Comércio e consumidores se preparam para Black Friday em Chapecó

Data é uma das mais esperadas do comércio. E para evitar dores de cabeça, Procon e Polícia Civil dão dicas para evitar golpes

- Publicidade -
 

A Black Friday já faz parte do calendário anual de consumidores e lojistas em todo país. A espera daquele descontão para comprar aquele item tão esperado, ou para esquentar e melhorar as vendas nesta reta final de ano, a semana de descontos promete movimentar o comércio.


Em Chapecó, o cenário não deve ser diferente e deve mobilizar mais empresários neste ano, acompanhando a tendência de recuperação da economia. Dados apurados em todas as regiões do País pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que 21% dos empresários brasileiros que atuam no comércio e no ramo de serviços devem aderir ao dia de promoções da Black Friday 2019 que, neste ano, será comemorada no dia 29 de novembro. Se as estimativas se confirmarem, haverá um crescimento de adesões, uma vez que em 2018, 16% dos empresários participaram do evento.


O comércio chapecoense também prepara promoções para os consumidores. Muitas lojas oferecerão descontos especiais que chegam a 70% em alguns locais. Outras estão com reduções nos preços dos produtos o mês inteiro.


A Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) acredita em um crescimento de vendas em relação ao ano anterior, principalmente em decorrência do pagamento do décimo terceiro e a chegada das festas de fim de ano. O presidente Clóvis Afonso Spohr salienta que a data entrou no calendário de vendas e é uma oportunidade para os lojistas fortalecerem as vendas.


Por anteceder o Natal, muitos consumidores aproveitam a Black Friday para comprar presentes ou aquele item que estava esperado o melhor preço para adquirir.


De acordo com Spohr, a Black Friday é uma data ainda recente no comércio brasileiro, mas os lojistas devem prestar atenção, pois vem ganhando espaço. “Iniciou focalizada nas vendas online, mas vem se consolidando também no varejo físico. Os consumidores esperam por esse dia, que tem se mostrado uma excelente oportunidade para ampliar as vendas, comercializar estoques parados e também para o empresário avaliar tendências de compra, tornando sua marca mais conhecida e, ainda, para fidelizar novos clientes”.

 

PESQUISA

 

De modo geral, os empresários que vão aderir a Black Friday estão esperançosos com a data e veem potencial na edição deste ano. A pesquisa da CNDL aponta que 43% dos empresários consultados acreditam que, durante o evento, as vendas serão melhores do que as do ano passado, enquanto 32% falam em estabilidade. Apenas 11% projetam vendas piores.


A pesquisa da CNDL mostra ainda que, entre os empresários que participarão da Black Friday deste ano, seis em cada dez (57%) acreditam que a data representa uma oportunidade para divulgar a loja e prospectar novos clientes e 43% veem a chance de aumentar as vendas. Há ainda um quarto (25%) de empresários que querem desovar estoques parados.

 

Expectativa é movimentar R$ 3,67 bilhões

 

A previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é de que a Black Friday de 2019 movimente até R$ 3,67 bilhões. A informação foi divulgada pela Agência Brasil.  Se esse cenário se confirmar, haverá um aumento de 10,5% em relação às vendas do ano passado, que somaram R$ 3,32 bilhões.


A Black Friday já é a quinta data mais importante do comércio varejista brasileiro. Está atrás do Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais, respectivamente. Os segmentos de eletroeletrônicos e de utilidades domésticas devem ser os mais procurados pelos consumidores este ano. Segundo a CNC, o faturamento neste setor deverá chegar a R$ 929,4 milhões. Em seguida, estão os hipermercados e supermercados (R$ 899,3 milhões) e de móveis e eletrodomésticos (R$ 845,5 milhões).

 

Alerta da Polícia

O período da Black Friday também exige atenção e alerta da população, especialmente para as vendas online, isso porque a ação de golpistas – utilizando falsos sites de venda ou com falsas ofertas – pode fazer vítimas nestes dias. Por isso, a Polícia Civil faz um alerta com cuidados básicos que os consumidores podem adotar, para evitar dores de cabeça.


 


Dicas do Procon

 

- É importante o consumidor se cadastrar no site que deseja fazer a compra dias antes da Black Friday, para comparar a possível variação de preços;

- Para evitar o endividamento, o consumidor não deve se deixar levar pelo impulso e comprar apenas o que realmente precisa;

- As compras online só devem ser feitas em sites seguros e confiáveis, de preferência que tenham cadeado no endereço eletrônico da loja. Isso deve ajudar a evitar sites maliciosos que estão tentando obter informações pessoais;

-  Procure no site informações básicas sobre o fornecedor: nome da empresa, CNPJ/CPF, endereços físicos e eletrônicos, telefone e demais informações que possibilitem seu contato e localização;

- Guarde todos os registros de sua compra, como e-mails de confirmação, códigos de localização e de realização da compra. De preferência, utilize como meio de pagamento o cartão de crédito, pois caso haja algum problema é mais fácil de fazer o estorno;

- Em caso de dúvidas ou reclamações, o consumidor poderá fazer sua reclamação online, por meio da plataforma www.consumidor.gov.br.

 


 


DEIXE SEU COMENTÁRIO

11% dos brasileiros terá renda para quitar dívidas no começo de 2020
Comércio de SC registra crescimento de 5% em relação ao Natal de 2018
Consumidores acreditam que o combate ao desemprego deve ser prioridade em 2020
Palestra orienta empreendedores em Chapecó
Comércio encerra 2019 com alta de 2% nas vendas
Sicoob MaxiCrédito apresenta R$ 96,35 milhões de resultado em 2019
Lojistas apostam em crescimento de 15% nas vendas de material escolar em Chapecó
Sine oferece 462 vagas de emprego em São Miguel do Oeste
Número de jovens inadimplentes cai no Brasil
Falta de chuva causa prejuízos a produtores de verduras em Chapecó