Dança Chapecó começa nesta quarta-feira (11)

Serão quatro dias de festival com cerca de 50 grupos de dança que apresentarão mais de 250 coreografias

- Publicidade -
 

Começa nesta quarta-feira (11) e segue até sábado (14), a 12ª edição do Dança Chapecó – Festival Sul Brasileiro de Dança. A cidade recebe mais de mil bailarinos vindos de 30 municípios. O evento é organizado pela Escola de Artes, Associação de Pais e Professores em parceria a Secretaria de Cultura.

Ao todo participam da Mostra Competitiva cerca de 50 grupos de dança com mais de 250 coreografias. As apresentações iniciam todas as noites, às 19h, no Teatro Municipal do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes. Os ingressos estão sendo vendidos antecipados no valor de R$20, até esta terça-feira (10), e na hora do evento R$30. Estudantes, professores e idosos pagam a metade.

Para a diretora da Escola de Artes e coordenadora geral do Festival, Emanoélli Capello, esse é um grande momento para toda a cidade. “Chapecó se prepara para receber todos esses bailarinos, tudo está sendo organizado com muito carinho, desde a hospedagem dessas pessoas, a alimentação, os cursos e os momentos para troca de experiências. Queremos que todos os participantes saiam com mais fôlego e muita vontade de desenvolver novos trabalhos na área”, enfatiza.

De acordo com a professora de danças urbanas, Vanessa Pescador, de Chapecó, esse é um grande momento para todos os alunos. “É de suma importância os festivais acontecerem no interior do estado, é uma forma de aproximar os grandes centros da gente. Muitas vezes os nossos alunos têm dificuldade para acessar eventos grandes em capitais e aí trazendo um bom júri, que venha trazer informações e ministrar cursos, é uma forma de aproximar a cultura que está acontecendo em grandes centros”, complementa.

Abertura terá espetáculo

A abertura oficial do Dança Chapecó acontece hoje, às 19h, com o Espetáculo “Em Constante Construção” do Diretor e Coreógrafo Eládio Prados Neto, de Curitiba-PR, da Street Extreme Cia de Dança. Premiada nos principais festivais de dança do Brasil carrega um extenso currículo internacional: já se apresentou em países como Áustria, Estados Unidos, França, Polônia, Alemanha e Holanda.

O espetáculo aborda a incessante e complexa construção da personalidade de cada ser humano. Seguindo a teoria de que somos seres únicos feitos a partir de uma delicada mistura das mais variadas informações que absorvemos, sentimos e vivemos, desde o momento do primeiro batimento cardíaco até o último. O espetáculo traz as inúmeras influências e o atual momento em que personalidade humana se encontra.

Outras atrações

Além da Mostra Competitiva o Dança Chapecó conta com um espaço especial dentro do Festival. O Palco Alternativo traz apresentações de grupos, escolas e projetos locais, de maneira gratuita à comunidade. De hoje até sexta-feira (13), a partir das 15h, é possível conferir as apresentações no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes.

“O Palco Alternativo é um espaço democrático e muito especial dentro da programação do Dança, está aberto para diferentes projetos e para toda a comunidade. É uma forma de valorizar os grupos locais, estimulando a troca de experiências e o intercâmbio cultural e possibilitar acesso gratuito à comunidade a diferentes trabalhos de pesquisa”, explica Emanoélli.

Premiações

Ao todo a premiação do 12ª Dança Chapecó ultrapassa R$ 8 mil. O júri é composto por profissionais com renome internacional na área da dança: Jessé da Cruz - Danças Populares, Filipi Ursão - Danças Urbanas, Lars Van Cauwenbergh - Ballet Clássico, Luana Espíndola - Dança Contemporânea e Eliane Fetzer – Jazz. Eles avaliarão quesitos como técnica, qualidade de movimentos, postura, desempenho, complexidade, musicalidade, ritmo e harmonia.

Para Marcelo Siqueira, de Pinhalzinho, premiado como Melhor Bailarino na última edição do Dança Chapecó, o Festival proporciona um leque gigante de possiblidades, tanto enquanto grupo que tem a oportunidade de fazer uma apresentação, quanto como bailarino que poderá fazer aula com professores internacionais e isso é muito importante para os profissionais da região. “Para mim o festival sempre foi uma grande expectativa. Me apresento no Dança Chapecó desde os 10 anos e hoje tenho 21. Ser o melhor bailarino foi uma realização, algo que eu sempre quis, realizar um sonho em um evento que eu sempre participei”, conta.

Feirinha do Dança Chapecó

Quem quiser chegar mais cedo e aproveitar o que o espaço oferece, acontece junto ao Palco Alternativo a Feirinha do Dança Chapecó, todos os dias das 10h às 20h. Estarão com serviços disponíveis empresas de alimentação, idiomas, vestuário e específicas do setor da dança. Além disso, estará em funcionamento o Café do Centro de Eventos, com diversas opções de lanches. Para os apreciadores das artes visuais estará aberta a Galeria Municipal de Arte do Centro de Centro de Eventos, de 11 a 13/09 das 9h às 12h e das 13h às 16h, com a Exposição “Pode entrar viu, só não arrepare a bagunça” do Coletivo Inço.

Profissionalização e fortalecimento do setor

Além das competições, mostras, apresentações e feirinha, que já integram a programação, umas das principais preocupações do Dança Chapecó é oportunizar a profissionalização dos estudantes e pesquisadores da área. Nesta edição serão oferecidos seis cursos distintos que abordam diferentes modalidades: Afro Jazz, Composição Coreográfica, Dança Contemporânea, Ballet Clássico, Danças Populares Brasileiras, Danças Urbanas e Jazz. As atividades são oferecidas em diferentes níveis. Uma forma de estimular o aprendizado e a troca de experiências durante o encontro.

Segundo a bailarina Luana Espíndula, de São Paulo, jurada e ministrante de curso de dança contemporânea, irá participar pela segunda vez no Dança Chapecó, e está animada para saber o que vai encontrar. “Certamente desde minha última participação, o festival cresceu e estou animada para ver o que encontrarei e como poderei, com carinho e respeito, agregar. Acho extremamente importante o fomento da cultura em geral por todo o país e, certamente, muitas regiões dependem de iniciativas assim, para que os estudantes, amantes e profissionais tenham acesso ao que está acontecendo de melhor no mundo da dança. A reciclagem é indispensável a todos e, certamente, todos nós trocamos, ensinamos, aprendemos e quem ganha é a dança”, afirma.

Economia criativa

Apesar de ser um evento cultural o Dança Chapecó movimenta diferentes setores da cidade, incluindo o econômico. “O Festival é um evento voltado aos profissionais da dança, mas o reflexo dele vai além do conhecimento trazendo reflexos econômicos para toda a cidade. Além de uma ampla equipe de diferentes profissionais de áreas distintas trabalhar para que o festival aconteça, gerando empregos diretos e indiretos, os mais de 1 mil participantes do encontro estarão 4 dias em nossa cidade, irão se hospedar, se alimentar, precisarão de transporte, estarão consumindo e isso traz resultados a todo Trade Turístico”, explica Emanoélli.

 

Saiba mais sobre  evento

Outras informações pelo telefone (49) 33223690 ou pelo email festival@dancachapeco.com.br ou site www.dancachapeco.com.br    

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Bolshoi faz pré-seleção em Chapecó nesta quarta-feira
Inscrições para o workshop da Escola Bolshoi encerram nesta segunda-feira (16)
Cinco motivos para visitar os museus e galerias de arte de Chapecó
Morador de Xanxerê lança livro no Rio de Janeiro e em Chapecó
Cyberbulling: a maldade por trás da internet
Cão que furta pet shops fica famoso em Balneário Camboriú
Feira de Mudas Frutíferas e Ornamentais começa sexta-feira em Chapecó
Dança Chapecó começa nesta quarta-feira (11)
Orion é o novo filhote que chega ao Corpo de Bombeiros de SC
30ª Feira de Pássaros e Orquídeas espera 4 mil pessoas em Chapecó