Com polêmica do VAR, Chape perde para o Avaí nos pênaltis e fica com o vice

Com auxílio do árbitro de vídeo, Bráulio da Silva Machado

- Publicidade -
 

Pela sétima vez, a segunda consecutiva, a Chapecoense saiu de campo como vice-campeã catarinense. O clube do Oeste perdeu por 4 a 2 nos pênaltis para o Avaí, após 1 a 1 no tempo normal, na tarde deste domingo (21), no estádio da Ressacada, em Florianópolis, e viu o rival faturar o seu 17º título estadual.

>>Confira mais sobre a Chapecoense<<

>>Confira o Blog Resenha Esportiva<<

Eficiência é a palavra que define a atuação da Chapecoense na disputada primeira etapa no reduto do Leão da Ilha, que jogou em casa por ter melhor campanha. A equipe verde-branca finalizou apenas uma vez no gol avaiano, mas foi o suficiente para ir ao intervalo em vantagem. Coube a um jovem, revelado pelas categorias de base do Verdão, abrir o placar na capital do Estado. Aos 41 minutos, o atacante Régis, 21 anos, soltou uma bomba, sem chance de defesa para Vladimir. Em uma partida de muita marcação, os anfitriões não souberam aproveitar as duas chances criadas.

O time local voltou do vestiário com uma mudança. O treinador Geninho sacou o volante Mosquera para colocar o meia André Moritz. Os azurras tiveram três oportunidades claras em menos de 15 minutos, com direito a uma bola na trave. Aos 23, Ney Franco reforçou o sistema defensivo com a entrada de Amaral no lugar de Régis. Aos 29, o técnico retomou o 4-3-3 com o ingresso de Lourency na vaga de Elicarlos. Mas ainda recuada, a Chape levou o empate aos 30, em cabeceio de Alex Silva. O Leão continuou superior, mas não chegou à virada.

Com a igualdade no tempo normal, Avaí e Chapecoense decidiram o troféu de campeão nos pênaltis. A primeira decisão em cobranças de penalidades da história do Verdão em finais de Catarinão. Para o Leão, converterem João Paulo, Luan Pereira, Pedro Castro e Jones Carioca. Para a Chape, Gustavo Campanharo, Rafael Pereira. Vladimir defendeu o chute de Aylon, e Bruno Pacheco mandou na trave.

O pênalti errado por Bruno Pacheco foi confirmado com auxílio do árbitro de vídeo (VAR), mas o árbitro de campo, Bráulio da Silva Machado, não foi ao monitor para verificar. Apenas conversou com os profissionais que estavam na cabine da arbitragem. Imagens que circulam nas redes sociais mostram que a bola entrou após bater na trave. Ela teria corrido por dentro e depois saído. Houve muita reclamação.

O Catarinão de 2019 rendeu à Chapecoense o sétimo título do Catarinense. Os outros foram em 1978, 1991, 1995, 2009, 2013 e 2018. O Verdão buscava o alto do pódio pela sétima oportunidade. O Avaí se aproximou do arquirrival Figueirense, que soma 18 troféus.

 

AVAÍ 1(4)x(2)1 CHAPECOENSE

Avaí: Vladimir; Iury, Marquinhos Silva, Betão e Alex Silva; Mosquera (André Moritz), Pedro Castro, Gegê (Luan Pereira) e João Paulo; Getúlio e Brizuela (Jones Carioca). Técnico: Geninho.

Chapecoense: Tiepo; Eduardo (Rafael Pereira), Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araúijo, Elicarlos (Lourency) e Gustavo Campanharo; Régis (Amaral), Everaldo e Aylon. Técnico: Ney Franco.

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Hélton Nunes e Alex dos Santos.

Gol: Régis (C), aos 41 do 1º tempo; Alex Silva (A), aos 30 minutos do 2º tempo.

Cartões amarelos: João Paulo, Luan Pereira, Alex Silva e André Moritz (A); Everaldo, Gustavo Campanharo e Amaral (C).

Público: 15.876 (total). Renda: 439.555,00.

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC). Data: 21 de abril de 2019.


PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

9 min – Avaí: O árbitro manda o jogo seguir após choque de Getúlio em Gum. João Paulo pega a sobra e chuva da entrada da grande área. A bola passa perto da trave direita de Tiepo.

25 min – Avaí: Em jogada pela direita, João Paulo dá passe para Pedro Castro, que sai na cara de Tiepo, mas o goleiro sai bem da meta e defende o chute. Na sequência, escanteio.

GOL! 41 min – Chapecoense: Régis recebe passe, encontra espaço e experimenta de longa distância. Revelação da base verde-branca, o jovem de 21 anos acerta um belo chute, no ângulo esquerdo da meta defendida por Vladimir.

Segundo tempo

5 min – Avaí: André Moritz serve João Paulo, livre na grande área. O meia-atacante bate na saída de Tiepo, mas Douglas, posicionado atrás do goleiro, evita o gol de empate. Salva!

9 min – Avaí: Após bate-rebate na grande área verde-branca, a bola sobra para Brizuela, sem marcação e de frente à meta. Porém, o paraguaio erra o alvo e desperdiça a chance.

13 min – Avaí: Falta de Elicarlos em Iury perto da grande área. O meia Gegê chuta por cima da barreira e acerta o poste direito de Tiepo, que faz golpe de vista. Teve sorte.

GOL! 30 min – Avaí: O meia Luan Pereira é acionado pela direita e cruza para a grande área, tirando do goleiro. O lateral direito Alex Silva aparece entre os defensores para fuzilar de cabeça, sem chance para Tiepo.

44 min – Avaí: Em cobrança de falta para o meio da grande área, André Moritz coloca na medida para Getúlio, que cabeceia para o chão, no cantinho. Tiepo se estica para salvar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mudanças na defesa, no meio e no ataque. Ney Franco faz testes na Chapecoense
Chape apresenta oficialmente o atacante Henrique Almeida nesta sexta-feira (19)
Novo atacante da Chape será apresentado nesta sexta-feira (19)
Amaral pode voltar ao time titular da Chapecoense após quase três meses sem jogar
Atletas da Chape fazem doação para a Casa de Passagem de Chapecó
Tive outras sondagens, mas a Chapecoense é mais meu estilo, afirma Maurício Ramos
Chapecoense perde para o Atlético-MG, na Arena Condá, pelo Brasileiro Sub-20
Chapecoense e Atlético-MG se enfrentam pelo Brasileiro sub-20
Chape busca reforços para o ataque e acerta devolução de Marcos Vinícius ao Botafogo
Chapecoense não é mais a mesma na Arena Condá