, apenas 2,6 mil pessoas foram à Arena Condá. A chuva foi um favor que afugentou a torcida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Na despedida da Série A, Chapecoense empata no fim do jogo
Com desfalques e auxiliar no comando, Chape enfrenta Vasco pela última rodada do Brasileirão
Chapecoense se despede da Série A no maior templo do futebol brasileiro, o Maracanã
Chapecoense participa de ações sociais com presença de atletas
Sai Marquinhos, chega Hemerson: reformulação do time da Chape começa pelo comando
Lateral Eduardo desabafa após vitória da Chape e critica ex-presidente Maninho De Nes
Chapecoense se despede com vitória da Arena Condá na Série A do futebol brasileiro
Chape define vinda de Hemerson Maria e já trata da montagem do grupo com o técnico
Contra o CSA, Chapecoense se despede da Arena Condá na temporada de 2019
Casquinha, ex-presidente da Chapecoense e vereador de Chapecó, morre aos 68 anos