Cuidados diários previnem dores nas costas

Quanto mais avançada a idade, maiores são as chances de apresentar ataques adicionais de dores

- Publicidade -
 

A lombalgia prejudica as atividades do cotidiano e pode fazer com que a pessoa fique sem energia e desanimada. O sintoma está relacionado à dor na região lombar, que fica na parte mais baixa da coluna, perto da bacia. 

>> Últimas notícias <<

Quanto mais avançada a idade, maiores são as chances de apresentar ataques adicionais de dores. Além disso, a realização de trabalhos pesados, estar acima do peso normal e manter um estilo de vida sedentário também são fatores que podem contribuir para esse quadro.

Segundo o médico ortopedista e traumatologista, Joaquim Reichmann, cada caso é diferente, e por isso, é preciso buscar um especialista para obter o diagnóstico correto e o melhor tratamento.

“De maneira geral, a lombalgia é um problema postural, cuja causa é uma má posição que fazemos para se abaixar, carregar peso, sentar, deitar. Ela também pode ser causada por outros problemas como artrose, infecção, inflamação, escorregamento de vértebra, hérnia de discos e até questões emocionais”, esclarece o médico.

A atividade física, conforme Reichmann, é de fundamental importância desde que seja com a orientação de um especialista, pois alguns exercícios não devem ser feitos por quem tem lombalgia, podendo, inclusive, piorar o quadro. 

Os exercícios, além de fortalecer o corpo, podem contribuir para a prevenção do sobrepeso que é um risco para as costas já que a gordura concentrada na região abdominal pode aumentar a pressão sobre a região lombar.

“O alongamento também é importante, principalmente se a pessoa passa muito tempo sentada. Quem trabalha sentado também precisa manter as costas retas e apoiadas na cadeira. Outro cuidado importante é ao carregar objetos pesados. É recomendável evitar pegar objetos pesados acima da cabeça com os braços esticados. Atenção também ao se abaixar: ao invés de curvar-se, o ideal é ajoelhar-se”, orienta.

O médico ressalta que a caminhada pode diminuir 90% dos casos de dor crônica na região lombar. “A prática de atividades físicas regulares ajuda a retardar a degeneração óssea causada pelo envelhecimento, além de fortalecer os músculos que sustentam a coluna, evitando que ela fique instável e cause dor”, esclarece.

Diversos estudos relacionam o bom condicionamento físico ao menor índice de problemas de coluna. Segundo o médico, para o resultado da caminhada ser positivo, algumas orientações podem ajudar. 

“Mantenha a cabeça centrada nos ombros, os ombros relaxados e os braços para baixo, levemente dobrados. Deixe as mãos entreabertas para facilitar a circulação sanguínea e concentre-se na respiração para que seja suave, profunda e regular. Para proteger a coluna, o abdômen deve estar contraído, estável e ereto”, aconselha.  

Outra dica é estar atento aos pés durante a caminhada: o calcanhar precisa tocar o chão primeiro, depois o arco e por último os dedos, que devem ficar um pouco fechados. “Todos esses cuidados elevam a qualidade de vida e auxiliam na rotina de quem costuma sofrem com dores lombares”, finaliza Reichmann.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Dia do Atletismo: 6 dicas para iniciantes na corrida
Atividades simples podem estimular o bebê no primeiro ano de vida
Mitos e Verdade sobre a Doação de Órgãos
Como acabar com a oleosidade do cabelo
Você sabe o que é labirintite?
Workshop sobre a saúde do coração ocorre neste sábado em Chapecó
Brasil tem entre 3 e 6 milhões de idosos com asma
Dez perguntas e respostas sobre a relação entre fumo e câncer
5 dicas para mudar sua relação com a comida
Pesquisa revela que mais de um terço dos homens brasileiros não vão ao médico anualmente