Polícia Civil descobre duas ossadas dentro de poço em Chapecó

Ação foi na manhã desta quarta-feira (10). Vítimas são dois homens, desaparecidos em 2018 e 2017. Ossadas foram encontradas com o apoio do cão Iron, dos Bombeiros de Xanxerê.

- Publicidade -
 

Depois de meses de investigação e várias horas de buscas, trabalho que contou com o apoio do cão Iron, do Corpo de Bombeiro de Xanxerê, a Polícia Civil de Chapecó conseguiu localizar os corpos de dois homens que estavam desaparecidos na cidade, um desde 2017 e outro desde outubro de 2018.


As ossadas foram encontradas dentro de um poço, em uma propriedade no Distrito Marechal Bormann na tarde desta quarta-feira (10).


Em coletiva à imprensa, o delegado Vagner Papini, da Divisão de Investigação Criminal de Chapecó, disse que as vítimas são Cleiton Dalariva Bublitz, de 22 anos, desaparecido desde 27 de outubro de 2018 e Claudio Pereira, de 41 anos, desaparecido desde o dia 2 de novembro de 2017, os dois tinham passagens policiais.


A investigação sobre o desaparecimento de Cleiton foi conduzida pela 1ª Delegacia de Polícia Civil, com o delegado Thiago Oliveira.


“A DIC não participou desde o início e a investigação foi coordenada pela 1ª DP, até que as investigações avançaram e com auxílio da comunidade, conseguiu informações de que em um sítio, mais precisamente dentro de um poço, estariam dois cadáveres”, conta Papini.


Equipes deslocaram até o ponto e com ajuda do proprietário da área de terra e também do cão Iron, foi localizado o ponto onde estavam os corpos. Bombeiros usaram técnicas de içamento para descer pelo poço estreito e coberto por lixo – possivelmente para esconder os corpos – e fizeram a retirada das ossadas, trabalho finalizado por volta das 15h desta quarta.


O delegado destacou o apoio dos Bombeiros, também dos peritos do IGP e do SaerFron, que fez o deslocamento das equipes até o ponto de difícil acesso.


Foto: Bia Piva/Diário do Iguaçu

 

Causa das mortes

 

 A partir da localização dos corpos, as investigações serão repassadas para a DICFron para apurar a autoria das duas mortes.


Sobre o que matou as vítimas, o perito e gerente do IGP de Chapecó, Jean dos Santos, disse que neste momento não é possível afirmar o que provocou a morte das vítimas. “Assim que os trabalhos forem concluídos, será remetido à polícia”, disse.


O perito destacou que essas investigações envolverão três institutos: de análise forense para coleta de material para comparação genética; o Instituto Médico Legal (IML) que vai analisar a causa da morte, e o Instituto Criminalista que fez análise no local em busca de vestígios que possam ajudar na investigação. A confirmação formal e oficial das mortes dependerá destes procedimentos, que podem levar de 30 dias a 6 meses.


Em um dos casos, destaca o perito, a vítima possuía uma platina na perna e que este objeto é rastreável, que pode ajudar na identificação mais rápida.

 

Investigação peculiar


Papini enfatizou que a investigação até a chegada destes corpos foi peculiar. “Geralmente temos um corpo e a partir dele fazemos a investigação. Desta vez fizemos o contrário, investigamos para chegar até este cadáver. Tínhamos a notícia de um desaparecimento e investigamos para saber se houve ou não morte”, detalhou.

 

Suspeitos do crime


Sobre a autoria dos crimes, o delegado destacou que a investigação será árdua, mas que existe a possibilidade de os autores de um homicídio serem os mesmos autores do outro. “Ou no mínimo que eles tenham alguma participação”, disse.

 

Foto: Polícia Civil

Foto: Polícia Civil


Foto: Corpo de Bombeiros

Foto: Polícia Civil


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Líder de facção criminosa é preso no litoral catarinense
Polícia encontra fábrica de falsificação de carros de luxo em Itajaí
Suspeitos de furto em Cunha Porã são presos pela PM em Chapecó
PM de Chapecó encontra cavalo furtado em Xaxim
Guarda Municipal cumpre dois mandados de prisão em Chapecó
Homem é detido após comer, beber e se negar a pagar a conta em São Lourenço
PRF flagra 126 motoristas dirigindo embriagados em SC
Homem é preso em flagrante após cometer três crimes em Anchieta
Homem de 61 anos é morto no interior de Xaxim
Homem fica ferido após ser atingido por facada em Pinhalzinho